Marketing de Conteúdo: TUDO o que você precisa saber em 2019 + 10 DICAS!

Por ,
em

Conteúdo é o presente e futuro do Marketing.

Independentemente de qual seja o objetivo da sua marca, o Marketing de Conteúdo deve fazer parte desse processo.

E não digo isso só porque faço parte da área de conteúdo da Conversion, digo isso porque Marketing de Conteúdo realmente funciona.

Vimos os resultados surpreendentes que o conteúdo pode proporcionar aos nossos clientes e, inclusive, ao próprio site da Conversion.

(Separei parte desses resultados para te mostrar logo adiante.)

Mas, antes de começarmos a nos aprofundar no vasto universo que é o Marketing de Conteúdo, é importante que você saiba de algo que consideramos fundamental:
As estratégias de conteúdo estão fortemente relacionadas à maneira como o público enxerga a sua marca e dá valor a ela.

As palavras têm o poder de transformar, de convencer, de emocionar e de persuadir.

E é por isso que conteúdo deve estar associado às estratégias de Marketing Digital.

Se você é um profissional de Marketing ou mesmo um dono de alguma empresa, já deve ter reparado o poder que um bom conteúdo tem em relação a uma marca.

Agora, se você é um curioso ou alguém que está começando na área, com certeza já viu que grandes empresas como a Netflix, por exemplo, são, também, grandes produtoras de conteúdo.

Naturalmente as marcas desejam ser compartilhadas, consumidas e lembradas, mas não há jeito de promover esse tipo de situação sem conteúdo relevante.

Por causa disso, resolvemos criar este Guia Completo de Marketing de Conteúdo.

Nos próximos minutos, você conhecerá TUDO o que sabemos sobre essa estratégia e descobrirá como isso pode levar os resultados de uma marca a outro patamar.

Neste artigo, você conhecerá um Marketing de Conteúdo orientado a dados e que visa entregar uma experiência positiva ao público.

Para te ensinar isso, vou mostrar como o Marketing de Conteúdo foi aplicado aqui, no site da Conversion, e fez o nosso potencial de tráfego orgânico crescer 160% em poucos meses!

Separei ainda as dicas de ouro para você implementar em suas estratégias de conteúdo e começar ainda hoje.

E tem mais!

Tão importante quanto as dicas, vou falar sobre os três erros que profissionais de Marketing de Conteúdo devem conhecer e começar a evitar ainda hoje.

Se preferir, vá direto ao tópico de seu interesse utilizando o índice abaixo:
Tópicos do conteúdo

  1. O que é Marketing de Conteúdo
  2. A definição do termo Marketing de Conteúdo
  3. Os 10 objetivos que o Marketing de Conteúdo pode ajudar a atingir
  4. As 10 dicas de OURO para quem está começando em Marketing de Conteúdo
  5. Como identificar qual é a experiência que o seu conteúdo está proporcionando ao usuário
  6. [Case] Como o Marketing de Conteúdo fez o site da Conversion crescer mais de 160% em apenas quatro meses!
  7. [Extra!] Os 3 ERROS que profissionais de Marketing de Conteúdo precisam conhecer e evitar
  8. Conclusão: com este Guia, a sua estratégia de Marketing de Conteúdo tem tudo para dar certo

Para começar: o que é Marketing de Conteúdo?

Em vez de simplesmente oferecer um produto ou serviço, a sua marca tem oferecido valor ou algo realmente relevante para seus clientes ou consumidores em potencial?

O Marketing de Conteúdo está justamente relacionado àquilo que se oferece ao consumidor e, por conta disso, à maneira como ele enxerga uma marca.

Para quem nunca tinha ouvido falar sobre esse tema, o Marketing de Conteúdo pode parecer uma estratégia criada recentemente, mas isso não é verdade.

Essa estratégia existe há muito tempo e todos nós interagimos com ela, principalmente na internet.

Ela somente ainda não tinha esse nome, mas, acredite: é utilizada há centenas de anos.

Para que você entenda de vez esse conceito, vou contar uma breve história do Marketing de Conteúdo, a partir de alguns cases interessantes.

