A Nova Política de Privacidade do Google: impactos, benefícios, SEO e inovação

Por ,
em

Google e Privacidade: SEO, inovação, impactos e benefíciosNo post anterior falamos da importância crescente que o Google atribui para o layout de página e como isso afeta o trabalho de SEO. Neste post vamos tratar do impacto da Nova Política de Privacidade do Google e o futuro do SEO.

Mesmo que pareça algo irrelevante, a política de privacidade é algo muito importante porque diz respeito à maneira como o Google poderá tratar os dados de seu usuário. Em consequência, esses dados poderão ser utilizados para aprimorar os resultados da busca e a experiência do usuário.

A nova política de Privacidade unifica outras

Política de Privacidade e Termos de Uso são páginas que não têm um número de acessos alto e raramente são lidas pelas pessoas, porém muitas vezes as mudanças nos serviços só são sentidas depois, e pode levar tempo até que se descubra os motivos.

A Google tem hoje mais de 70 políticas de privacidade ativas para os diferentes produtos e serviços. A partir de 1º  de março de 2012, com a nova Política de Privacidade, serão unificados mais de 60 produtos e serviços em uma única Política, pois segundo a empresa isso será feito com o objetivo de oferecer “uma experiência ao usuário mais intuitiva, simples e de modo bonito através (de quase todos os produtos e serviços) da Google”.

De fato, é uma boa iniciativa a empresa facilitar aos seus usuários o entendimento de como funcionam suas políticas de privacidade, dada a relevância na vida das pessoas dos serviços do Google. Você pode conferir aqui a nova política de privacidade do Google e, abaixo, a nossa análise.

Personalização das informações e dos anúncios

É preciso compreender que, nas palavras de seu ex-CEO, Eric Schmidt, a Google não é uma empresa de busca e sim a maior empresa de publicidade do mundo. Portanto, suas ações são voltadas para a expansão de seu império de mídia online em todo o mundo (não à toa é detentora de portais como Blogger, Youtube, etc.) Desta maneira, a Google procura tornar a publicidade mais lucrativa, assim como mais relevante para o consumidor – o que no fundo são a mesma coisa, pois sabemos que uma publicidade não deve ser invasiva, sim útil. Em outras palavras, contextual e segmentada.

Sendo assim, a proposta da Google é oferecer um nível maior de personalização das informações, tanto para o anunciante quanto para o usuário, o que permitirá fazer um publicidade mais segmentada, consequentemente aumentando a taxa de conversão e o retorno sobre os investimentos (ROI) dos anunciantes. Do ponto de vista do usuário, a personalização garantirá resultados mais precisos e maior interação com amigos.

Como suas informações serão usadas

A Google cruzará os dados e ações de cada pessoa através dos serviços e produtos, permitindo assim a identificação de padrões de comportamento e interesses. Um exemplo pode ser o vídeo que você assiste no YouTube ajudar a determinar os anúncios que aparecem para você no Gmail. Outro exemplo são as imagens que você busca no Google Imagens poderem ajudar a determinar os anúncios que aparecem no buscador ou em um site parceiro que exibe anúncios do Google.

Também será possível identificar se uma pessoa gosta de viagens para uma determinada região ou país e assim exibir anúncios específicos para viagens com destino a esse local.

A própria classificação dos círculos no Google Plus pode ser utilizada para identificar padrões como trabalho e faculdade, exibindo então anúncios personalizados de acordo com as pessoas e os horários que essas pessoas interagem sobre esse assunto.

Essas e muitas outras possibilidades permitirão economias no investimento em anúncios, o que é bom para os anunciantes e fará com que mais empresas invistam em Links Patrocinados da Google.

Privacidade: um negócio da China

Toda essa integração de informações pode trazer benefícios para as empresas e também para cada pessoa individualmente que irá consumir itens de acordo com os seus interesses e necessidades. Além do mais, ainda que não consuma encontrará e receberá informações muito mais relevantes. Isso já acontece há bastante tempo no Facebook, que trabalha com anúncios sociais; em certo sentido, essa empreitada é uma maneira de responder ao crescimento brutal do Facebook.

A lógica que está por trás dessa nova política é a pessoa conceder parte da sua privacidade e em troca disso o Google oferece um serviço que facilita a sua vida. A nova Política informa que a Google armazenará as configurações do seu computador, dispositivos móveis, IPs, localização, número de telefone utilizado para acessar produtos e serviços, entre outros dados. É informado que esses dados não serão comercializados e acessados por outras pessoas, mesmo funcionários.

Com todos esses dados a Google quer oferecer coisas inimagináveis até pouco tempo. Por exemplo: avisar quando você está atrasado para uma reunião. Isso ocorrerá porque são cruzadas as informações de dia, horário e local da reunião no Google Calendar, com a sua localização identificada no aplicativo GPS do celular e a informação do Google Maps sobre o trânsito do momento no trajeto que você vai percorrer.

A ideia do Google é conseguir antecipar as necessidades das pessoas de modo automatizado, identificando padrões de comportamento e novos produtos e serviços que podem ser criados.

O que muda em SEO

SEO inicialmente era um trabalho focado no site apenas, porém o algoritmo do buscador Google tem passado cada vez mais a considerar as informações fornecidas pelas pessoas em todos os produtos serviços, especialmente do Google+, para determinar as SERPs (página de resultados do buscador). Essa nova política de privacidade enfatiza tais mudanças.

Desde 2011 o ranking dos sites que aparecem nas buscas já tem alterações quando você está logado na conta Google+ e um amigo seu curtiu determinada página relevante àquela procura. Se você não está logado, determinado site apareceria na segunda página do buscador, mas uma vez que estiver logado o mesmo site poderá aparecer na primeira página do buscador porque um amigo seu clicou no botão +1 desse site.
Com a nova política essa alteração de resultados se intensificará. Se você mora em São Paulo e procurar por hotel em fortaleza, poderá aparecer na  primeira página do Google um hotel em Fortaleza que um amigo seu fez um comentário e avaliou no Google Maps ou gostou de um vídeo no Youtube. Incrível!

Outro aspecto social nas buscas é identificação exata de termos. Por exemplo você e seus amigos adoram roupas da marca Diesel e falam sobre isso no chat, emails e Google+. Então quando você digitar Diesel no buscador Google aparecerá o site da grife, blogs e outros sites relacionado com roupas dessa marca, ao invés de aparecer sites falando sobre o combustível Diesel, refinamento de petróleo, etc. Essa personalização poderia chegar ainda ao ponto de mostrar resultados relacionados à marca Diesel mesmo quando você pesquisar por roupas.

Conclusão

A nova Política de Privacidade do Google tem um grande impacto em nossas vidas como pessoas, bem como na publicidade online e no trabalho de SEO, porque os resultados das buscas passam a ter fatores sociais cada vez mais importantes. Portanto, a  presença e interação das empresas nas Mídias Sociais e nos diversos produtos e serviços oferecidos pelo Google irá refletir mais ainda nas SERPs.

Podemos concluir que 2012 terá como um marco o Social SEO, a necessidade da unificação de estratégias de SEO com outras estratégias nas Mídias Sociais para garantir as primeiras posições nas buscas. Não que isso já não viesse ocorrendo, mas esse processo agora está muito mais intensificado.

 

A Conversion na mídia
Rede Globo de Televisão SBT Rede Record TV Bandeirantes Portal do UOL Yahoo Notícias Diário do Comércio e Indústria
Voltar ao Topo
fechar

Solicite Orçamento