Como será o Google no futuro?

Por ,
em

Como serão os buscadores daqui há 20 anos?Importantes CEOs e Diretores das maiores empresas do mundo escreveram para a revista Nature suas previsões para o futuro daqui há 20 anos. E como não podia faltar, Peter Norvig, diretor de pesquisa do Google, apresentou uma visão de como serão realizadas as buscas na internet.

No post de hoje, pretendo fazer uma análise do que foi apontado nesse artigo de Norvig e quais mudanças já estão sendo implementadas para que essa sua “previsão”, que na minha opinião representa mais um plano de metas de sua empresa do que uma simples divagação, se concretize de fato nesse período estabelecido.

Separei como três pontos principais as questões referentes ao Conteúdo, a Pesquisa em si e a Mensuração de resultados.

Vamos lá!

Conteúdo variado e interativo

Norvig pontua que em relação ao conteúdo apresentado nas páginas de resultado de pesquisa, as SERP, será um verdadeiro mix de textos, vídeos, imagens, áudio, interações sociais e fontes de informação. Ou seja, cada resultado apresentará uma dezena de argumentos que influenciarão os usuários a clicarem em determinado site e não em outro.

Portanto, profissionais de SEO, fiquemos espertos! Uma mudança nas snippets pode fazer com que tenhamos que dividir nossos esforços em diversas frentes On Page e Off Page para garantirmos que nossos sites fiquem bem posicionados e “agradáveis” para a visão do consumidor.

Porém, o trabalho com diversas mídias sociais, otimização de imagens, cadastro no Google Shopping entre outras coisas já é uma realidade para o SEO moderno, e sabemos que esses esforços estão gradativamente agregando mais valor aos nossos sites e os deixando melhor posicionados. Se você já investe nessas estratégias, basta acompanhar as mudanças e se adaptar às exigências do Google. Caso contrário, é melhor começar a por a mão na massa.

Pesquisa otimizada e resultados personalizados

O segundo ponto citado pelo Diretor do Google está mais ligado aos mecanismos de pesquisa propriamente ditos. Ele acredita que a maioria das pesquisas na web serão realizadas por comando de voz, que os usuários poderão escolher o quanto querem compartilhar de suas vidas com o buscador (aham…) com o intuito de obterem resultados personalizados, e ainda ousa dizer que já haverá uma minoria que pesquisará por monitoramento de sinais cerebrais.

Bom, o comando de busca também já é realidade. Ele está presente em Smartphones e até mesmo em carros, já em português. Que o Google, assim como o Facebook, sabe mais sobre as nossas vidas do que nossas próprias mães nós também já sabemos, mas ele ainda não explora todo esse banco de dados para personalizar cada resultado de pesquisa de acordo com o usuário (algo que gradativamente vai acontecer, como eu mesmo já havia falado nesse artigo sobre o Google na Revolução da Nuvem).

Mas o que realmente me chamou a atenção foi essa parte dos sinais cerebrais. Norvig não se aprofunda no assunto, mas será mesmo que um dia o Google literalmente lerá nossos pensamentos? Vou deixar esta questão no ar.

Desafios: como mensurar a qualidade?

Em relação à mensuração da eficiência das mudanças que o Google terá que fazer em seu algoritmo, Norvig ressalta a dificuldade de avaliar um site por outros fatores que não se prendam à popularidade. Como palavras de ordem no ranquemento de sites nas SERP, enfatizou que mais do que nunca Relevância e Qualidade contarão sempre mais.

O Google faz testes diários, e às vezes até mais de um teste no mesmo dia, reunindo mais e mais informações sobre a experiência de navegação de seus usuários pelos resultados apresentados. Imagine só quando esses testes forem totalmente individualizados (testando variações de ranqueamento para cada usuário), quantas métricas ainda terão que ser criadas para avaliar tantos dados?

Conclusão

É interessante pensar que, de acordo com essas considerações de Peter Norvig, o algoritmo do Google ainda passará por muitas transformações e, consequentemente, ainda teremos muita diversão pela frente para trabalhar com SEO.

Minhas recomendações são:

– Atenção aos comportamentos de mercados de nicho.
– Atenção às novas mídias e às atualizações das já estabelecidas.
– Acompanhe os Blogs Oficiais do Google.
– Assista às aulas do Curso de SEO no #OpenSEO.
– Participe ativamente do Fórum do #OpenSEO, estou aprendendo muitas coisas novas por lá.

Até a próxima pessoal!

A Conversion na mídia
Rede Globo de Televisão SBT Rede Record TV Bandeirantes Portal do UOL Yahoo Notícias Diário do Comércio e Indústria
Voltar ao Topo
fechar

Solicite Orçamento