Você precisa conhecer esses cases de Marketing de Conteúdo

Ao longo do século 19, já era possível encontrar estratégias de Marketing de Conteúdo que causavam impacto nas pessoas.

No livro Marketing de Conteúdo Épico, de Joe Pulizzi, um dos principais nomes da área, o autor conta sobre alguns desses casos clássicos.

Neste artigo, quero destacar dois deles.

A primeira história do Marketing de Conteúdo é sobre uma revista para fazendeiros

A primeira história é a da revista “The Furrow”, que, hoje, é considerada um dos primeiros cases de Marketing de Conteúdo.

Em 1895, uma empresa que vendia tratores para fazendeiros chamada John Deere decidiu criar revistas para seus clientes.

Na época do lançamento, a proposta da empresa não era necessariamente vender seus tratores, mas, sim, apresentar novas tecnologias e levar informações úteis a fazendeiros que desejavam melhorar o seu negócio.

Mas o que motivou isso?

Os fazendeiros não podiam comprar soluções e tecnologias que não conheciam e que, portanto, não sabiam sobre a sua utilidade.

Assim, era possível que cada leitor conhecesse as novidades do mercado e, em função disso, se interessasse pelos produtos da marca.

A revista tornou-se uma das grandes referências da área e existe até hoje.

Revista Marketing de Conteúdo

(Revista “The Furrow”, edição de 1897. Reprodução: Contently.)

A segunda história foi por volta de 1980. A LEGO utilizou o Marketing de Conteúdo para passar a sua concorrência e ainda hoje é a gigante de seu segmento

A segunda história que quero contar aconteceu por volta de 1980 e 1990, momento em que a empresa de “brinquedos de construção” LEGO enfrentou uma ameaça diante de seus concorrentes.

Na época, a LEGO era a única empresa que produzia as famosas pecinhas de montar para crianças.

Não demorou muito para surgirem concorrentes, como a marca Tyco Toys, existente na época.

A empresa precisou, assim, consolidar seu nome e trabalhar em consciência de marca.

Surgiu, então, uma estratégia de conteúdo poderosa.

Em 1987, a LEGO lançou a “Brick Kicks”, uma revista interativa para os seus fãs.

E, desde então, a empresa se consolidou não só como a gigante de seu segmento, mas também como uma referência quando o assunto é produção de conteúdo.

Hoje, os “brinquedos LEGO” são assistidos até no cinema!

A marca conta a história de seus personagens e oferece conteúdos interativos para seu público ainda hoje, como o Parque Legoland, localizado em Orlando, na Flórida.

Marketing de Conteúdo LEGO

(Edição #1 “Brick Kicks”, LEGO. Reprodução ComicBookRealm.com)

A definição do termo Marketing de Conteúdo

Agora que você conheceu um pouco da história do Marketing de Conteúdo, fica mais fácil falarmos da definição do termo propriamente dito.

É interessante destacar a definição de Marketing de Conteúdo feita por Philip Kotler no livro Marketing 4.0 do Tradicional ao Digital (que, inclusive, recomendo a leitura).

Segundo Kotler, Marketing de Conteúdo é “um conjunto de atividades relacionadas a criar e distribuir conteúdo que seja relevante para a vida dos consumidores, mas também fortemente associado a determinada marca”.

É por meio de conteúdo relevante para as pessoas que as marcas ganham valor.

Perceba que, nessa última frase, primeiramente aparece a palavra “pessoas” e, depois, “marca”.

Em estratégias de Marketing de Conteúdo, a ordem acaba sendo justamente essa, como você poderá ver mais adiante, no tópico sobre como iniciar em Marketing de Conteúdo.

Mas, antes, vale saber que o Marketing de Conteúdo está relacionado a uma série de objetivos, que serão aprofundados a seguir.

Os 10 objetivos que o Marketing de Conteúdo pode te ajudar a atingir

O Marketing de Conteúdo pode ser usado para atingir uma série de objetivos.

Os profissionais da área podem usar essa estratégia para conscientizar marcas, educar público, fortalecer credibilidade e confiança, gerar demanda, captar leads e muito mais.

