Link interno: veja as melhores táticas para trabalhar no seu site

Mariana Pessoa
Mariana Pessoa

Entre as muitas estratégias de SEO, existe uma que muitas vezes é subestimada: o uso dos links internos. Utilizando apenas recursos já existentes e pouco esforço, a linkagem interna deve ser utilizada para potencializar a performance das páginas de um site e deve estar no checklist de qualquer profissional de SEO.

Por isso, hoje vamos entender o que são esses links, a importância para SEO e como montar uma estratégia de sucesso com o recurso.

Links internos são links que apontam para páginas dentro de um mesmo site. Assim, ajudam usuários e os mecanismos de busca a encontrarem outros conteúdos dentro do seu site. 

Quanto mais links internos uma página recebe, mais importante ela será aos olhos dos mecanismos de busca. Além disso, isso também permite estabelecer a hierarquia de informação do site que está recebendo esses links.

Links internos e links externos são muito diferentes. Enquanto os links internos estão dentro do mesmo site, os externos são links que levam para outros sites fora do seu.

Os backlinks estão presentes em estratégias de link building e são importantes porque transmitem relevância de uma página para outra. Se quiser aprofundar em como essa relevância funciona, confira o conteúdo sobre Page Authority e Domain Authority da Conversion.

Existem dois tipos de links internos. Saiba mais sobre eles:

Os links contextuais são aqueles links que dependem do contexto para serem inseridos. Ou seja, em um texto sobre link building, faz sentido mencionar outros conteúdos sobre boas práticas, black hat, data driven-PR, entre outros.

Há também os links internos navegacionais, que como o próprio nome aponta, ajudam o usuário a navegar por um site. Esses links costumam estar no menu da estrutura de um site ou no rodapé. 

Trouxe abaixo o exemplo da Conversion. No menu superior, é possível encontrar temas-chaves e, através deles, conteúdos mais específicos.

Os links internos ajudam o robô a rastrear, indexar e entender as páginas de um site. Isso porque o Google rastreia links, sejam eles internos ou externos, através do Googlebot. Ou seja, os links fazem parte das etapas de funcionamento dos mecanismos de busca e, portanto, são essenciais para SEO.

Já na etapa de rastreamento e indexação, o link interno serve de apoio para o crawler encontrar novas páginas, sendo também um dos fatores de ranqueamento do Google.

Outro ponto de destaque é que links internos transferem autoridade. Sendo assim, é extremamente necessária para fortalecer a relevância da página e das páginas que estão linkadas dentro daquele conteúdo.

Portanto, incluir links internos dentro de páginas de um site é um fator importante para alcançar melhores posicionamentos na busca orgânica.

A partir de links internos, usuários conseguem encontrar facilmente novas páginas que possam interessá-los. Durante todo este texto, por exemplo, você verá textos âncoras com links, então caso um tema seja do seu interesse, basta clicar — não será necessário procurar.

Isso facilita muito navegar por um site, certo?

E quando se tratam de e-commerces, os links internos acabam ajudando ainda mais, pois permitem aos usuários encontrar novos produtos.

Leia também: Guia completo de SEO

Por que investir em linkagem interna?

Investir em links internos é o primeiro passo para uma estratégia de SEO de sucesso. Isso porque, além de sua importância para SEO que fora explicado acima, não é preciso de nenhum investimento além da construção de novas páginas e conteúdos para realizar a linkagem.

Ou seja: é a chave para qualquer site que quer ranquear no Google. E o melhor é que pode ser utilizado com os recursos que já existem, sem a necessidade de contar com terceiros.

Agora que você já sabe a importância da linkagem interna, vamos às boas práticas.

O texto âncora é um texto que fica visível e clicável, ou seja, redireciona para outra página. Oferecer um bom texto âncora é o que está, inclusive, nas diretrizes do Google para webmasters. 

O que muitos profissionais fazem é usar palavras-chave principal da página linkada como texto âncora. Além disso, é ideal que o texto contenha poucas palavras e dê contexto.

O que o Google não recomenda para criação de textos âncoras:

  • Escrever textos âncoras genéricos, como “página”, “artigo” ou “clique aqui”;
  • Usar um texto que não aborda o tema ou que não tem relação com o conteúdo da página linkada;
  • Usar o URL da página como texto âncora;
  • Usar textos âncora muito longos.

Por último, é importante lembrar de nunca usar o mesmo texto âncora para URLs diferentes. Isso pode confundir o Google e também os usuários.

Considerando que ao linkar para uma página é enviado autoridade e relevância para ela, uma estratégia que traz muitos resultados positivos é a de adicionar links para páginas importantes em outros conteúdos.

