O que são Influenciadores Digitais? Dicas, Desafios e Estatísticas Positivas

Por ,
em

Em pesquisa com 700 pessoas, o Instituto QualiBest revelou que 49% dos consumidores confiam em influenciadores digitais para tomar a decisão de compra, perdendo somente para amigos e parentes.

É uma uma profissão que surgiu nos Estados Unidos em 2015 e se popularizou no Brasil entre 2016 e 2017, os influenciadores digitais hoje são peças muito importantes em estratégias de marketing de influência de empresas de micro a grande porte.

Neste guia completo sobre influenciadores digitais, produzido pela Conversion, consultoria em Marketing e SEO, apresentaremos tudo sobre influenciadores, os tipos de influencers e porque são importantes para sua estratégia de marketing.

Além disso, você entenderá o que é preciso fazer para se tornar um digital influencer.

Se preferir, navegue pelos tópicos de conteúdo.

Tópicos de conteúdo

  1. O que são influenciadores digitais?
  2. Mas o que é Marketing de Influência?
  3. Marketing de Influência funciona?
  4. Medir o ROI do Marketing de Influência ainda é um grande desafio
  5. Os principais tipos de influenciadores para ações de marketing
  6. Quais as principais redes sociais para os influenciadores?
  7. Estatísticas sobre o mercado de influenciadores
  8. Como se tornar um influenciador digital?

 

O que são influenciadores digitais?

Antes de entender a definição, saiba que os influenciadores também são conhecidos como:

  • Creators;
  • Produtores de conteúdo;
  • Digital influencers (termo original em inglês).

Os três termos são muito comuns e você pode usar a opção que desejar para se referir aos influenciadores digitais.

Segundo o Wikipedia, os digital influencers são pessoas, personagens, marcas ou grupos populares em redes sociais como Instagram, YouTube, Facebook, Snapchat ou quaisquer outras, criando conteúdo, atraindo um público massivo que acompanha as publicações e eventualmente compartilha com os amigos, fazendo o conteúdo viralizar.

O sucesso dos digital influencers é notório e os números comprovam o interesse pelo tema.
Conforme demonstra o gráfico do Google Trends, há um pico acima da média em fevereiro de 2017 e um crescimento exponencial entre maio e agosto de 2018.

Em estratégias de marketing de influência, os creators já possuem presença cativa, e não é para menos, já que 74% dos consumidores confiam nas redes sociais para tomar decisões de compra.

 

Mas o que é Marketing de Influência?

Como o termo sugere, Marketing de Influência são ações de marketing aplicadas em conjunto com digital influencers que possuem grande apelo junto ao público-alvo da marca.

O Marketing de Influência exige uma abordagem diferenciada e consiste em atuar em conjunto com influenciadores digitais para transmitir mensagens e experiência para os seguidores e induzi-los a executar ações, como comprar um produto da marca.

O Marketing de Influência é aplicado há muito tempo, no entanto, foi em 2015, nos Estados Unidos, que a abordagem começou a ser aplicada em conjunto com digital influencers e se popularizar como uma alternativa para estratégias de marketing digital.

Celebridades da TV também podem ser influenciadores digitais?

Sim! Influenciadores digitais são pessoas que criam conteúdo online e possuem uma grande quantidade de seguidores.

Nesse contexto, muitas celebridades da TV migraram para a internet nos últimos anos com o objetivo de aumentar sua popularidade, ter um canal para se relacionar com sua audiência e aumentar ganhos com publicidade.

Tatá Werneck, Bruna Marquezine e até mesmo a Gretchen fazem muito sucesso nas redes sociais como influenciadoras e já possuem uma legião de seguidores.

A única diferença é que os creators que surgiram e cresceram por meio da internet são chamados de nativos, título que as celebridades de TV não possuem, pois migraram de outras plataformas.

 

Marketing de Influência funciona?

É muito provável que você já tenha sido impactado e até mesmo influenciado por uma campanha de marketing de influência.

Segundo dados revelados pela Influency.me, 38% das empresas estão dando os primeiros passos no Marketing de Influência, enquanto 16% dos entrevistados já realizam regularmente campanhas com influenciadores digitais no Brasil.

O report “O State of Influencer Marketing 2018”, produzido e divulgado pela Linqia, também sugere um cenário no qual muitos profissionais de marketing estão propensos a investir em Marketing de Influência.