Segundo um estudo divulgado pelo Content Marketing Institute (CMI), os principais objetivos do Marketing de Conteúdo para empresas B2B são:

Gráficos Marketing de Conteúdo

Os objetivos do Marketing de Conteúdo variam de acordo com as necessidades de cada marca e, portanto, devem estar relacionados às estratégias de Marketing Digital como um todo.

Vale a pena aprofundarmos mais sobre cada um dos 10 objetivos listados, para que você escolha aquilo que mais se adapta aos seus objetivos.

Importante:

Você perceberá que grande parte desses objetivos está interligada e um contribui para a evolução do outro.

Acompanhe.

1. Criar reconhecimento de marca

Criar reconhecimento de marca é o objetivo de 81% dos profissionais de Marketing de Conteúdo entrevistados.

O Marketing de Conteúdo é um grande aliado para quem deseja construir uma percepção de marca e, assim, autoridade em relação a um determinado assunto.

Por se tratar de uma maneira orgânica e autêntica de alcançar a audiência, essa é uma excelente forma de as marcas começarem (ou aprimorarem) seu envolvimento com o público.

É, basicamente, fortalecer a presença da marca.

Quando falamos em reconhecimento, estamos falando de colocar a marca na mente das pessoas de uma maneira positiva e, se possível, associarmos o nome dela àquilo que ela oferece.

Esse é um processo construído aos poucos e está relacionado a outros objetivos listados, como construção da credibilidade, educação do público, engajamento e criação de demanda, por exemplo.

O reconhecimento está fortemente relacionado à autoridade e, também, à maneira como a marca se posiciona.

Veja esse exemplo:

Quando ouvimos falar da marca OMO, por exemplo, a primeira coisa em que pensamos é sabão em pó, não é mesmo?

Esse reconhecimento se deve ao trabalho de autoridade e de reconhecimento que a marca vem desempenhando ao longo de seus anos de existência.

Mas não pense que somente marcas grandes podem ter reconhecimento de marca.

Marcas que estão começando podem seguir esse objetivo, associando o Marketing de Conteúdo com estratégias de Branded Content.

2. Educar a audiência

Um dos pilares do Marketing de Conteúdo é educar a audiência.

Quando as pessoas fazem pesquisas na internet, elas estão em busca de soluções para seus problemas, sejam eles profissionais ou pessoais.

Isso quer dizer que elas buscam por informações relevantes e úteis.

As estratégias de Marketing de Conteúdo estão relacionadas a oferecer aquilo que o usuário precisa exatamente no momento em que ele precisa.

Isso quer dizer que, ao fazer uma pesquisa no Google, por exemplo, o usuário está procurando algum tipo de solução sobre aquilo que ele precisa no momento.

Uma excelente maneira de iniciar com Marketing de Conteúdo para educar a audiência é criar um blog e utilizar esse canal para divulgar informações relevantes, que as pessoas desejam saber.

Esse é um objetivo de longo prazo.

Para alcançar resultados, isso deve estar relacionado a estratégias para posicionamento orgânico em mecanismos de busca, utilizando para isso técnicas de SEO (sigla para Search Engine Optimization).

3. Construir credibilidade/confiança

Reconhecimento de marca e educação da audiência levam, naturalmente, à construção de credibilidade e confiança.

Conteúdo está ligado a confiança.

Oferecer informações relevantes para o seu consumidor é fundamental para a criação de uma consciência de marca positiva e que gera valor.

Quando existe uma confiança entre marca e público, é muito mais provável que as pessoas comprem seus produtos.

Ao oferecer um conteúdo relevante, a marca pode acabar se tornando referência em seu segmento e, assim, fortalecer a sua presença no mercado.

Ainda de acordo com a pesquisa do CMI, 96% dos profissionais que utilizam Marketing de Conteúdo consideram que o público vê a sua marca como confiável.

E 68% deles usaram estratégias de Marketing de Conteúdo inicialmente para criar essa credibilidade.

4. Conquistar leads

Quando o objetivo da marca é conquistar leads, não há como não falar de Marketing de Conteúdo.

Leads são potenciais clientes, ou seja, pessoas que se interessam por seus produtos ou serviços.

