Conteúdo útil: o futuro de seus textos passa por ele

Diego Ivo
Diego Ivo

Já disse e repito: o Google Helpful Content Update é uma das atualizações mais importantes de todos os tempos, não só pelos efeitos que já trouxe mas pela mensagem que o buscador passa. Em seu lançamento, o Google falou em conseguir priorizar conteúdos “de pessoas para pessoas”, também dando a entender que irá combater conteúdos gerados por inteligência artificial.

Conteúdos criados tendo como principal objetivo rankear bem nas buscas não terão altas classificações, segundo o Google. O sistema identificará estes conteúdos, não originais, de baixa qualidade e que contenham informações irrelevantes, e estes serão despriorizados nos resultados. Os sites identificados por esta atualização podem ser prejudicados dentro de alguns meses.

Como criar conteúdos que priorizam pessoas

Cada vez mais, o Google recompesará estratégias de marketing de conteúdo que entregarem uma boa experiência aos usuários. Mas como saber se seu conteúdo se encaixa nesse grupo? Segundo o Google, se você responder sim à essas questões, você está no caminho certo:

  1. Você tem um público-alvo que acharia o conteúdo útil se chegasse diretamente a ele?
  2. Seu conteúdo demonstra expertise e um profundo conhecimento (por exemplo, experiência de ter realmente usado um produto ou serviço ou visitado um lugar)?
  3. Seu site tem um propósito ou foco principal?
  4. Depois de ler seu conteúdo, alguém sairá sentindo que aprendeu o suficiente sobre um tópico para ajudar a atingir seu objetivo?
  5. Alguém lendo seu conteúdo terá a sensação de ter tido uma experiência satisfatória?
  6. Você está levando em consideração as orientações para os Core Updates e Product Reviews Updates?

Pare de criar conteúdos que focam apenas no rankeamento nas buscas

O Google garante que suas atualizações voltadas ao foco no usuário não invalidam as práticas de SEO. Pelo contrário, o SEO pode e deve ser utilizado para criar a melhor experiência possível para o usuário e, consequentemente, melhorar seus resultados na busca.

Para entender mais sobre como criar conteúdos úteis, veja o tópico Conteúdo Omnichannel.

Conteúdos nem tão longos

Durante algum tempo, a produção de conteúdos longos, extensos e cansativos se tornou moda. O motivo de tanto conteúdo longo? Porque era melhor para rankear, e de fato tínhamos mais resultados com alguns conteúdos longos.

Mas o Google tem conseguido entender que um conteúdo curto pode ser muito melhor que um conteúdo longo, desde que ele não seja tão pequeno que não informe nada, nem tão longo que não enrole e roube o precioso tempo de seu leitor.

Naturalmente há muito espaço para conteúdos longos, assim como curtos. Porém, o grande “xis” aqui é que as empresas deverão investir numa produção de conteúdo que vá além de simplesmente reproduzir informações de outras páginas, mas trazer conteúdos únicos. Só assim teremos, realmente, conteúdos úteis.

Vá além do óbvio e produza conteúdos realmentes únicos

Para mim, existe um grande problema hoje no Google: os conteúdos da primeira página são cada vez mais homogêneos e pouco originais. Não são poucas as vezes que todos os dez resultados trazem a mesma informação dita, entretanto, de modos diferentes.

E eu entendo que se faça assim porque dá resultado, mas é a hora de começar a mudar isso e ter conteúdos realmente únicos. Por mais paradoxal que possa parecer, a web não é necessariamente o melhor lugar para pesquisar conteúdo da web, porque tende a gerar uma redundância de informação.

Pensando nisso, criei o conceito do conteúdo omnichannel que, pra dizer a verdade, ainda não levei muito adiante. Conteúdo omnichannel é quando o conteúdo é o mesmo no on e no off da empresa, criando uma unidade de comunicação e de informação, focada na experiência do usuário.

Entreviste pessoas

Uma ótima forma de fazer isso é, por exemplo, entrevistar pessoas do time, como vendedores, operação, suporte, etc., que conhecem as dores e as soluções do consumidor, muitas vezes muito mais que o departamento de marketing.

Desta forma, uma loja que, por exemplo, venda capotas marítimas ou barracas de camping poderá trazer a informação que o vendedor de uma loja tenha para o site na web, criando uma unidade de comunicação e resolvendo muito mais a dor do usuário.

Chegou a hora dos conteúdos serem assinados

Conteúdos pouco originais são muito frustrantes, assim como conteúdos que não sabemos quem escreveu ou assinou. A assinatura traz o aval de quem diz aquilo, o que é fundamental no EAT. Além de ser importante para dar personalidade, redatores que têm autoridade a transmitem para sua marca.

Uma boa ideia é trazer logo no cabeçalho, abaixo do título do post, o nome, a foto, a função ou brevíssima descrição e link para alguma rede social de relevância, mostrando que existe uma pessoa, uma autoria atrás do que está sendo dito. Isto, aliado, a informações únicas escritas no conteúdo será cada vez mais poderoso!

Content Pruning

Content Pruning já estava ficando forte nos últimos anos, mas com a chegada do Google Helpful Content Update essa técnica vai se tornar talvez uma das mais importantes em SEO.

Content Pruning é, em tradução livre, poda de conteúdo. Em SEO, é o ato de eliminar conteúdos antigos sem valor em seu site ou blog, ou editá-los ou ainda reescrevê-los totalmente do zero.

O olhar para a poda de conteúdo ganha muita importância na medida em que muitos sites cresceram focados em gerar mais e mais volume de conteúdo, sem olhar tanto para a qualidade dele. Com o novo algoritmo do Google, o próprio buscador já falou, será possível que páginas boas percam tráfego por estarem em sites com muitos conteúdos inúteis.

Como produzir conteúdo de qualidade? Revise os nossos tópicos de conteúdo omnichannel e conteúdo útil.

Conclusão

Uma das principais tendências de SEO para 2023 e os próximos anos serão os conteúdos úteis. Mas para poder fazê-lo é preciso mudar o mindset que vemos muito por todo o mercado de conteúdos voltados para mecanismos de busca, bem como o Google parar de priorizá-los (o que gradativamente está acontecendo.)

Em minha opinião, o principal problema na produção de contéudos é que exista pesquisa em outros sites que já estão rankeados. Deste modo, nada de novo, de diferente e de único é levado para o cliente – a não ser a forma de ser escrito. Mas o leitor está mais interessado na qualidade e orignalidade da informação que no estilo da escrita.

Escrito por Diego Ivo

Escrito por Diego Ivo

Diego é CEO da Conversion, agência Líder em SEO e especializada em Search. Possui mais de uma década de experiência no mercado digital e é um dos principais experts no Brasil em SEO.

Escrito por Diego Ivo

Escrito por Diego Ivo

Diego é CEO da Conversion, agência Líder em SEO e especializada em Search. Possui mais de uma década de experiência no mercado digital e é um dos principais experts no Brasil em SEO.

Compartilhe este conteúdo
Compartilhe
Receba o melhor conteúdo de SEO & Marketing em seu e-mail.
Assine nossa newsletter e fique informado sobre tudo o que acontece no mercado
Agende uma reunião e conte seus objetivos
Nossos consultores irão mostrar como levar sua estratégia digital ao próximo nível.
>