Remarketing: O que é, Como Funciona e Como Vai Aumentar Suas Vendas Online

Por ,
em

Remarketing é uma tática de publicidade usada para recuperar vendas e aumentar a taxa de conversão de e-commerces.

Você provavelmente já foi impactado por anúncios de remarketing.

Imagine que um potencial cliente acesse o seu e-commerce, visualize um produto, coloque no carrinho de compras, mas não efetue a compra. Como recuperar esse potencial cliente?

Com o remarketing é possível impactar novamente esse potencial cliente e oferecer benefícios para que ele volte e conclua a compra.

E o melhor de tudo isso é que táticas de remarketing podem ser aplicadas em qualquer tipo de site, independentemente do porte ou orçamento.

Neste artigo, produzido pelo time de Marketing da Conversion, apresentaremos o conceito e as principais vantagens do remarketing para e-commerce ou qualquer outro tipo de negócio online.

Se preferir, navegue pelos tópicos de conteúdo.

Tópicos do Conteúdo

O que é remarketing e qual a diferença para retargeting?

Na prática, remarketing trata-se de impactar novamente um usuário que teve contato com a marca e não executou uma conversão, ou até mesmo instigar a executar outra ação de conversão.

Exemplo:

  1. Recuperação de vendas: É possível mostrar anúncios nas redes sociais para esse usuário ou enviar um e-mail mostrando os benefícios e convencendo-o a voltar e comprar.
  2. Upselling/Aumento de ticket médio: Também é possível criar campanhas para oferecer outro produto ou serviço para pessoas que já se tornaram clientes.

A diferença de remarketing para retargeting é bem simples:

Ambos possuem o mesmo significado e objetivo, a diferença é que são veiculados em plataformas diferentes: no Facebook Ads chamamos esse tipo de anúncio de remarketing e no Google Ads e outras plataformas, de retargeting.

Remarketing é muito útil para recuperação de vendas e otimização de ROI

Se você é gestor de algum e-commerce, sabe que a maioria dos clientes não realiza a compra já na primeira visita ao site.

Na verdade, apenas 3% deles fazem essa conversão imediata, segundo pesquisa do Google Ads.

Sabendo disso, a estratégia de “remarketing multicanal” pode ser aplicada para reimpactar o usuário em diferentes momentos.

Vamos explicar:

Para um usuário que leu um conteúdo de um blog ou visualizou um produto de uma loja virtual, é possível criar anúncios de remarketing por meio de diversas plataformas e exibi-los ao mesmo tempo através do Facebook, Instagram e da rede parceira do Google.

Em suma, você conseguirá estar presente em todos os “lugares” em que o usuário estiver.

O remarketing é importante pois o potencial cliente pode se deparar com as opções da concorrência e comprar, simplesmente porque esqueceu o seu site.

Onde os anúncios de remarketing são veiculados

As plataformas mais conhecidas de remarketing ou retargeting são o Google Ads, Facebook Ads e Instagram Ads, mas existem outras, como AdRoll e Criteo.

Google Ads

Google Ads é a nova nomenclatura para o Google AdWords.

Através do Google Ads, além dos anúncios de link patrocinado e Google Shopping que são exibidos na página de buscas, é possível criar anúncios de retargeting e exibi-los na rede parceira do Google Ads e no YouTube.

Facebook Ads

Com mais de 2,32 bilhões usuários ativos mensalmente em todo o mundo, o Facebook ainda é uma das principais plataformas de anúncios quando o objetivo é gerar vendas.

Através do Facebook Ads, os anúncios de remarketing são exibidos de acordo com a segmentação, na timeline (feed) do usuário ou na coluna da direita.

Instagram Ads

O Instagram possui mais de um bilhão de contas e 80% delas seguem perfis comerciais.

Com esses números, a rede social se transformou em uma mídia de performance muito rentável para e-commerces.

Os anúncios de remarketing são mostrados tanto no feed quanto nos “stories”.

Criteo

A Criteo é uma plataforma de anúncios utilizada por grandes empresas para intensificar ações de marketing.

Ela adota inteligência artificial para mostrar anúncios mais relevantes em tempo real.

Com a promessa de gerar 13% de ROAS, a Criteo tem conquistado cada vez mais a confiança de profissionais de marketing.

AdRoll

O AdRoll é uma das ferramentas mais antigas e conhecidas de retargeting, sendo inclusive parceiro oficial do Facebook.

Suas principais vantagens são a possibilidade de fazer retargeting por e-mail ou via mobile, além de poder exibir os anúncios dentro do Facebook.

8 benefícios do Remarketing para Vendas Online

1) Anúncios de remarketing dão maior liberdade para o uso da criatividade

Segundo o Google, 75% do impacto dos anúncios está relacionado à qualidade do criativo.

Conforme explicamos neste post, as pessoas esperam ser impactadas por anúncios criativos e relevantes.

Com remarketing, pode-se criar anúncios específicos para cada estágio da jornada de compra ou para cada produto do site. Tudo depende da sua criatividade.