  1. 86% dos profissionais de marketing usaram Marketing de Influência em 2017, 92% acharam eficaz;
  2. 92% dos profissionais de marketing citam o Instagram como a rede social mais importante para marketing de influenciadores em 2018, seguido pelo Facebook (77%). Com 71%, os blogs estão em terceiro lugar, acima dos 48% do ano passado;
  3. 52% dos profissionais de marketing estão planejando programas que aproveitam vários tipos de influenciadores (celebridades, de primeira linha, blogueiros, micro-influenciadores) como parte de uma estratégia integrada;
  4. 44% dos profissionais de marketing planejam usar o conteúdo de influenciadores para melhorar o desempenho de outros canais digitais e 36% integrarão o conteúdo de influenciadores ao comércio eletrônico para impulsionar as vendas de produtos em 2018.

Whindersson Nunes é um dos principais influenciadores do Brasil e atua junto a grandes marcas, como nesse comercial para a empresa de telefonia OI.

 

Medir o ROI do Marketing de Influência ainda é um grande desafio

Medir o retorno de campanhas de Marketing de Influência ainda é um desafio para profissionais de marketing, de acordo com a pesquisa divulgada pela Linqia.

A pesquisa mostra que 78% dos entrevistados têm como o principal desafio medir o retorno das ações de Marketing de Influência.

O principal indicador de performance que os profissionais de marketing entrevistados utilizavam é o engajamento com o conteúdo.

 

Os principais tipos de influenciadores para ações de marketing

Com tantas nomenclaturas e categorias, muitas pessoas ficam em dúvida sobre os tipos de influenciadores.

Mas, entender as categorias é de suma importância, principalmente na hora de buscar um digital influencer para divulgar a sua marca.

Sendo assim, listamos abaixo as categorias mais comuns e seus significados:

Top Celeb

Um influencer Top Celeb pode ser muito útil para ações de branding, já que atinge públicos diversificados e produz conteúdos genéricos.

É o tipo de influencer que não se limita a um nicho e, por isso, consegue atingir um público muito maior.

Muitas vezes, ações com Top Celeb não refletem em vendas instantaneamente, logo, é indicado criar ações paralelas com Fit Celeb’s.

Fit Celeb

O Fit Celeb geralmente tem menos seguidores, mas possui uma grande aproximação com o público do seu mercado e tem tudo a ver com a sua marca.

Ações com os Fit Celeb tem como objetivo aumentar o reconhecimento de marca, sendo mais assertivas, assim como ações com foco em vendas.

Autoridade

O influencer “autoridade” tem seguidores cativos, é referência em um nicho de mercado e é especialista no assunto.

É o tipo ideal para estratégias com foco em vendas, mesmo possuindo um público pequeno, em relação aos Top Celebs, e tem grande influência no momento de compra, o que aumenta a taxa de conversão.

Ecossistema

Não é um tipo, e sim um modelo de atuação.

No ecossistema, as ações são executadas por um grupo de creators.

Muitas vezes, os próprios influencers usam esse modelo de atuação para atingir outros públicos e aumentar o número de seguidores.

Trendsetter

São influenciadores que defendem ideologias e possuem uma relação de confiança com público, por isso, não trabalham para qualquer tipo de empresa, principalmente para aquelas que não respeitam os princípios básicos defendidos.

Priscilla Alcantara, ex-apresentadora do programa de TV Bom Dia e Companhia, é um ótimo exemplo. Defende princípios cristãos, possui mais de 2 milhões de seguidores no YouTube, tem uma relação muito próxima com eles, mas não faz parcerias com empresas que vão contra seus princípios.

Intrainfluenciador

O conceito é muito semelhante ao de intraempreendedor.
Esse tipo de influenciador pode ser um funcionário de uma empresa dedicado a se relacionar com a audiência e engajá-la.

O intrainfluenciador possui pouco poder de trazer novos seguidores para a marca, mas tem papel importante em estratégias de engajamento.

 

Estatísticas sobre o mercado de influenciadores

Uma pesquisa feita com 414 influenciadores e divulgada pelo MarketingProfs, revelou que 93% dos entrevistados se concentraram no Instagram em 2018 – 94% disseram que dariam preferência para YouTube e Instagram em 2019.

Já prevendo a importância do Instagram para os influencers, a plataforma lançou novos recursos nos últimos anos e, com isso, segundo a pesquisa, é a que possui maior quantidade de ferramentas úteis para os digital influencers.

