logo

Conteúdo é Rei: Google lança “in-depth” para dar exclusividade a conteúdo com profundidade

12/08/2013
2 min de leitura

in-deMais uma atualização do algoritmo do Google está sendo testada. E essa promete dar ainda mais relevância para páginas com bom conteúdo, isto é, aquelas páginas que realmente atendam as necessidades do usuário e oferecem um conteúdo completo e claro.

Chamada de “in-depth”, o novo recurso procura identificar com maior precisão e inteligência páginas de alta qualidade. Sempre pensando na melhor resposta para as buscas do usuário, o Google Search vem centrando seus esforços em resultados que realmente atendam ao que o usuários estejam buscando. Na prática, isso significa conteúdo de profundidade, semântico e que seja autoridade sobre o assunto.

Segundo o próprio Google, cerca de 10% das necessidades diárias de informação dos usuários envolvem buscas com intenção de aprendizado mais profundo sobre um tema. Dado que muitas dessas informações encontram-se “esparramadas” na SERP do Google, parecendo uma espécie de bandeja onde você escolhe sem ter muita certeza sobre qual link lhe servirá, a ideia é aperfeiçoar ainda mais os resultados de uma busca e oferecer as melhores respostas às necessidades dos usuários.

Essas respostas baseiam-se em um conjunto de atributos, incluindo aí a autoridade do domínio, que sinalizam conteúdo de alta qualidade e profundidade. Quais são esses atributos?

. Marcação de Dados Estruturados com Schema.org

. Marcação de authorship (imagem e nome do autor e perfil do Google+)

. Marcação com rel=next e rel=prev para conteúdo com paginação

. Marcação com informações sobre a empresa no logo do site

. Conteúdo em profundidade (in-depth).

in-depth

O Google Search quer aperfeiçoar a maneira como oferece seus resultados ligando o conteúdo a pessoas e empresas que tenham autoridade sobre um assunto. A marcação de dados estruturados ajuda os robôs a identificar e oferecer o melhor conteúdo para o usuário, diminuindo o máximo possível o tempo de pesquisa e lançando para o final da fila toneladas de peso morto que são indexados todos os dias pelo Google.

Escrito por

Raphael Simoni

SEO

é analista de SEO na Conversion e acompanha as tendências do mercado digital. Estuda Tradução, gosta de literatura e está online 24 horas por dia.

Os comentários estão desativados.

Receba o melhor conteúdo de marketing em seu e-mail

Assine nossa newsletter e fique informado sobre tudo o que acontece no mercado

Conteúdos relacionados

"Tudo deveria se tornar o mais simples possível, mas não simplificado."

Albert Einstein