Como fazer SEO em um mundo onde (not provided) são 100% das buscas

Por ,
em

not-providedAlguns foram pegos de surpresa com as notícias que circularam esta semana afirmando que todas as buscas realizadas no Google não irão retornar as palavras-chave buscadas, no Google Analytics ou em qualquer outra ferramenta de análise web. Ao invés de retornar a palavra-chave pesquisada, como aconteceu até o início do ano passado, o relatório exibirá apenas o termo (not provided) que agrupa todas as visitas de tráfego orgânico cujos termos de pesquisa são desconhecidos. O tráfego de links patrocinados, todavia, continuará exibindo as palavras-chave buscadas.

Para variar, muitos anunciam que, desta vez, o SEO definitivamente morreu. Que agora a única forma de conseguir analisar os esforços e entender o tráfego gerado somente será possível investindo em links patrocinados.

Entretanto, as coisas não são tão preto no branco. É óbvio o esforço do Google de, cada vez mais, entregar visitas por meio de links patrocinados, pois desta forma obtém receita. Também percebemos um grande movimento no Google de enviar cada vez menos visitas e manter os usuários em sua página, com as novas páginas de resultados que muitas vezes trazem as informações sem gerar visitas a outros sites.

Tudo isso, porém, não indica o fim do SEO. Como venho falando nos últimos anos, o trabalho de SEO tende a se tornar cada vez mais complexo e exigindo não só mais profissionais qualificados, como na verdade uma grande e talentosa equipe para poder gerenciar contas. A grande diferença não é que SEO está se tornando impossível, mas que SEO não é mais tão simples quanto pensavam alguns.

Bons sites continuam a melhorar com SEO
Bons sites continuam a melhorar com SEO

O gráfico acima é de um site que tem um bom trabalho de SEO e que, em comparação com o ano anterior, aumentou significativamente seu tráfego de busca orgânica, em taxas superiores a 150% para um tráfego que não era pouco. Como detalhe deste case, podemos observar que no site em questão o SEO já havia sido feito há muito tempo e, neste caso, otimizamos o que já se havia feito. Quando iniciamos esse projeto, o (not provided) já representava uma parcela considerável das buscas (cerca de 26%):
(not provided)

O lado bom do (not provided)

Por um lado, no case acima o fato de estarmos em constantes mudanças no mundo do SEO e considerando que mês a mês a proporção de (not provided) tendia a crescer, podemos dizer que houve (e há) um lado bom em as palavras-chave buscadas estarem escondidas dos proprietários de web sites: como a análise fica mais difícil, saber lidar com essa análise acaba por tornar-se uma grande vantagem competitiva.

O ponto principal é que, enquanto SEO continua muito importante  – e talvez mais vivo do que nunca  – e uma vez que muitos estão desistindo dessa estratégia, as oportunidades abertas começam a se tornar muito grandes. No evento Search Masters Brasil, muitas palestras falavam de um silencioso fim do SEO, porém no meu entender o SEO continua melhor e mais forte do que nunca.

SEO, com ou sem not provided, aqui vamos nós para gerar o máximo de resultados!

Update: para analisar os dados de (not provided), confira este relatório personalizado de Google Analytics que criamos.

A Conversion na mídia
Rede Globo de Televisão SBT Rede Record TV Bandeirantes Portal do UOL Yahoo Notícias Diário do Comércio e Indústria
Voltar ao Topo
fechar

Solicite Orçamento