20 exemplos de CTA (Call To Action): o que é e como fazer

Felipe Santos
Felipe Santos

Calls to action dominam a internet! Você clica em uma CTA para baixar um aplicativo, para se inscrever em uma newsletter, para comprar um produto e para acessar este artigo.

Você só chegou aqui pois o título do artigo te interessou e você clicou em um link para saber mais sobre o assunto, não é?

As CTAs exercem forte influência sobre o comportamento dos consumidores online e sem elas teríamos muito menos aplicativos em nossos celulares e inscrições aleatórias para receber um ebook de graça.

Neste artigo, vamos te mostrar como você pode aproveitar o potencial da call to action para gerar leads, convertê-los e vender mais. Entenda o que é CTA, como escrever, dicas e 20 exemplos práticos para usar como inspiração!

O que é CTA (Call To Action)?

CTA é a sigla para call to action, que significa “chamada para ação”.

Se trata de pedidos para incentivar os usuários a tomarem uma ação a partir de um ponto de interação com uma empresa, que pode ser por meio de um email, post de redes sociais, artigo de blog, estabelecimento, entre outros canais.

Ela funciona como uma ponte que conecta o consumidor à oferta da empresa, oferta essa que pode simples ou complexa, por exemplo:

  • Receber um ebook gratuito;
  • Comprar um produto em promoção;
  • Se inscrever em uma newsletter;
  • Acessar um artigo de blog;
  • Teste gratuito de ferramenta;
  • Acessar o site da empresa;
  • Curtir e compartilhar um post de redes sociais;
  • Entre outras.

Cada tipo de conteúdo e intenção por trás das interações demandam um call to action personalizado.

Um exemplo simples é o “se você gostou, curta e compartilhe”, que com certeza você já leu por aí. Aqui mesmo no site temos várias CTAs: na parte superior direita da tela, há um botão “Agendar Reunião”. Essa call to action é para quem já está mais avançado no funil e deseja contratar serviços de consultoria de marketing.

Durante este artigo, vou destacar o que usei como CTA para contribuir com a didática do conteúdo, combinado?

Por que usar call to action?

CTA é a cola que unifica todas as etapas da sua estratégia de marketing. É a call to action que vai direcionar o consumidor do ponto A para o ponto B, avançando na jornada de compra até gerar vendas para seu negócio.

Não adianta ter uma estratégia ótima de marketing, com produção de conteúdos excelentes, uso das ferramentas e práticas certas, se você não diz para o consumidor o que ele deve fazer para avançar para as próximas etapas do relacionamento com sua marca.

Especialmente no topo do funil de vendas, quando o potencial cliente nem sabe da existência de sua solução, muito menos que precisa dela. É papel da empresa guiá-lo rumo à solução para seu problema. E isso só é possível com chamadas para ação.

Neste blog, por exemplo, queremos educar o mercado sobre o universo do marketing digital, para formar profissionais que entendam a relevância do marketing orgânico e vejam  Conversion como referência no assunto.

Esse é um longo caminho a ser percorrido e agora o call to action é um simples “compartilhe” ou “acesse nosso guia sobre SEO”. Com um relacionamento mais consolidado, podemos evoluir para CTAs como “agende sua reunião” ou  “quero uma consultoria”.

Tipos de CTA e como escolher o melhor

As CTAs vêm em vários formatos, porém, o que nunca muda é a necessidade de serem apelativas, com boas práticas de copywriting e destaques visuais como uso de negrito, setas, botões, contraste de cor, entre outros.

Além de serem visualmente chamativas, as chamadas precisam ser claras e eficientes, incentivando a ação.

Listamos abaixo alguns dos principais tipos de call to action, confira! → CTA para você continuar a leitura deste conteúdo.

Botões

As CTAs mais comuns são os botões, ícones visualmente atrativos com uma pequena frase incentivando alguma ação, como “clique para ler mais” ou “quero me inscrever”.