Um lead surge quando, em troca de algo realmente valioso, a pessoa se disponibiliza a fazer parte da sua base de contatos, informando seu e-mail em um formulário, por exemplo.

É por isso que Marketing de Conteúdo e geração de leads andam juntos.

Uma pessoa só irá disponibilizar seu contato se a marca puder lhe oferecer algo de valor, ou seja, um conteúdo realmente relevante.

A produção de materiais exclusivos e educativos, como um e-book, por exemplo, é uma das maneiras de conquistar leads.

5. Manter a audiência engajada

Uma vez que a pessoa se disponibilizou a receber o contato, cabe à marca mantê-la engajada e ativa.

Para isso, o Marketing de Conteúdo está relacionado ao constante desenvolvimento de materiais ricos e que, de fato, mantenham o leitor em contato com a marca por muito tempo.

Já adianto que de nada vale disponibilizar um único conteúdo.

É necessário que a empresa se mantenha em desenvolvimento, que permita a interação entre marca e consumidor e que, principalmente, crie conteúdos que despertem desejo.

Para manter a sua audiência engajada, existem diversos recursos, como e-mail marketing e redes sociais, por exemplo.

6. Fidelizar clientes

Uma vez que há um engajamento entre marca e consumidor, é possível fidelizar clientes.

A fidelização de clientes, no entanto, é algo cada vez mais difícil e cada vez mais está relacionada à experiência do usuário.

Na pesquisa State of Marketing, da Salesforce, é possível ver números interessantes relacionados à experiência.

Graças à facilidade de acesso a informações, as pessoas têm valorizado ainda mais a experiência que uma marca oferece.

Segundo o estudo, 80% dos entrevistados afirmam que a experiência oferecida pela empresa é tão importante quantos seus produtos e serviços.

Qual é a experiência que a sua marca tem oferecido ao público?

A experiência do usuário está cada vez mais presente nas estratégias que desenvolvemos aqui, na Conversion.

Adiante, vou falar um pouco mais sobre a relação entre conteúdo e experiência, e revelar como isso fez o Blog da Conversion crescer X% nos últimos meses.

7. Levar pessoas a eventos presenciais

De acordo com a pesquisa da CMI, 49% dos profissionais de Marketing de Conteúdo têm como objetivo levar pessoas a eventos presenciais.

Naturalmente, esse objetivo está relacionado aos outros seis já destacados ao longo deste texto.

As pessoas estão tão envolvidas com a marca que estão dispostas a se locomover a um encontro presencial.

Mas, nesse caso, é importante ter alguns cuidados extras, pois uma experiência presencial insatisfatória pode simplesmente arruinar todos os esforços realizados no meio digital.

8. Vender

Ainda segundo a pesquisa do CMI, 45% dos profissionais utilizam o Marketing de Conteúdo com o objetivo de vender.

“Vender com conteúdo?”, você pode estar se perguntando agora.

É isso mesmo!

O Marketing de Conteúdo pode, sim, gerar venda, direta ou indiretamente.

Reconhecimento de marca, educação da audiência, credibilidade, fidelização… Tudo o que já falamos aqui contribui para vender, não é mesmo?

Esse tema já foi aprofundado aqui, no Blog da Conversion, pelo nosso CEO, Diego Ivo. Para saber mais, recomendo a leitura desse artigo.

9. Construir uma base de fãs da marca

Alcançar uma base de fãs é o sonho de qualquer marca.

Em Marketing 4.0, Kotler aprofunda os conhecimentos sobre fãs de marca.

Ele chama isso de Apologia.

A Apologia está relacionada ao momento em que “os consumidores podem desenvolver uma sensação de forte fidelidade à marca, refletida em retenção, recompra e defesa”.

Nesse momento, os consumidores são praticamente defensores e divulgadores que promovem uma marca de forma totalmente espontânea e gratuita.

Para alcançar essa tão sonhada posição na mente do consumidor, é fundamental desenvolver uma experiência singular, gerar desejo e fazer as pessoas se conectarem com a marca dia após dia.

