O que é busca orgânica e qual a sua importância nas estratégias de marketing

Mariana Pessoa
Mariana Pessoa

A busca orgânica refere-se a resultados não-pagos nos mecanismos de busca; as páginas aparecem lá por sua qualidade e não como publicidade paga

A busca orgânica, ou resultado orgânico, está presente em todos os mecanismos de busca. O termo se refere a resultados naturais, que não foram patrocinados para estarem na página de resultados do Google.

Quando o assunto é busca orgânica, estamos falando do que podemos alcançar sem investir em anúncios (ou links patrocinados). Ou seja, utilizando apenas o esforço de construir conteúdos e otimizar páginas para os mecanismos de busca. 

Esses resultados são gerados a partir de fatores de SEO, como qualidade do conteúdo, autoridade do domínio e backlinks. É, também, um dos pilares para empresas que desejam construir uma estratégia de inbound marketing relevante e duradoura.

Como funcionam os mecanismos de busca

Mecanismos de buscas são sistemas para realizar pesquisas na Web. Eles funcionam com um modelo de rastreamento > indexação > renderização e ranqueamento, para trazer os resultados mais relevantes na busca.

Existem muitos fatores de ranqueamento para classificação de uma página, mas os principais são:

Para melhorar o ranqueamento de uma página, o Google dá algumas dicas simples:

Importância da busca orgânica

A busca orgânica responde por 26,2% do tráfego de sites de e-commerce no Brasil, segundo relatório da Conversion, e é o principal canal acionável uma vez que, como você verá a seguir, o tráfego direto depende do resultado de criação de demanda.

Cada vez mais, o mercado prioriza os investimentos em SEO e Marketing de Conteúdo, que são causadores do aumento dos resultados orgânicos e, consequentemente, do tráfego de um site. 

Para 2022, profissionais de marketing pretendem alocar mais recursos para SEO, conforme constatou a pesquisa realizada pela Conversion com mais de 300 profissionais de marketing digital, e-commerce, vendas e growth. 

Mas isso não é só. 

O tráfego orgânico é o ponto de partida do trabalho de todo o profissional de SEO. É por causa dele que desenvolvemos, otimizamos e mensuramos uma estratégia de palavras-chave e conteúdo: queremos alcançar os melhores resultados orgânicos para o negócio. 

Se você quiser saber mais sobre essas estratégias, recomendo o guia completo de SEO para alcançar as primeiras posições na SERP. 

Ainda ressaltando o valor da busca orgânica, uma pesquisa da Conversion também revelou que 77% dos brasileiros confiam mais nesta busca aos links patrocinados. É importante pontuar também que os resultados, quando conquistados organicamente, possuem um tempo de vida muito mais longo que um anúncio, pois este desaparece a partir do momento que o dinheiro deixa de entrar.

Como saber o que é busca orgânica nas ferramentas?

Agora que está claro o que é uma busca orgânica, vamos conferir como diferenciá-la entre as demais fontes de tráfego de um domínio dentro das ferramentas mais utilizadas em Search Engine Optimization(SEO): Google Analytics e Google Search Console.

Google Analytics

O Google Analytics é uma ferramenta completa e indispensável para profissionais de marketing, e para SEO não seria diferente. Mas é preciso ficar atento: como são muitos dados diferentes e de vários canais, é comum analisar erroneamente, levando em consideração outros tipos de tráfego além do orgânico.

Para facilitar, vou compartilhar duas formas de conferir os resultados orgânicos no GA Universal.

Utilize os filtros do Google Analytics

Ao acessar qualquer página de dados do Analytics você vai se deparar com filtros. Um deles é, justamente, para escolher segmentos. Para chegar nele, você deve procurar por um quadrante onde estará escrito “Todos os usuários” e possui um círculo azul ao lado. É só clicar e uma nova página irá se expandir.

Nela, você vai ver vários segmentos e filtros que são muito legais de usar na hora de análises mais profundas. Um deles é o “Tráfego orgânico”. Utilizando este filtro, os dados da página mudarão e apenas os resultados que foram conquistados organicamente estarão disponíveis.

Selecione o canal orgânico no relatório de Aquisição

Outra forma muito simples de filtrar o tráfego orgânico é selecionando no relatório de Aquisição do GA. Para acessar é fácil: vá na barra lateral esquerda, onde está o menu com os relatórios. Vamos acessar o relatório de  “Aquisição”.