É muito importante ter em mente esses dados na hora de planejar ações de marketing para sua empresa, já que o público estará mais ativo nas redes sociais que o influencer priorizar.

Logo, antes de firmar parcerias, analise em quais redes sociais o público é mais ativo e se isso faz sentido para os objetivos da estratégia de marketing.

 

Outros dados importantes

  • 48% dos profissionais de marketing aumentaram o orçamento com ações de marketing de influência em 2017 [Linqia];
  • Custo por engajamento e custo por clique são as formas de precificação de campanhas preferidas por profissionais de marketing [Linqia];
  • Uma pesquisa com 414 influenciadores revela que 99,3% trabalham com Instagram, 70% trabalham com Facebook e 47% trabalham com Snapchat [Hashoff];
  • Em pesquisa com 1.140 influenciadores, 11% precificam as campanhas com base em performance e 49% cobram um preço fixo por postagem [Influence.co].

 

Como se tornar um influenciador digital?

Não existe uma fórmula perfeita para se tornar um creator de sucesso.

Whindersson Nunes, Felipe Neto e outros influencers bem-sucedidos simplesmente começaram a postar vídeos e conquistaram a audiência com conteúdo de qualidade.

Mas, para você que está começando, preparamos quatro dicas muito úteis:

1. Definir público-alvo, tema central e plataformas

Para traçar metas de ganhos e o plano editorial, é essencial entender o que seu público-alvo gosta e acompanha nas redes sociais, bem como definir o tema central do canal.

Em pesquisa divulgada pelo influence.com, 66% dos 1.140 influenciadores entrevistados, têm como tema central de seu canal no Instagram moda, beleza ou estilo de vida.

Agora, a qual plataforma dar preferência?

Já dissemos aqui que os influenciadores dão maior preferência para Instagram e YouTube, porém, é importante atuar em outras plataformas requisitadas por empresas para parcerias, já que o Facebook é o terceiro canal mais requisitado para conteúdo promocional, atrás apenas do Instagram e de blogs.

2. Ter um posicionamento claro

O mesmo estudo divulgado pela influence.co, revelou que os influenciadores digitais recebem ao menos quatro propostas de marketing de influência por mês e aceitam menos de um quarto delas.

Entendemos que o custo para ser influenciador e criar conteúdo de qualidade não é baixo, no entanto, firmar parcerias com empresas ruins ou vincular sua imagem a campanhas ruins pode distanciar sua marca de empresas grandes, que investem alto.

Por isso, analise bem se todas as propostas estão de acordo com o posicionamento da sua marca e contribuirão de alguma forma para alcançar os objetivos traçados.

3. Contratar uma agência?

Dos influenciadores entrevistados, 74% não possuem uma agência gerenciando sua carreira, mas elas podem ser muito úteis em algumas situações específicas.

  • Muitas agências possuem contato direto com promoters e podem facilitar a negociação entre as partes, além de captar (muitas vezes) um volume maior de clientes.
  • Muitas empresas não valorizam influencers que não possuem agenciadores, já que muitos deles não sabem como se posicionar e negociar contratos, passando uma imagem ruim.

4. Definir quanto cobrar por cada post

Se você já tiver um número considerável de seguidores e quer se tornar um influencer, saiba que existe uma ferramenta – não oficial – que pode ajudá-lo a precificar seus posts promocionais no Instagram e YouTube.

A ferramenta foi criada pelo portal “Influencer Marketing Hub”, e deve ser usada com moderação. Os valores apresentados podem não representar a realidade do seu canal.

Para perfis do Instagram, basta acessar a página da ferramenta e inserir o username do canal.

Segundo a ferramenta, o Neymar poderia cobrar entre 216 e 361 mil por cada publicação no Instagram.

Já para canais do YouTube a ferramenta possui mais funcionalidade e apresenta, além de uma estimativa de ganho por cada vídeo, a estimativa de ganho do canal, de acordo com as métricas do seu canal.

 

Conclusão

Pronto! Agora você já aprendeu quase tudo sobre influenciadores digitais, desde o conceito até qual tipo de influenciador pode trazer mais resultados para a sua marca.

Não vá embora ainda!

Neste outro guia completo, nós apresentamos o que você precisa saber sobre Instagram e como anunciar na plataforma.

A Conversion na mídia
Rede Globo de Televisão SBT Rede Record TV Bandeirantes Portal do UOL Yahoo Notícias Diário do Comércio e Indústria
Voltar ao Topo
fechar

Solicite Orçamento