Usando Quick Wins para aumentar em 105% resultados de Marketing Digital

Diego Ivo

Por ,
em

O marketing digital possui uma infinidade de coisas a serem feitas. Para lidar com esse ambiente de tantas possibilidades, é preciso ter foco e constância.

A resposta para esse desafio pode ser encontrada nos Quick Wins, conceito que temos desenvolvido há vários anos aqui, na Conversion.

Como resultado disso — e, claro, de muitas outras ações conjuntas —, por exemplo, nossos clientes de SEO cresceram, em média, 105% somente no ano passado .

E é claro que os Quick Wins podem ser aplicados nas mais diversas disciplinas do Marketing Digital.

Vou, neste artigo, compartilhar um pouco da visão de Quick Wins e como eles podem ajudar muito na otimização de resultados, seja em SEO, Mídia, Conteúdo, UX etc.

Vamos lá?

O que são Quick Wins?

Quick Win é uma melhoria que é simples de ser implementada e também perceptível.

Seu conceito vem da Administração, mas pelo que vivenciamos ao longo dos últimos anos, podemos dizer que ele se aplica perfeitamente ao mercado de marketing digital.

O Quick Win também está ligado a fazer bem uma coisa, mas principalmente a saber QUAL coisa fazer.

Ou seja, à eficácia.

Em geral, os bons Quick Wins possuem as seguintes características:

  • Mínimo de custos ou nenhum custo;

  • Baixo risco;

  • Conhecimento da causa de um problema e solução clara;

  • Ser uma solução simples, direta e com o mínimo de complexidade;

  • Contar com apoio dos stakeholders;

  • Possuir alta confiança do impacto positivo;

  • Melhorias podem ser implementadas entre 30 e 90 dias;

  • Tendem a trazer ALGUM resultado ou impacto positivo a curto prazo.

Os Quick Wins podem ser aplicados a qualquer disciplina do Marketing Digital — de UX à Mídia de Performance.

E é possível até que você já trabalhe com Quick Wins e não saiba. Em geral, muitos dos Testes A/B são Quick Wins cientificamente validados.

Contudo, para trabalhar com Quick Wins, não é necessariamente indispensável um Teste A/B.

Você pode fazer um Quick Win sem testes. Aliás, a maioria não passa por testes, pois encareceria e tornaria burocrático seu processo.

Não passar por testes não significa que a sua performance não irá ser mensurada. Deve!

Nesse sentido, para implementar um Quick Win, é preciso confiança de que se trata de uma implementação ou melhoria simples e que gere um impacto positivo.

Preferencialmente mensurável, é claro — afinal, estamos na era do marketing orientado a dados.

No Marketing Digital, a EFICÁCIA é um grande diferencial

Comecei este post falando que, no Marketing Digital, há milhares de coisas a serem feitas.

O problema é que nunca dará para fazer TUDO. Nesse sentido, saber o que se deve fazer é fundamental.

E vamos a dois significados de palavras que geralmente se confundem:

Eficiência é fazer certo as coisas. Eficácia é fazer as coisas certas, ou seja, precisa se conectar ao macro.

O ideal é que uma entrega seja tão eficaz quanto eficiente. Mas a eficácia hoje em dia, arrisco-me a dizer, é até mais importante.

É preferível fazer a coisa certa de modo imperfeito do que fazer perfeitamente a coisa errada.

Ao longo de minha trajetória, já vi muita entrega extremamente eficiente, mas que não servia para nada, porque não era a coisa certa a ser feita.

Por isso, a eficácia é um grande passo para ter resultados excepcionais.

E os Quick Wins são justamente sobre isso!

Para ter eficácia, conheça a arte de identificar as “low hanging fruits”

Você provavelmente já ouviu a expressão “low hanging fruits”, que é muito comum no inglês.

Uma boa tradução para essa metáfora pode ser “as frutas mais fáceis de colher”, ou seja, que estão ao alcance das mãos.

(É claro que a expressão não funciona tão bem em português, perde seu charme. Por isso, usaremos em inglês mesmo.)

As “low hanging fruits” têm tudo a ver com Quick Wins. Pode-se até mesmo dizer que são, guardadas as devidas proporções, sinônimos umas das outras.

No nosso contexto, “low hanging fruits” são as coisas mais fáceis de serem feitas e que irão gerar os melhores resultados possíveis.

É importante ressaltar que podem não ser os resultados mais excepcionais. Mas ainda são resultados, e é isso que importa. Você logo vai entender por quê.

Grandes resultados são a somatória de pequenos resultados

Todo mundo busca ou pelo menos deseja os grandes resultados.

Mas os grandes resultados dificilmente vêm de uma única e grandiosa ação, especialmente quando falamos em Marketing Digital.

Grandes resultados vêm, antes de tudo, da somatória de pequenos resultados. E, no Marketing Digital, reconhecer isso é fundamental, e especialmente o que gera os microrresultados.

O Marketing Digital não é uma corrida de 100 metros, mas sim uma maratona.

Vence não quem corre mais rápido, mas quem é constante em suas ações.

Por isso, mesmo que um Quick Win seja algo pequeno, como seu próprio nome sugere, a somatória de vários Quick Wins possibilitará um crescimento significativo.

Ok, já entendi o que são Quick Wins… mas como posso aplicá-los?

O Quick Win não tem um escopo definido, mas sua aplicação precisa ser um consenso entre os envolvidos no projeto. E pode ser aplicado a qualquer coisa, desde que dentro das definições que coloquei acima!