O design de um botão pode variar bastante de acordo com a identidade da marca e objetivos da sua campanha, porém, no geral, tem um forte contraste com o fundo e o que está escrito, para ter mais destaque.

Eles são comuns em campanhas de email marketing, ecommerces e blogs.

Formulários

Os formulários costumam ser usados para que o usuário forneça seus dados para a empresa em troca de um material, como acesso a newsletter, pesquisa ou e-book.

Esses dados podem ser utilizados depois para uma campanha de email marketing e segmentação.

Banners

Os banners são mais fortes em páginas de sites, redes sociais e redes de display e também estão entre as CTAs mais comuns.

Você vê eles ao assistir vídeos do YouTube, ao ver um post de alguém que gosta, ao acessar um site de notícias, em seus aplicativos favoritos e basicamente todo dia.

São imagens maiores que adicionam mais contexto sobre a CTA, combinando elementos visuais atrativos e um bom copy.

Links contextuais

Esses links costumam ser utilizados em blog posts e páginas institucionais de um site como linkagem interna, para que o usuário possa acessar outros posts e páginas do site.

Eles funcionam tanto como ofertas para comprar ou se inscrever em algo, quanto como complementos para enriquecer o conteúdo e o usuário possa se aprofundar no tópico que está aprendendo.

Note que na palavra “blog post” adicionei um link para nosso artigo ensinando como escrever blog posts. Essa é uma típica CTA de link contextual, mais discreta que as outras calls to action, mas pode ser mais chamativa também, como na imagem abaixo.

Pop-ups

Pop-ups são pequenas janelas que aparecem quando você está em um site. Você provavelmente já viu um por aí.

Geralmente, eles contam com alguma CTA para ter acesso a uma promoção ou oferta especial da empresa, mas também são usados para confirmar fatores como idade para sites de bebida alcoólica, por exemplo.

Alguns sites implementam pop-ups de saída, que aparecem quando o usuário está para fechar o site, para incentivá-lo a ficar mais.

Somente texto

Às vezes as limitações da plataforma não nos permitem inserir links, botões ou banners. Por isso, podemos usar a call to action na sua forma mais simples: texto.

Um exemplo clássico são as legendas de posts do Instagram, como “acesse o link na bio”, “compartilhe para mais pessoas” ou “comente o que achou”.

Agora que você sabe os diferentes tipos de CTA, está na hora de aprender como fazer chamadas eficientes! → CTA para o próximo tópico.

Como escrever uma Call To Action: passo a passo

A primeira regra é entender que para uma CTA ser eficiente é preciso de personalização. Nesse momento, a pessoa responsável pela copy precisa estar atenta aos objetivos de marketing da CTA assim como a quem se destina a chamada para a ação.

Entender a proposta de valor por trás da CTA também é fundamental para fazer as promessas certas e aumentar a conversão da chamada.

Abaixo separei um passo a passo para escrever uma CTA.

Qual o objetivo de marketing?

O primeiro passo é entender seu objetivo com a CTA. Aumentar as conversões do seu site? Aumentar os acessos de determinada página? Incentivar a compra de uma nova ferramenta?

Podem existir variadas possibilidades dentro das estratégias no marketing digital:

  • Inscrição num webinar, evento ou newsletter;
  • Baixar um ebook;
  • Direcionar a uma landing page;
  • Solicitar um orçamento;
  • Ler um outro blog post;
  • Curtir e compartilhar um conteúdo;
  • Fazer o download de um conteúdo;
  • Participar de um questionário/pesquisa;
  • Testar uma versão gratuita de um produto/ferramenta;
  • Assinar um plano;
  • Outros.

O segredo para escolher o objetivo adequado é estar alinhado à estratégia de marketing por trás do conteúdo e/ou ação para escrever a call to action.

Entenda seu público

Quais são as preferências de seus consumidores? São leitores assíduos ou preferem consumir conteúdos mais dinâmicos? Qual tom de voz se encaixa melhor com seu perfil? Quais são seus desejos e necessidades?