Como nem sempre é possível de forma contextual, uma ideia é fazer recomendações durante o conteúdo ou ao final, como próxima leitura. Assim, você reforça a importância daquela página sem precisar ir contra nenhuma boa prática.

O contrário também pode – e deve – ser feito. Tem alguma página que o posicionamento precisa melhorar? Adicione o link dela em algumas páginas que possuem relevância!

Para que a estratégia de linkagem interna funcione, é essencial que os robôs possam seguir os links. Por isso, certifique-se que esteja tudo certo no robots.txt do seu site em relação a isso.

Parece óbvio e até bobo trazer esse tópico, mas é normal acontecer de um plugin ou atualização alterar tags importantes como essa. O bom é ficar de olho sempre!

Utilize a linkagem interna para melhorar a indexação

Como já dito anteriormente, os links ajudam o Google a rastrear e indexar, assim como identificar as páginas mais importantes de um site. E podemos usar isso ao nosso favor para melhorar, e até aumentar, o tempo de indexação de uma página.

Essa é uma estratégia legal para novas páginas, para que elas sejam indexadas e subam de posicionamento mais rápido, ou para as temidas páginas órfãs, que muitas vezes sofrem nos rankings pela falta de relevância da página.

Links internos são bons, mas não é nada agradável para o usuário ter que tomar cuidado porque a página está cheia de zonas clicáveis. Para isso, faça uso da linkagem interna estrategicamente e de forma contextual. Esse é o segredo!

Topic cluster para linkagem interna

Topic cluster é uma estratégia de criação e organização de conteúdos. Através dela, um grupo de posts relacionados são desenvolvidos a partir de um único conteúdo central e aprofundado, chamado de Pillar Post.

Com a estratégia, diversos links poderão ser criados com contexto e relacionais. Inclusive, links internos são indispensáveis aqui. Se tem dúvidas sobre a estratégia, é só conferir os cases de sucesso da Conversion com o uso dela.

Uma dica é sempre alimentar uma planilha ou documento com as páginas que vão sendo adicionadas ao seu site. Dessa forma, você terá sempre à mão quais são as principais, mais antigas e mais recentes páginas para utilizar nas estratégias de SEO.

Acredite em mim, quando o site passa de 50 páginas é essencial a existência de um arquivo como este.

Teoria dos 3 cliques de distância

Outro ponto importante para SEO é a distância de cliques. O indicado é que uma página esteja no máximo três cliques de distância do usuário. Quanto mais distante está uma página do usuário, menos relevância ela terá.

Quando uma página não estiver performando bem na SERP, uma boa ideia é otimizar com links internos. Para isso, basta encontrar links de conteúdos mais recentes e com uma boa performance, adicionando-os ao conteúdo.

Além disso, vale adicionar o link da página que não está performando bem em outras páginas do site como teste. Às vezes, tudo que uma página precisa é ser visitada pelos robôs para subir de posição.

Acompanhar links quebrados, principalmente em sites maiores, é essencial para manter os bons resultados e não afetar a experiência do usuário. Isso porque os links quebrados levam a uma quebra de expectativa, tanto do robô quanto do usuário, que quiseram acessar uma página e descobriram que ela não existe.

Além dos links internos, devemos lembrar que também podemos apontar para páginas externas, o que pode ser muito agregador a um conteúdo, principalmente quando citamos outra fonte para fortalecer a nossa ideia geral do texto.

Problemas mais comuns com o uso da linkagem interna

Apesar da linkagem interna ser uma das melhores estratégias — e mais simples também — de SEO, há alguns problemas que podem ocorrer. Confira os principais:

Links não rastreáveis são os links que estão no formato de um URL incorreto, seja com caracteres desnecessários ou algum parâmetro que deu errado. Ao encontrar este erro, verifique qual o problema e corrija.

Como dito acima, links internos precisam estar sempre com o atributo dofollow. Se os links internos do seu site estiverem com o atributo nofollow, você estará dizendo aos mecanismos de busca para não seguirem aquele link. 

Além disso, o atributo também não permitirá a transferência de relevância de uma página a outra. Ou seja, sua estratégia de linkagem interna não dará certo.

Para consertar o problema, é preciso verificar o atributo dos links e, caso encontre o nofollow, corrigir. É bem simples e numa auditoria técnica já é possível encontrar o problema.

Profundidade do rastreamento da página superior a três cliques

Quanto mais distante uma página estiver do usuário, o robô entende que elas não são tão importantes assim. Para ajustar, é preciso diminuir a distância dos cliques. Uma dica é criar mais categorias no site, assim suas páginas serão encontradas mais facilmente.