10. Apoiar o lançamento de um novo produto (Criação de Demanda)

Até agora já vimos como o Marketing de Conteúdo pode contribuir para os mais diversos objetivos e que grande parte deles é complementar.

Vimos que conteúdos poderosos podem levar ao que Philip Kotler denominou como Apologia, isto é, o momento em que os consumidores se tornam defensores e promotores naturais de uma marca.

Agora, vou falar sobre como o conteúdo é fundamental para empresas que têm como objetivo a Criação de Demanda (ou Demand Creation).

Você precisa conhecer o conceito de Demand Creation.

Demand Creation é uma estratégia de Marketing poderosa e que tem como objetivo a criação do interesse e do desejo de compra de um produto ou serviço de uma marca.

Temos um artigo que fala de maneira detalhada sobre esse conceito que grandes marcas, como Nubank, Netflix, Spotify e Uber, utilizaram para alcançar o sucesso que têm hoje.

Para conferir, basta clicar nesse link sobre Demand Creation.

E o que conteúdo tem a ver com isso?

A conexão que o conteúdo promove entre marca e pessoas é fundamental para a criação de demanda, pois conteúdo transmite ideias e gera confiança.

Chegou até aqui e está convencido de que Marketing de Conteúdo é a estratégia que a sua marca precisa para alcançar objetivos?

Agora, é o momento de você saber como iniciar em Marketing de Conteúdo.

Continue a leitura.

O que é preciso para iniciar Marketing de Conteúdo

A primeira coisa que você precisa para começar com Marketing de Conteúdo é ter objetivos claros e com dados mensuráveis.

Somente a partir disso é possível planejar os próximos passos, identificar quais serão os recursos necessários e quais métricas deverão ser avaliadas ao longo desse processo.

A definição dos objetivos em Marketing de Conteúdo deve ser clara e de acordo com os objetivos da empresa frente às necessidades do consumidor

Para definir os objetivos da estratégia de Marketing de Conteúdo, é importante saber primeiramente quais são os objetivos da empresa e, em seguida, como o conteúdo poderá ajudar a alcançá-los.

Para isso, faça a seguinte pergunta: qual é o problema que a sua estratégia de Marketing de Conteúdo irá resolver?

Importante: qual problema do consumidor a sua empresa pode resolver?

Entender as dores do consumidor e como a sua marca pode ajudá-lo é fundamental para a produção de conteúdo relevante.

A cada conteúdo produzido (seja ele textual, audiovisual ou visual) devemos entregar resposta, valor e transmitir confiança.

Para tanto, é necessário compreender quem de fato é a pessoa com quem se está falando; quais são seus desejos; onde ela costuma buscar informações; quais canais de interação ela utiliza; que formato de conteúdo é o mais adequado etc.

Essas definições são levantadas por meio de dados, pesquisas de mercado, segmentação de clientes e uma série de fatores que levam à criação de uma persona.

[Atenção] Marketing de Conteúdo não é sobre a marca exclusivamente, é sobre o público

Quando se fala sobre estratégias de Marketing Digital, é muito comum pensarmos na marca: na maneira como ela quer aparecer e se posicionar, por exemplo.

Mas, em produção de conteúdo e, principalmente, na definição das estratégias de Marketing de Conteúdo, estamos falando primeiramente sobre o público.

Falamos sobre o que vamos oferecer a ele e em seguida acompanhamos como ele reage em relação a isso e, assim, enxerga a sua marca.

É por isso que falamos muito aqui, na Conversion, sobre conteúdo orientado a dados.

Afinal, é a partir dos dados que conseguimos identificar oportunidades e avaliar a eficácia daquilo que estamos entregando às pessoas.

[2019] 90% dos profissionais de Marketing de Conteúdo B2B têm colocado as necessidades do público em primeiro lugar

Uma pesquisa criada pelo Content Marketing Institute (CMI) demonstrou que as necessidades do público são um dos pilares das estratégias de Marketing de Conteúdo.

A edição de 2019 da pesquisa B2B Content Marketing Research mostra como os profissionais de Marketing de Conteúdo têm encarado os desafios da área.