A definição de uma persona pode ser um passo importante para escrever com mais eficácia, pensando especificamente no que seria mais atrativo para seu público.

Saiba qual o estágio do funil de vendas

O Funil de Vendas funciona em etapas, cada uma representando fases da jornada de compra. Um lead que está na fase de aprendizado e descoberta está mais ligado ao topo do funil, que significa que ele precisa de mais informações. 

Logo, sua CTA jamais deverá ser direcionada para a compra, pois o lead pouco provavelmente estará preparado para essa ação.

Por isso, é muito importante que a pessoa responsável pela copy tenha consciência da jornada de compra do lead. 

Se ela estiver numa fase de aprendizado e descoberta, a CTA mais adequada é o incentivo para consumir mais conteúdos sobre o tema em questão, por exemplo.

Escreva

Com o objetivo, persona e jornada de compra em mente, está na hora de escrever sua chamada para ação.

Para escrever uma CTA funcional, separamos quatro princípios que você precisa aplicar sempre que fizer essa tarefa:

  • Simplicidade: as CTAs mais efetivas costumam ser as mais simples. “Compre com um clique”, por exemplo, por mais simples que seja, passa uma mensagem clara para o consumidor de que ele não passará por burocracias desnecessárias para fazer sua encomenda. Procure utilizar uma linguagem direta e clara em relação ao que você quer que o usuário faça;
  • Verbos de ação: começar uma chamada com verbos de ação pode trazer mais potência para suas CTAs, incentivando a ação imediata do usuário, como “Compre agora”; “Comece aqui”; “Adicione ao carrinho” e “Inscreva-se”;
  • Senso de urgência: a urgência é um poderoso gatilho mental para que as pessoas tomem uma ação na hora em um processo emocional. Use frases como “Oferta limitadas” e “Apenas hoje”, por exemplo;
  • Criatividade: por fim, é necessário ter criatividade, especialmente no meio digital, que é tão competitivo e repleto de CTAs “padrão”. Ter chamadas padrão não é ruim, mas é preciso sair da caixa de vez em quando. Incorpore a identidade e tom de voz da marca para criar camadas diferentes e divertidas. Um exemplo é a call to action da Lello Imóveis, onde poderiam simplesmente escrever “Encontre seu imóvel”, escreveram “Encontre em poucos cliques o seu imóvel ideal”.

7 dicas para escrever CTAs irresistíveis de clicar

Agora que você sabe os princípios para escrever CTAs, dê uma olhada nas dicas abaixo para fazer chamadas altamente clicáveis. → CTA para seguir a leitura.

Rode testes A/B

Talvez você já tenha notado como alguns botões do seu instagram são ligeiramente diferentes que os de seus amigos, mesmo que uma cor, formato ou tamanho. Isso é resultado de testes a/b, uma ferramenta importante para testar diferentes CTAs. 

Se você vai enviar um email, por exemplo, pode exibir um assunto para 50% da sua audiência e outro com uma pequena variação para os outros 50% e ver na prática, com base em dados, qual dos dois atrai mais cliques. 

Isso se aplica a sites, apps, anúncios e qualquer formato de CTA. Use ferramentas de testes como Optimizely para otimizar suas chamadas. Veja mais dicas sobre teste a/b no post abaixo:

Mensure seus resultados

Você pode usar métricas como taxa de cliques e conversões para avaliar os resultados de suas calls to action, compará-las e otimiza-las sempre que possível.

As métricas vão depender do tipo de CTA e formato de conteúdo utilizado. Em SEO, por exemplo, o CTR é fundamental, já no email marketing, a taxa de abertura é ideal para ver se você está fazendo as chamadas certas.

Escolha uma boa posição

Esse é um bom momento para pensar como consumidor na hora de escrever uma call to action. De todas as pessoas que chegarão a esse blog post, poucas irão ler de cabo a rabo. Isso quer dizer então que ou elas vão direto ao ponto que gostariam, fazendo uma leitura dinâmica procurando ao que interessa.