A mero título de ilustração, aqui, são alguns Quick Wins possíveis em Marketing Digital:

  • Redesenhar o formulário para aumentar a conversão;

  • Aplicar o SEO Extremo (disponível também em vídeo) a uma única página com alto potencial de resultado;

  • Fazer um rápido treinamento de SEO para time de cadastro de produto;

  • Mudar a mensagem de um anúncio (já conseguimos reduzir em 80% o CPA de uma campanha com alto investimento só fazendo isso);

  • Fazer uma única ação com um influenciador digital com KPI claro;

  • Otimizar o bidding de anúncios de forma personalizada;

  • Implementar uma inovação de anúncio ou feature de mídia;

  • Não fazer um site novo, fazer uma landing page nova;

  • Trocar o remetente de campanhas de e-mail marketing;

  • Em social media, concentrar esforços em um POST PRINCIPAL;

  • Ativar e/ou desativar palavras-chave em links patrocinados de acordo com desempenho orgânico;

  • Otimizar em SEO palavras-chave que performam bem em mídia;

  • Identificar uma página que precisa de Link Building para crescer e montar um plano de ação;

  • Criar um conteúdo inovador para gerar demanda de um novo assunto;

  • Etc, etc, etc.

Como você pôde reparar, os Quick Wins na prática não são nada de outro mundo.

Mas se os Quicks Wins realizados ao longo do tempo forem assertivos, os resultados poderão ser incríveis.

Mas é muito importante ressaltar que o Quick Win depende muito do contexto.

Ou seja, não é porque funcionou em um lugar que vai funcionar em outro.

E, para falar a verdade, os melhores Quick Wins funcionam melhor em um único projeto.

Por quê? Porque o Quick Win deve ser uma ação única, pois está buscando oportunidades únicas.

Certo… mas como eu gero um Quick Win?

Dicas para fazer um bom Quick Win

Como você pôde perceber, o mais importante no Quick Win é a que ele responde, qual problema ele resolve.

O Quick Win é sempre uma resposta prática, simples e objetiva a algum problema identificado.

Portanto, se você quer fazer bons Quick Wins, deve desenvolver a arte de identificar soluções para problemas.

E para conseguir fazer isso tudo, o AMBIENTE/CONTEXTO onde se está inserido será muito importante (mas não determinante).

Portanto, os Quick Wins costumam ser resultados de um conjunto de pessoas trabalhando juntas num mesmo objetivo, compartilhando ideias etc.

Afinal, se você quer ir rápido, vá sozinho. Mas se quer ir longe, vá junto.

Naturalmente, não há regras para gerar Quick Wins, mas aqui vão algumas dicas (simples até) que considero valiosas:

  • Tenha KPIs bem definidos para um projeto e acompanhe constantemente o seu desempenho;

  • Faça análises de dados do que mais impacta nesses KPIs;

  • Faça reuniões de brainstorm com pessoas envolvidas para entender quais são os problemas a serem resolvidos;

  • Analise as curvas do Google Trends;

  • Mantenha proximidade com todos os envolvidos no projeto e entenda os seus objetivos;

  • Pergunte por ideias de coisas para os envolvidos (essa é simples e muito eficiente);

  • Acompanhe comentários em redes sociais e blog;

  • Mantenha-se próximo dos reports de Business Intelligence;

  • Gere insights sobre um site, uma marca e o mercado;

  • Tenha um mindset de Performance Criativa;

  • Faça benchmark o suficiente (nem de menos, nem demais);

  • Consuma dados, dados e mais dados!

Mas o Quick Win não é tudo — o pensamento de longo prazo continua fundamental

O Quick Win tem sido fundamental no crescimento de nossos clientes.

Com aplicação de Quick Wins, temos conquistado excelentes resultados.

Ele traz uma visão do curto prazo e do que realmente deve ser feito.

Mas cuidado para não se cegar muito com o Quick Win.

A visão de longo prazo continua fundamental, e o planejamento é indispensável.

No contexto em que vivemos, digamos que ter 80% do tempo dedicado a Quick Wins e 20% a longo prazo pode ser o ideal.

Em nossos projetos de SEO, por exemplo, trabalhamos muito com Quick Wins, mas seguimos uma metodologia de SEO.

O Quick Win é muito ligado à AÇÃO, ou seja, ao que é feito, mas não podemos esquecer que há ainda o COMO e, principalmente, o POR QUÊ.

Quais resultados posso esperar trabalhando com Quick Wins?

Precisar resultados é sempre difícil, porque não há uma regra geral.

Mas temos cases de aumento de até 400% de performance sobre uma base boa, em que se aplicaram Quick Wins sistematicamente durante 12 meses.

Mas, sem dúvida, trabalhar com Quick Wins irá melhorar o resultado.

Quanto mais “low hanging fruits” em alguma coisa, maiores são os potenciais resultados de grande importância individualmente falando.

E o resultado também dependerá do orçamento. Geralmente, para crescer os resultados, o investimento e os esforços tendem a aumentar.

Então, a questão não é somente sobre reduzir custos, mas sobre ter um marketing digital para poder escalar.

E esse é mais um motivo para trabalhar com Quick Wins: num cenário de escala, eles ajudam a melhorar a eficácia e, consequentemente, isso impacta bem na eficiência.

É isso, espero que tenham gostado!

A Conversion na mídia
Rede Globo de Televisão SBT Rede Record TV Bandeirantes Portal do UOL Yahoo Notícias Diário do Comércio e Indústria
Voltar ao Topo
fechar

Solicite Orçamento