Saiba o que é o Google PageSpeed Insights e aprenda a utilizar

Lucas Amaral
Lucas Amaral

Ferramenta auxilia desenvolvedores a solucionar problemas relacionados à velocidade de páginas

Entre as muitas ferramentas de SEO, o Google PageSpeed Insights é uma das mais utilizadas pelos profissionais da área. 

Isso não é à toa. A velocidade de carregamento de páginas — tanto em desktops quanto em dispositivos móveis — influencia diretamente na experiência do usuário e, claro, no ranqueamento para mecanismos de busca

A plataforma, criada pelo maior buscador do mundo, cria um diagnóstico, apontando problemas que podem prejudicar o desempenho de websites. Auxiliando, assim, na melhoria na classificação nos rankings de pesquisa. 

Contudo, alguns dos termos e métricas avaliadas no relatório podem soar estranhos. De modo similar, há muitas dúvidas relacionadas ao que fazer para solucionar os erros. 

No artigo a seguir, saiba como o Google PageSpeed Insights funciona, quais são as métricas apontadas e o que fazer para melhorar a performance das páginas. 

O que é o Google PageSpeed Insights?

Google PageSpeed Insights (GPI) é uma ferramenta gratuita cuja função é testar a velocidade de páginas na web. Além da análise, também indica potenciais problemas que causam a desaceleração no carregamento dos elementos. 

Os dados são coletados a partir da Lighthouse, ferramenta que realiza uma auditoria automática em sites, levando em conta a navegação de usuários do Google Chrome.

A partir disso, é gerado um relatório contendo a pontuação média em cada uma das métricas avaliadas. 

Para que serve o Google PageSpeed Insights?

Com os dados revelados pelo Google PageSpeed Insights, proprietários de sites e desenvolvedores podem avaliar o desempenho de páginas. 

Isso permite a realização de ajustes com relação à acessibilidade, performance ou aplicativos web progressivos (PWAs). Além, é claro, de indicar melhorias para o SEO. 

O próprio Google explica que o GPI aponta, em essência, duas principais características de página: 

  • Quanto tempo leva para a exibição do conteúdo acima da dobra (o que o usuário vê primeiro)
  • Quanto tempo o navegador leva para renderizar a página

É preciso ter em mente, contudo, que a análise não é 100% precisa, pois pode variar de acordo com o dispositivo utilizado, conexão do usuário, serviço de hospedagem e a armazenagem do cache. Ou seja, nem todas as métricas estão sob controle dos desenvolvedores.

Como funciona o Google PageSpeed Insights?

O funcionamento do GPI é bem simples. O usuário só precisa acessar o site da plataforma e colar a URL da página que deseja inspecionar. A seguir, basta clicar em “analisar”. 

Print screen da tela inicial do Google PageSpeed Insights.

Na sequência, a ferramenta realiza a análise em tempo real e exibe o diagnóstico automático. É possível alternar entre a exibição da avaliação no celular ou computador. 

O relatório é dividido em duas partes. 

Na primeira delas, o objetivo é entender a experiência dos usuários. Aqui são exibidas as principais métricas da web, as quais serão tratadas no tópico a seguir. 

A segunda tem a finalidade de diagnosticar problemas de desempenho. São atribuídas pontuações levando em conta quatro diferentes critérios: 

  • Desempenho
  • Acessibilidade
  • Práticas recomendadas
  • SEO

Ou seja, um conjunto de métricas é avaliado em milissegundos, sendo atribuído um valor entre 0 e 100. A média é exibida em cada um dos painéis da categoria. 

Para facilitar a compreensão dos dados, a ferramenta exibe cores relativas à pontuação. Assim: 

  • Entre 0 e 49 (vermelho): Ruim
  • Entre 50 e 89 (amarelo): Precisa melhorar
  • Entre 90 e 100 (verde): Bom

Em uma lógica simples, um site se encaixa nos padrões de desempenho recomendados pelo Google quando todos os indicadores apresentarem a cor verde.

Ao clicar em cada uma das categorias, o usuário obtém mais informações sobre cada uma delas. 

Logo abaixo, a plataforma exibe uma série de recomendações para melhorar a performance de cada uma das métricas. Em outras palavras, aponta os caminhos para alcançar uma melhor pontuação.

Como corrigir os problemas apontados pelo Google PageSpeed Insights?

Os problemas apontados pelo Google PageSpeed Insights podem ter diversas origens. Por conta disso, diferentes medidas podem ser necessárias, assim como é possível a exigência de profissionais com variadas habilidades. 

Erros técnicos, por exemplo, podem ser corrigidos por programadores. Problemas com formatos de imagens estão relacionados ao design. Ao passo em que ausência de atributos e tags requerem a intervenção de um profissional de SEO on-page. 

Quais são as métricas do Google PageSpeed Insights?

No painel principal do Google PageSpeed Insights é exibida a avaliação da página com relação às principais métricas da web, também conhecidas como Core Web Vitals

Print screen do painel de análise do Google PageSpeed Insights.

As cores representam o percentual de vezes em que as páginas tiveram um desempenho bom (verde), razoável (amarelo) ou ruim (vermelho), com medições em segundos. Esses detalhes podem ser observados ao clicar em “abrir visualização”. 

As métricas exibidas podem ser traduzidas, em termos mais simples, da seguinte forma: 

  • Largest Contentful Paint (LCP): Tempo de carregamento do maior elemento de página (texto ou imagem)
  • First Input Delay (FID): Tempo de resposta do navegador para a primeira interação do usuário (como cliques ou uso de teclas)
  • Cumulative Layout Shift (CLS): Tempo para deslocamento na página (viewport, ou área visível na página)

Esses são os três indicadores considerados essenciais. 

Contudo, muitas vezes a plataforma insere e remove novos dados considerados relevantes ou as disponibiliza em caráter experimental. Por exemplo: 

  • First Contentful Paint (FCP): Tempo de carregamento do primeiro elemento de página (texto ou imagem)
  • Interaction to Next Paint (INP): Tempo para interação para a próxima interação (como cliques ou uso de teclas)
  • Time to First Byte (TTFB): Tempo entre a requisição do navegador até o recebimento do primeiro byte de informação
  • Speed Index (SI): Tempo para que todo o conteúdo da página se torne visível
  • Time to Interactive (TTI): Tempo para interação total da página
  • Total Blocking Time (TBT): Tempo que uma página fica bloqueada para a interação do usuário após o carregamento do primeiro elemento (FCP)

Para ter acesso a todas elas, basta instalar a extensão para Chrome do Lighthouse

Não há dúvidas de que o tempo de carregamento das páginas faz grande diferença na hora de atrair e reter visitantes. 

Por essa razão, o ideal é contar com um parceiro para manter a saúde do site. Se você tem interesse em contar com os serviços da Conversion, acesse a nossa página de SEO consultivo e decida se é o que você precisa para o seu negócio. 

Escrito por Lucas Amaral

Escrito por Lucas Amaral

Escrito por Lucas Amaral

Escrito por Lucas Amaral

Compartilhe este conteúdo
Compartilhe
Receba o melhor conteúdo de SEO & Marketing em seu e-mail.
Assine nossa newsletter e fique informado sobre tudo o que acontece no mercado
Agende uma reunião e conte seus objetivos
Nossos consultores irão mostrar como levar sua estratégia digital ao próximo nível.
>