Entender isso é o que vai ditar pra nós redatores e copywriters onde melhor encaixar uma CTA. Se for uma página de conversão, a chamada para ação deve estar logo no início.

Um blog post pode ter banners com CTAs específicos em lugares bem estratégicos. Exemplo: se um determinado tópico fala sobre otimização para SEO, é totalmente coerente adicionar um banner direcionando para um ebook sobre SEO com aquele CTA para atrair um clique. Estratégico, certo? É assim que devemos pensar na hora de posicionar.

Explore o poder da IA

A inteligência artificial pode ser uma ótima aliada para criar suas CTAs. Encontre variações criativas e úteis usando as ferramentas certas.

Aplique boas práticas de UX 

Alguns princípios de UX como hierarquia das informações, contraste e navegabilidade podem te ajudar bastante a criar CTAs de sucesso. 

UX writing é uma prática muito utilizada por empresas visando proporcionar a melhor experiência aos usuários, mesmo no simples clique de um botão.

Insira imagens

Se tratando especificamente de um blog post, há muito texto e, assim, o caminho para uma CTA em forma de texto surtir efeito é menor. Nesse caso, uma imagem pode causar o efeito contrário por conseguir se destacar em meio a tantos caracteres.

Nessa lógica, imagens bem posicionadas fazem toda a diferença ao conquistar a ação de um visitante. Basta escolher uma boa posição, como descrito acima, e adicionar uma imagem atraente aos olhos do lead (ou futuro lead).

Indique com setas

No mesmo sentido que as imagens, as setas são excelentes para direcionar o olhar. Afinal, elas servem para apontar, então use-as a seu favor. Pouco provavelmente passará batido pelo leitor.

20 exemplos de CTAs para se inspirar

Home

A página inicial é um dos principais lugares que temos para conversões.

Considerando que a primeira dobra (também chamada de viewport) é a mais importante por ser a primeiríssima que os usuários vêem, ela tem mais chances de chamar atenção.

Por isso, comumente vemos call to actions no começo e ao longo da home direcionando para ações comerciais.

Anúncios

Tendo em vista que o anúncio cumpre um papel publicitário, eles por si só possuem um sentido comercial.

Logo, suas chamadas para ação devem ser bem diretas na intenção de de fundo de funil ou bem próxima a ela.

Blog

Os blogs são essenciais em estratégias de Inbound Marketing uma vez que são utilizados no caminho de aprendizado dos futuros leads. 

Tendo em vista que recorremos ao Google quando estamos em dúvida, o blog é importantíssimo para colocar alguém dentro do nosso Funil de Vendas, como provavelmente aconteceu contigo.

Logo, nos blog posts as call to actions são essenciais para manter o lead em sua jornada de aprendizado e descoberta, por exemplo. Por isso que na CTA abaixo eu utilizei o “comente e compartilhe”, pois, considerando que o conteúdo é topo de funil, eu espero que ele atinja um volume maior de pessoas. 

Afinal, é bem provável que outras pessoas do entorno dos leitores tenham a mesma dúvida e um comentário é uma ótima prova social.

Páginas do site

Ao longo do site é possível adicionar CTAs a depender da sua intenção com elas. Afinal, as call to actions não são exclusivas dos blog posts e da home.

As páginas de cases da Conversion possuem chamadas logo no começo.

Além disso, temos também as landing pages, cujo objetivo é conversão. Logo, as CTAs devem ser muito bem trabalhadas para que o resultado esperado seja alcançado. 

As landings, inclusive, são excelentes para estudarmos o impacto das chamadas para ação. Afinal, essas páginas são feitas esperando uma interação dos usuários.

E-mail marketing

No exemplo abaixo, o e-mail primeiro dá uma prévia do assunto, já deixando o leitor interessado e a CTA cumpre o papel de “dar corda” para a curiosidade.