2) Foco no resultado

Os relatórios de remarketing exibem quais sites e canais geram maior resultado em vendas, com isso, é possível otimizar performance em tempo real.

Além disso, o orçamento pode ser mais bem investido e o resultado em ROI, melhor.

3) Atingir o usuário na hora certa

Sabendo que 97% dos usuários não efetuam a compra na primeira vez em que têm contato com produto, o remarketing se faz muito importante para reimpactar o potencial cliente em outros momentos e ativar o desejo de compra, ou até mesmo servir como um atalho até a página de compra.

4) Sua taxa de cliques pode ser até 10x maior

Segundo levantamento publicado pelo Marketing Land no final de 2014, a taxa de cliques de um anúncio de remarketing é de, aproximadamente, 0,08% na América do Norte.

Na América Latina, o número é ainda maior: 12%. Isso equivale a uma taxa de cliques de três a 10 vezes maior que campanhas de display direcionadas a novos usuários.

5) Seu produto na cabeça do seu cliente

Ao receber uma segunda vez a imagem de um produto no qual o usuário já demonstrou interesse – seja no Google ou dentro do seu site –, a compra será considerada novamente.

Quanto mais vezes seu cliente considerar a compra do seu produto, mais perto você está de uma conversão.

6) O usuário já faz parte do seu funil de vendas

A etapa mais difícil de ser posta em prática dentro de um funil de vendas é a primeira: conquistar a atenção do seu cliente.

Uma vez que o usuário já passou por essa etapa, as três conseguintes são muito mais simples – interesse, desejo, ação.

Além disso, quanto mais etapas do funil o seu usuário já tiver ultrapassado, até o último ponto imediatamente anterior a compra, mais chances você tem de reconquistar esse cliente com a sua campanha de retargeting.

Um bom exemplo são os clientes que abandonaram o carrinho.

7) Boa repercussão entre jovens consumidores

Segundo pesquisa publicada pelo Inskin Media, também em 2014, os participantes entre 20 e 29 anos que cresceram dentro da realidade do comércio digital são 60% mais predispostos a considerar esse tipo de campanha mais interessantes que os modelos anteriores.

Visto que mais da metade dos consumidores brasileiros na internet são jovens entre 15 e 34 anos, possuir a simpatia dessa parcela da população é uma grande vantagem a seu favor.

8) Reconhecimento de Marca

Na Rede de Display, é possível exibir anúncios gráficos em milhões de sites que participam do programa do Google AdSense.

Como têm um enorme alcance, são uma excelente maneira de fazer branding.

Trabalhando com listas de Remarketing, o branding poderá ser feito para clientes pré-selecionados.

Quando o remarketing pode ser negativo?

Campanhas de remarketing devem ser muito bem planejadas para não gerar efeitos negativos.

Confira três casos em que o remarketing pode gerar grandes problemas.

1) Oferecer desconto na hora errada

É possível enviar uma mensagem e oferecer desconto para um usuário que acessou a loja virtual mas não comprou.

O problema acontece quando esse anúncio é exibido para pessoas que já compraram tal produto.

Para resolver isso, crie uma “lista de exclusão” para não exibir anúncios às pessoas que já efetuaram a compra.

2) Objetivo de tráfego

O custo dos anúncios de remarketing é maior, e anunciar com o objetivo de levar o usuário para o site pode sair caro demais e negativar o ROI.

Portanto, realize ações criativas com o objetivo de levar o lead a executar uma ação de conversão.

3) Frequência de amostragem

Mostrar o mesmo anúncio diversas vezes para o mesmo usuário pode ser chato e gerar uma impressão ruim.

Muitas vezes, uma pessoa não está no momento de compra e só acessou a página do produto para buscar informações.

Portanto, segmente muito bem seus anúncios, os canais e a frequência de amostragem.

Como construir uma boa campanha de remarketing?

O primeiro passo é escolher a ferramenta e em qual plataforma os anúncios serão exibidos: sites ou redes sociais.

As duas ferramentas mais comuns para o desenvolvimento de campanhas de remarketing são o próprio Google Adds e o Facebook Ads.

O seu anúncio será exibido na rede de sites parceiros do Google e na Rede Social do Facebook conforme a navegação do usuário.

Tudo isso, é claro, desde que a campanha e seu público-alvo sejam estruturados corretamente.

Conclusão

Se você tem um e-commerce, pode comemorar. A expectativa de crescimento do comércio eletrônico no Brasil é bastante positiva para este ano.

Segundo a ABComm, o faturamento deve chegar a R$ 79,9 bilhões em 2019. O ganho vai representar um crescimento de 16% em relação ao ano passado.

Conforme você viu neste artigo, o uso do remarketing para e-commerce faz toda a diferença para o sucesso em vendas.

Além do remarketing, o Google Ads é um recurso muito útil para otimização de performance de e-commerce.

Confira este outro guia completo com tudo o que você precisa saber sobre Google Ads.

A Conversion na mídia
Rede Globo de Televisão SBT Rede Record TV Bandeirantes Portal do UOL Yahoo Notícias Diário do Comércio e Indústria
Voltar ao Topo
fechar

Solicite Orçamento