Links internos se referem à links cujo conteúdo das páginas deixou de existir, mas o link segue em outras páginas da Web, fazendo com que robôs e usuários acessem a página.

Este problema é bem comum e recorrente nos sites, pois eles não acontecem apenas com links internos, os externos também podem quebrar. 

Além disso, quanto maior o site, mais coisas você terá que fazer. Pode acontecer de excluir uma página, mas esquecer de checar se ela estava linkada em outras páginas. E aí surge o link quebrado.

Páginas órfãs

As páginas órfãs são chamadas assim porque não possuem links internos apontados para elas. Assim, são páginas que terão mais dificuldade de serem encontradas, principalmente pelo Googlebot, que utiliza os links como uma das formas de encontrar novas páginas.

Dessa forma, ter páginas órfãs em seu site ocasiona em má performance nos acessos e no posicionamento do Google. Afinal, a regra é clara: se uma página tiver muitos links internos apontados para ela, o Googlebot a visitará muitas vezes, mas se não receber… As visitas podem simplesmente não acontecer.

Cadeias de redirecionamento e loops

Alguns links são gatilhos para cadeias de redirecionamento e loops, afetando a experiência do usuário e do robô. Isso ocorre quando há mais de um redirecionamento entre a URL original e a URL final. 

Ao identificar o erro, é necessário acessar os redirecionamentos no site e fazer o ajuste manualmente para quebrar a cadeia e os loops.

HTTP significa HyperText Transfer Protocol, enquanto o HTTPS é o mesmo protocolo, mas com uma camada extra de segurança. Atualmente, este é o protocolo indicado para a Web e principalmente pelo Google.

Sabe quando você entra num site e há o aviso de que ele não é seguro? Muitas vezes a causa disso é a falta do certificado SSL, que garante o HTTPS.

Esse erro também é muito comum, mas sua correção é simples: ao encontrar links assim na auditoria, basta adicionar a URL correta com o HTTPS.

Redirecionamento permanentes

Como último problema comum de linkagem interna estão os redirecionamentos permanentes. Este erro ocorre quando algum link interno é redirecionado, mas não é realizado o trabalho de encontrar os links pelo site e mudá-los para o novo link. 

Nos dias de hoje, o que não falta são ferramentas para apoiar durante uma auditoria técnica. Uma das mais conhecidas é o Screaming Frog

Através da ferramenta, é possível realizar a auditoria focando na linkagem interna das páginas de um site. Após o web crawler rodar no site, acesse o relatório “Internal”, que oferece as informações detalhadas das páginas do site.

No relatório, estará disponível o número de links internos que cada página possui direcionada para si, que são chamados de “inlinks”. Há também a quantidade de links que direcionam para outras páginas dentro do mesmo site, os “outlinks”, e por fim os “external links”, ou seja, os links externos.

Com o Screaming Frog, ou outro crawler de sua preferência, também é possível encontrar links quebrados, redirecionamentos com problema e mais informações sobre os atributos e tags das páginas.

Conclusão

Depois da leitura do conteúdo, fica claro o quanto vale a pena investir em linkagem interna, certo? A depender do tamanho do site, algumas horas de mão na massa são suficientes para conseguir resultados excelentes.

No Workshop de Testes de SEO, por exemplo, o Diego Ivo realizou vários experimentos interessantes. Um dos deles foi de otimização de linkagem interna de um conteúdo que estava na 18ª posição na SERP. Ao final do experimento, a página já havia alcançado a 11ª. É por isso que eu sempre prego a palavra dos links internos!

Por último, caso você queira aprofundar no assunto e conhecer mais um estudo de caso interessante, indico a palestra “Taking internal linking to the next level” do Kevin Indig, ex-diretor de SEO na Shopify, que aconteceu no SEOday de 2022.

Escrito por Mariana Pessoa

Escrito por Mariana Pessoa

Mariana é estrategista de SEO e apaixonada por Marketing Digital. É também produtora de conteúdo no LinkedIn e escritora de ficção nas horas vagas.

Escrito por Mariana Pessoa

Escrito por Mariana Pessoa

Mariana é estrategista de SEO e apaixonada por Marketing Digital. É também produtora de conteúdo no LinkedIn e escritora de ficção nas horas vagas.

Compartilhe este conteúdo
Compartilhe
Receba o melhor conteúdo de SEO & Marketing em seu e-mail.
Assine nossa newsletter e fique informado sobre tudo o que acontece no mercado
Agende uma reunião e conte seus objetivos
Nossos consultores irão mostrar como levar sua estratégia digital ao próximo nível.
>