Segundo Lisa Beets, Diretora de Pesquisa do CMI, colocar as necessidades do público em primeiro lugar é essencial para “marcas que desejam ser encontradas, consumidas, compartilhadas e discutidas pelas pessoas certas”.

Não tem jeito!

Cada vez mais, temos percebido que não há como evoluir em conteúdo sem pensar em nossos consumidores.

As 10 dicas de OURO para quem está começando em Marketing de Conteúdo em 2019

Hora de colocar a mão na massa e iniciar em Marketing de Conteúdo.

Você já deve ter percebido que trabalhar com conteúdo não é tão simples quanto poderia parecer.

Mas com as dicas que separei ficará muito mais fácil iniciar nessa estratégia e alcançar excelentes resultados.

Eu mesma queria ter lido essas dicas quando comecei a trabalhar com conteúdo.

Por isso, resolvi listar as dicas que considero fundamentais para quem está começando.

Aproveite e comece já a colocar em prática!

1. Segmente o seu público: saiba com quem você está falando

Não há como produzir conteúdos eficientes sem ter uma segmentação de clientes bem definida.

Ao saber com quem estamos falando, é mais fácil entregar exatamente aquilo que a pessoa precisa.

Um conteúdo não poderá atender a todos. Afinal, cada pessoa tem necessidades diferentes e está em fases diferentes de um Funil de Vendas.

Por isso, na hora de produzir qualquer tipo de conteúdo, é importante saber a quem ele será direcionado.

2. Conheça o seu público de maneira profunda e ofereça aquilo que ele realmente deseja

A partir da segmentação de clientes, é possível identificar dados que ajudarão na hora de criar uma visão clara de quem exatamente é a pessoa com quem você está falando.

Chamamos isso de persona.

Ao criar uma persona é possível conhecer ainda mais as necessidades do seu público, bem como suas dores, seus desejos e suas limitações.

Não é fácil criar a persona perfeita logo no começo.

É necessário utilizar dados e ir aperfeiçoando essa persona, ao longo dos resultados e dos seus aprendizados durante a estratégia.

3. Faça pesquisas de palavras-chave

Uma vez definido qual é o público ao qual o seu conteúdo será direcionado, é importante identificar o que exatamente as pessoas querem saber.

Para isso, pesquisa de palavras-chave é fundamental.

Costumamos dizer que palavras-chave são guias.

Elas nos ajudam a entregar exatamente aquilo que o consumidor precisa e, também, a identificar em qual momento de compra ele está.

Dica: Ubersuggest é uma ferramenta totalmente gratuita para pesquisas de palavra-chave.

Além de apresentar o volume de buscas de um determinado termo, ela mostra palavras-chave relacionadas e que podem ser usadas para o direcionamento dos conteúdos de seu site, por exemplo.

Conforme a imagem abaixo:

Marketing de Conteúdo Ubersuggest

4. Apoie sua estratégia de conteúdo a uma jornada do consumidor

Conhecer as etapas da Jornada do Consumidor é uma boa maneira de iniciar em conteúdo.

Jornada do Consumidor (ou Buyer Journey) é um modelo utilizado para definir em que estágio do processo de compra o consumidor está.

Podemos separar essa jornada em quatro estágios: descoberta, reconhecimento, consideração e decisão.

Montei um breve esquema para que você aprenda de maneira rápida sobre a Jornada do Consumidor:

Jornada do Consumidor

DICA: Com base nas pesquisas de palavras-chave é possível identificar em qual desses estágios o consumidor está.

Dessa forma, é possível desenvolver formatos e tipos de conteúdo adequados para cada um desses estágios.

Um conteúdo bem planejado e bem desenvolvido é o que faz com que estranhos possam se tornar defensores de uma marca.

É por isso que é fundamental apoiar a estratégia de Marketing de Conteúdo com a Jornada do Consumidor, ou, melhor dizendo, com a jornada do seu consumidor.

Digo a “jornada do seu consumidor” porque, embora exista essa jornada de compra esquematizada, isso não é uma regra.

Entender sobre o conceito de Jornada do Consumidor é um ótimo ponto de partida.