Clique em Aquisição para expandir a lista, vá até “Todo o tráfego” e escolha entre “Canais” e “Origem/mídia”. Ambos relatórios possuem a opção de tráfego orgânico, no entanto, as informações são diferentes, apesar de serem orgânicas.

  • Canais: acessando o relatório a partir de Canais, é só escolher o “Organic Search”. Os dados aqui são referentes a qualquer busca orgânica, independente do mecanismo de busca utilizado. 
  • Origem/mídia: diferente de Canais, neste relatório conseguimos escolher entre várias origens, o que inclui diferentes mecanismos de busca. No Brasil, o Google é o buscador mais utilizado, mas caso seu público esteja presente em outros países, analisar a partir de outros buscadores pode trazer muitos insights.

Se quer saber como esses dados são encontrados no Google Analytics 4, confira o artigo do Google Support que traz as diferenças entre as duas versões da ferramenta.

Google Search Console

Todas as métricas disponibilizadas no Google Search Console são orgânicas. A ferramenta, que veio para substituir o Google Webmaster Tools, foi construída para que profissionais possam acompanhar os dados de rastreamento, indexação e ranqueamento das páginas de um domínio.

No entanto, diferente do Google Analytics, os dados não são em tempo real. Existe um atraso de cerca de um dia entre as informações, então o recomendado é utilizar ambas as ferramentas para acompanhar o tráfego orgânico. E se quiser saber mais, a Conversion possui um guia completo do Search Console para te ajudar a entender melhor a ferramenta.

Quais são os tipos de tráfego?

Além do orgânico, existem mais quatro canais de tráfego que são importantes de conhecer e entender enquanto profissional de SEO. São eles:

Direto

O tráfego direto representa os visitantes que chegaram a uma página após digitar a URL no navegador, clicar no link de uma fonte offline (por exemplo, um PDF) ou de uma fonte não reconhecida pelo Google Analytics. 

Ao analisar este canal, precisamos pensar no macro. Se ocorreu um aumento nos acessos vindos do direto, a primeira coisa a fazer é entender se durante o período aconteceram ações de marketing que aumentaram o brand awareness (consciência de marca), ou outro evento que pode ter causado essa reação.

Além disso, alguns links postados em redes sociais podem não ser reconhecidos, fazendo com que a visita seja identificada como canal direto.

Tráfego pago

Como mencionado no início do artigo, o tráfego pago é referente aos acessos vindos através de anúncios ou links patrocinados. Este canal costuma andar lado a lado com o orgânico, isso porque uma das estratégias de mídias pagas é o remarketing, que permite personalizar os anúncios para pessoas que já visitaram um site ou página.

E-mail

Como o próprio nome já deixa claro, o tráfego vindo deste canal diz respeito aos visitantes que acessaram a página após clicar em links presentes num e-mail. É interessante analisar esses dados para compreender o engajamento do lead com a newsletter ou campanha de e-mail.

Social

O tráfego de social são os acessos recebidos a partir de links nas redes sociais, como o Instagram e Facebook. Os dados costumam ser analisados por um profissional de mídias sociais, mas também podem servir de insights para produção de conteúdo para blog ao entender o interesse dos usuários que vêm do canal.

Conclusão

O tráfego orgânico sempre foi importante para empresas, mas devido às mudanças de comportamento nos últimos anos e o investimento em mídias pagas cada vez mais pesado para obter resultados, o orgânico tornou-se essencial para qualquer negócio que deseja crescer. 

Por isso, o mercado para profissionais de SEO e Marketing de Conteúdo nunca esteve tão aquecido, e a tendência é apenas aumentar. 

Escrito por Mariana Pessoa

Escrito por Mariana Pessoa

Mariana é estrategista de SEO e apaixonada por Marketing Digital. É também produtora de conteúdo no LinkedIn e escritora de ficção nas horas vagas.

Escrito por Mariana Pessoa

Escrito por Mariana Pessoa

Mariana é estrategista de SEO e apaixonada por Marketing Digital. É também produtora de conteúdo no LinkedIn e escritora de ficção nas horas vagas.

Compartilhe este conteúdo
Compartilhe
Receba o melhor conteúdo de SEO & Marketing em seu e-mail.
Assine nossa newsletter e fique informado sobre tudo o que acontece no mercado
Agende uma reunião e conte seus objetivos
Nossos consultores irão mostrar como levar sua estratégia digital ao próximo nível.
>