Redes sociais

O jargão bastante difundido nos vídeos, em especial das redes sociais, é o “arrasta pra cima”. Anteriormente, a função de adicionar links nos stories do Instagram era exclusiva para usuários que possuíam pelo menos 10 mil seguidores. Para acessar os links, era necessário deslizar o dedo de baixo para cima.

O “arrasta” foi por muito tempo parte das principais call to actions do marketing. Agora com a função liberada para todos os usuários através do recurso de figurinhas, o “arrasta” caiu por terra.

Porém, ainda existem outras chamadas relevantes, como “curta e compartilhe”. A nova é o “leia os posts anteriores”, isso quando se trata de uma série de posts. Mais uma vez, a CTA irá depender do contexto e estratégia de marketing.

Vídeos

O caso dos vídeos é bastante próximo às redes sociais, especialmente por compartilharem desse formato de conteúdo. Muitos produtores de conteúdo costumam utilizar as CTAs em dois momentos: antes de aprofundar no tema central, já pedindo pelas curtidas; e no final, direcionando para o compartilhamento do conteúdo.

Tendo em vista que muitos influenciadores digitais monetizam seus conteúdos, quanto mais compartilhados e visualizados eles forem, maiores as métricas. Por isso, essas CTAs são excelentes para complementar a estratégia de marketing.

Oferta

A oferta já está no fundo do funil, direcionando para a intenção de compra. A CTA no caso de ofertas deve impulsionar a venda para o lead. Se a mensagem da oferta já deve ser atraente, a da call to action deve apenas “terminar o serviço”.

G4 Educação – Home

No exemplo acima, a G4 Educação, uma empresa de educação para profissionais de diferentes áreas, está divulgando algumas das suas trilhas de conhecimento.

Além das CTAs clássicas como “Saiba mais”, ela adiciona um diferencial, “Colabore com esse número”, trabalhando justamente na necessidade dos usuários que acessam o site: empregos.

É uma forma mais criativa e atenciosa de fazer um botão que poderia ser “Confira nossos cursos”.

Sallve – Home

Sallve é uma marca de cosméticos brasileira que está fazendo muito sucesso entre os jovens. Um dos banners na home do seu site apela para o senso de urgência com recursos visuais e textuais para incentivar o usuário a tomar uma ação logo, antes que acabe.

Glossier – Pop-up

No site da Glossier, marca de produtos de beleza, tem um pop-up em seu site incentivando os usuários novos a aceitarem uma oferta de primeiro pedido.

Para isso, ela usa uma escrita criativa e apelativa: “Você merece. Uma oferta especial só para você e seu primeiro pedido. Reivindicar oferta. Não obrigado.”

É uma forma diferente e mais incentivadora de falar “Confira o desconto para quem faz o primeiro pedido”.

Amazon Prime – Home

Quem não quer algo bom de “grátis”, não é mesmo?

As chamadas de testes gratuitos costumam ser muito efetivas para que o consumidor conheça mais sobre um serviço e possa ser fisgado dentro da sua plataforma.

A Call To Action “TESTE GRÁTIS POR 30 DIAS” é transparente, chamativa e muito clicável.

Paulo Cuenca – Instagram

Paulo Cuenca é um criador de conteúdo especialista no Instagram, que ajuda outras pessoas a se destacarem nas redes.

Seus posts, além de educativos, podem ser usados de inspiração para suas próprias CTAs. Em um ambiente tão competitivo, Paulo recorre a recursos visuais e textuais impactantes que captam a atenção do consumidor na hora, para então passar sua mensagem.

Netflix – Landing page

A Netflix é outro excelente exemplo de CTAs que funcionam. Além de usar o “cancele quando quiser” para incentivar ainda mais a assinatura, ela descreve bem o que você vai encontrar na plataforma e usa uma chamada mais animadora para começar sua inscrição: “Vamos lá >”.