No entanto, o processo de conhecimento de marca até a fidelização de clientes pode acontecer de diversas formas, cabe entendermos e acompanharmos as ações do nosso público.

5. Diversifique os formatos de conteúdo e avalie qual deles gera melhores resultados

Principalmente para quem está começando, diversificar os formatos de conteúdo pode ser um excelente método para acompanhar quais deles têm mais a ver com o seu público.

Há muitos formatos de conteúdo!

É possível criar um blog para divulgação de artigos; produzir conteúdo em formatos para divulgação em redes sociais; ou mesmo criar um canal no YouTube para divulgar seus vídeos.

Dependendo da estratégia, pode-se fazer uma integração e aproveitar o melhor de cada recurso, utilizando blog, redes sociais, e-mail marketing etc.

6. Quer resultados de curto prazo? Invista em campanhas patrocinadas

Se for possível investir em campanhas patrocinadas, esse pode ser um excelente método para agilizar seus resultados em Marketing de Conteúdo.

Principalmente para marcas novas nessa área, a divulgação de conteúdos deve estar apoiada em investimento em mídias de performance.

Isso quer dizer que você irá pagar para divulgar o seu conteúdo.

Ao criar uma página no Facebook, por exemplo, você pode pagar para o Facebook divulgar seus conteúdos para o seu público em potencial.

É importante que esse investimento esteja apoiado em análises de retorno.

Você precisa avaliar se o público está interagindo com a publicação e qual é o retorno que o seu investimento está dando.

7. Desenvolva conteúdos responsivos

Desenvolver conteúdos que se adaptem a todas as telas de dispositivos é ideal para oferecer ao usuário uma experiência agradável.

Estamos em uma era mobile. Por isso, é fundamental produzir conteúdos que sejam facilmente lidos por dispositivos móveis ou por computadores.

Um blog, por exemplo, deve ter um formato que se adapte bem em um smartphone, um tablet ou mesmo uma tela de desktop.

8. Produza conteúdos exclusivos e que gerem desejo

O grande desafio do Marketing de Conteúdo é produzir conteúdos exclusivos e que gerem desejo.

É fundamental trazer informações úteis para as pessoas e que de fato irão levá-las a agir em relação a isso.

É claro que isso não é algo fácil.

Mas, para começar, pense na seguinte pergunta:

O conteúdo que a sua marca oferece é melhor do que os conteúdos criados pelos seus concorrentes?

Pense no que a sua marca pode fazer de melhor, quais serão os seus diferenciais.

9. Faça análises de dados e conhecerás melhor o seu público e a sua estratégia.

Em Marketing Digital, não há como desenvolver estratégias que realmente gerem resultados sem dados.
É a partir dos dados que é possível ter um conhecimento aprofundado do consumidor, entender o perfil e identificar uma persona.

É possível, também, acompanhar resultados e mensurar a força da marca; identificar oportunidades e tomar decisões cada vez mais complexas e assertivas.

10. Avalie a Experiência do Usuário: esse conteúdo é bom mesmo?

Experiência do Usuário é o presente e o futuro do Marketing de Conteúdo.
Identificar como o público está reagindo em relação àquilo que você está oferecendo é a melhor maneira de entregar conteúdos cada vez mais valiosos.

Para isso, utilize a metodologia de “Experiência do Conteúdo”, ou Content Experience.

Content Experience é uma metodologia dentro do Marketing de Conteúdo, porém, orientada a dados e que visa proporcionar a melhor experiência para o usuário, gerando conteúdos cada vez mais persuasivos.

Como identificar qual é a experiência que o seu conteúdo está proporcionando ao usuário?

Não há como responder a essa pergunta sem análises.

É por isso que o Content Experience é uma estratégia científica e totalmente orientada a dados.

Aqui, na Conversion, utilizamos essa metodologia para fazer melhorias contínuas em conteúdos, utilizando processos de SEO e mapas de calor.

No tópico a seguir, vou mostrar como o Content Experience fez o tráfego orgânico do site da Conversion crescer mais de 160% nos últimos meses.

[Case] Como o Marketing de Conteúdo e a metodologia Content Experience fizeram o site da Conversion crescer mais de 160% em apenas quatro meses!

