Gamification: o poder do lúdico no marketing

Por ,
em

GamificationUma técnica de marketing digital criada a pouco tempo vem apresentando um grande crescimento nos últimos anos e é tida como a maior tendência para a produção de plataformas, interfaces e desenvolvimento de funções otimizadas e mais interativas no mundo da internet: o gamification. O termo surge da proposta de extender a experiência do usuário, que com o advento de redes sociais e tecnologias mobile ganha voz mais ativa nos processos comunicacionais de divulgação e feedback para produtos e serviços experimentados, e com as marcas, que enfrentam as mudanças dos perfis de compra de seus consumidores em potencial.

O consumidor moderno incentiva e preza pela presença de sua marca favorita em seu dia a dia, seja pelas mídias sociais ou através do cadastro no site da própria empresa. O que é realmente importante é que ele se sinta notado, valorizado, e que a companhia de sua preferência lhe proporcione uma experiência única, personalizada. É pensando nisso que o marketing digital caminha para o despertar de um engajamento maior dos clientes e para a criação de laços mais profundos com os fabricantes de seus bens.

Mas no que se baseiam as técnicas de gamification?

As técnicas de gamification se baseiam em aplicar ao meio corporativo algumas características lúdicas e lógicas, que são também encontradas em jogos de videogames, para gerar um maior envolvimento do usuário com a marca, de forma a fazê-lo se sentir inserido e participante do universo da marca. Essa sensação tem origem nessa participação opinativa do internauta por meio de um website ou fórum, mas também envolve outros fatores que podemos considerar efetivos de uma boa estratégia de gamification.

Há alguns elementos básicos que podem ser tomados como pontos de partida para a adaptação a um sistema “gamificado”. Pontuações, alcance de níveis, bonificações, incentivo a compartilhamento em redes sociais entre outros modelos podem ser revertidos em descontos, credibilidade, e até mesmo premiações, físicas ou virtuais, para os consumidores, reduzindo o efeito de dispersão causado pelo excesso de informação online, transformando as interações em conversões efetivas, e talvez o mais importante, fidelizando-os não só à sua marca mas também à sua página virtual.

O que o consumidor quer encontrar em seu site

Um importante aspecto ao pensar em maneiras de adotar algum sistema de gamification em seu site é pensar na dinâmica do jogo. Isto é, o consumidor tem que estar esclarecido sobre o que pode ganhar ao contribuir com uma página na internet e ao mesmo tempo tem que ser incentivado por elementos surpresas que estimulem a continuidade de sua participação.

Cooperação e competitividade são valores a serem explorados. Interfaces que ranqueiam os líderes de um game, ou que dão status ao usuários com participação mais ativa em um fórum de perguntas e respostas ativam essa competição, ao passo que a possibilidade de formação de times e o status proporcionado à pessoa que responde uma pergunta rapidamente e com informações relevantes despertam essa questão da coletividade e da importância de dar continuidade a uma atividade.

É essencial que se estabeleça parâmetros de metrificação e etapas de adesão ao seu sistema de um modo simples, de qualidade e de resposta rápida. A empresa tem que propor objetivos para o consumidor, de forma que ele ache interessante e benéfico acompanhar de perto o desenrolar da ação promovida, e ao mesmo tempo tem que ser capaz de administrar as repercussões para estar preparada e reconhecer o timing para a próxima manobra.

Basicamente, o consumidor busca no seu site informação e entretenimento, e a gamification pode ser a solução para reter a sua atenção de uma maneira que seja prazeirosa e que ao mesmo tempo gere resultados para a sua empresa.

E na prática, o que está sendo feito?

Agora que já passamos pela mecânica (os modelos de pontuação, desafios, alcance de níveis) e pela dinâmica das técnicas (bonificações, status, resposta direta, competição, cooperação), vamos passar por alguns exemplos do que já está aplicado no mercado atualmente. Vale lembrar que, no Brasil, o gamification é muito ligado a promoções de vendas ou ações de curta duração, como o caso do banco Bradesco, que para divulgar descontos em ingressos de cinema para seus clientes, promoveu uma interação via Youtube em que os internautas deveriam adivinhar o nome dos filmes representados por mímicas do humorista Marcelo Adnet, e contava também com um sistema de pontuação que poderia ser postado no Facebook.

Mas gamification não se limita a isso. A simples postura do LinkedIn em apresentar uma barra com a porcentagem de informações que cadastramos no site já nos desperta o desejo de atingir os 100%, mesmo sem recompensa aparente. O Dropbox, ferramenta de armazenamento de dados online, provê um aumento do espaço de armazenamento para usuários que indiquem o software para amigos. A Allianz, como muitas outras marcas no Brasil e no mundo, desenvolveu um aplicativo para o Facebook que se baseia num jogo sobre trânsito, e aproveita para dar dicas de como se portar nas ruas, promovendo uma melhor imagem para a marca.

Há diversas possibilidades para a sua empresa atingir seus consumidores de maneira mais direta, mais lúdica. O diferencial do gamification é o seu grande potencial de criação de conteúdo em conjunto com os clientes, de incentivar o cadastro e o acompanhamento das notícias do site, e principalmente de gerar o compartilhamento de links, aumentando a visibilidade, o número de conversões de sua página e fortificando comportamentos de compra que são indispensáveis para o crescimento de seu negócio.

A Conversion na mídia
Rede Globo de Televisão SBT Rede Record TV Bandeirantes Portal do UOL Yahoo Notícias Diário do Comércio e Indústria
Voltar ao Topo
fechar

Solicite Orçamento