É um formulário simples, com promessas poderosas e animadoras.

MrBeast – YouTube

O segundo maior canal do mundo, com 208 milhões de seguidores, não chegou lá sem querer. MrBeast e sua equipe investem em CTAs super atrativas com uso da thumbnail somada ao título.

Seus vídeos costumam ter títulos muito curtos, mas com frases e números impactantes, que captam a atenção de qualquer um.

Conversion – Landing Pages

Os relatórios e pesquisas da Conversion são ótimos exemplos de CTAs para preencher um formulário em troca de uma oferta gratuita.

Toms – Email e Pop-up

A TOMS anunciou uma oferta surpresa para seus consumidores, divulgando a mesma por email e para quem estava presente no site no período da oferta.

Ela trabalha vários gatilhos mentais e recursos de copy para criar uma chamada forte. O “Pssst” desperta a curiosidade e senso de exclusividade e o “Somente por tempo limitado” traz a urgência.

Tudo isso com uma identidade limpa e clareza nas informações, para chegar à call to action final em mais destaque “Compre TOMS na oferta surpresa”.

Evernote – Home

Só de olhar para a home podemos detectar diversos recursos poderosos para aumentar a eficiência das CTAs.

Primeiro que no topo da página já encontramos uma oferta especial “Última chance”, com contagem regressiva e um botão “Economize já”, todos recursos que incentivam mesmo quem não conhece o produto a clicar imediatamente para não perder a oferta.

Depois nós temos a call to action padrão da home, “Domine seu trabalho, organize sua vida”, muito bem pensada para o público da Evernote, além do botão “Cadastre-se Gratuitamente”, um verbo de ação somado ao fato de ser gratuito tornam a chamada para ação muito mais apelativa.

Dropbox – Home

A home da Dropbox é um exemplo de CTA sutil, que trabalha bem os recursos textuais para captar a atenção dos usuários e convencê-los com promessas que resolvem seus problemas.

O “Comece agora mesmo” não tem uma abordagem tão agressiva de vendas como “Por apenas R$ X” ou “Compre agora seu plano” e também cria um senso de urgência com o “agora mesmo”.

Outro recurso muito bem utilizado é o contraste entre o fundo, o texto e o botão, dando destaque para as informações mais importantes.

Prezi – Landing page

Prezi é uma ferramenta de criação de apresentações com diversos recursos visuais e diferentes modelos para os criadores escolherem.

Ela conta com textos e imagens bem convincentes e apelativas, misturando os dois elementos para mostrar como a ferramenta funciona e incentivar um teste gratuito.

Conclusão

A call to action, ou CTA, é apenas uma pequena parte de todo um trabalho estratégico de marketing e desenvolvimento de conteúdo. Para que escrevamos uma boa chamada para ação é importante ter muito claro do conteúdo como um todo, a quem estamos nos relacionando e também o objetivo por trás dessa ação.

Uma maneira simplista que gosto de pensar é que tudo diz respeito ao usuário, então nesse momento é importante se colocar no lugar de quem estiver interagindo com a CTA e todo o contexto que a envolve para ser o mais assertivo possível.

A call to action deve ser instigante de forma que coloque o visitante — ou lead — confortável e interessado em interagir com você ou seu conteúdo. Porém, devemos ter atenção para não gerar ansiedades desnecessárias e também sem enganar quem queremos relacionar.

Depois dessa leitura você está confiante para criar uma boa CTA? Conte nos comentários!

Escrito por Felipe Santos

Escrito por Felipe Santos

Escrito por Felipe Santos

Escrito por Felipe Santos

Compartilhe este conteúdo
Compartilhe
Receba o melhor conteúdo de SEO & Marketing em seu e-mail.
Assine nossa newsletter e fique informado sobre tudo o que acontece no mercado
Agende uma reunião e conte seus objetivos
Nossos consultores irão mostrar como levar sua estratégia digital ao próximo nível.
>