A metodologia do Content Experience não é algo fácil de analisar e aplicar.

Mas acredite: vale MUITO a pena.

Essa é uma técnica indicada para sites que desejam melhorar a sua performance em buscas orgânicas.

Conseguimos fazer o tráfego orgânico do site da Conversion mais do que duplicar em apenas quatro meses.

Mas como?

Assim:

Fazendo análises de CTR (taxa de cliques em busca orgânica), de Tempo de Permanência (Dwell Time) e de Mapas de Calor (Hotjar).

Isso quer dizer que você precisará acompanhar como o usuário reage em seu conteúdo:

  • Quantas pessoas clicam na sua página nos resultados do Google;
  • Quanto tempo o leitor permanece lendo o seu texto;
  • Quais são os tópicos do seu texto pelos quais ele mais se interessa;

E, principalmente:

  • Quais são os tópicos em que ele sai do seu site, ou seja, em que o usuário perde o interesse pelo seu conteúdo e deixa a página.

Com essas informações você conseguirá aprimorar o seu conteúdo e entregar algo relevante para o seu público.

Para saber os detalhes do Content Experience, leia esse artigo:

Content Experience: Conteúdo no Topo das Buscas e Lido 10x Mais

[Extra] Os 3 ERROS que profissionais de Marketing de Conteúdo precisam evitar

Não produzir conteúdos pensando nas necessidades do seu público
Esse é, sem dúvidas, o maior erro que se pode cometer em Marketing de Conteúdo.

Criar conteúdos para interesse próprio e sem pensar naquilo que as pessoas realmente desejam saber vai arruinar a sua estratégia.

É por isso que as pesquisas de palavras-chave são um dos primeiros passos para começar a desenvolver conteúdo.

As palavras-chave são dados de interesses que os usuários fornecem e, por isso, são guias para a produção de conteúdos para a web.

2. Não utilizar técnicas de SEO para posicionamento em mecanismos de busca

SEO é a sigla para Search Engine Optimization e quer dizer Otimização para Mecanismos de Buscas.

Essa é com certeza uma das metodologias mais poderosas dentro do Marketing Digital.

Isso porque ela é utilizada para que o seu site apareça de maneira orgânica, isto é, sem patrocínio, entre os primeiros resultados de mecanismos de buscas como o Google.

Quem está pensando em desenvolver conteúdo para blog ou site deve dominar as técnicas de SEO e conhecer os fatores de ranqueamento utilizados pelo Google.

Sugiro a leitura desse artigo sobre conteúdo para blog para que você comece a otimizar seus textos e alcance o topo dos resultados orgânicos.
3. Não utilizar Call to Action
Call to Action (CTA) é, em tradução livre, uma Chamada para Ação.

Qual é a ação que o seu leitor precisa fazer após ter contato com o seu conteúdo?

Não pensar para onde o seu tráfego está indo é um dos erros que você deve evitar em Marketing de Conteúdo.

Você precisa conduzir o seu leitor assim que ele entra em seu site.

Utilize, então, CTAs que façam o usuário ter ações, como assinar a sua newsletter, ler um outro artigo do blog, comprar um determinado produto ou serviço…

Com este Guia, a sua estratégia de Marketing de Conteúdo tem tudo para dar certo

Como você pode ver, conteúdo é uma grande ferramenta de Marketing Digital.
Ele é usado por empresas de pequeno, médio ou grande porte em seus mais diversos objetivos.

Com o Marketing de Conteúdo, tenho certeza de que os resultados da sua marca serão cada vez maiores!

Para aprender mais sobre Marketing Digital e desenvolver estratégias ainda mais audaciosas, continue acompanhando o Blog da Conversion.

Precisa de apoio em sua estratégias de Marketing de Conteúdo? Fale com a gente!

Somos a agência de Marketing Digital para marcas que buscam Performance, Crescimento e Excelentes Resultados.

A Conversion na mídia
Rede Globo de Televisão SBT Rede Record TV Bandeirantes Portal do UOL Yahoo Notícias Diário do Comércio e Indústria
Voltar ao Topo
fechar

Solicite Orçamento