Produção de conteúdo: como fazer na prática [29 ideias]

Felipe Santos
Felipe Santos

A produção de conteúdo está no coração de empresas de sucesso hoje. É praticamente obrigatória para crescer no ambiente tão competitivo que é o mundo digital.

Afinal, os conteúdos são porta de entrada para sua marca, trazendo novas visitas e atraindo consumidores para gerar engajamento e conversões.

Em outras palavras, a produção de conteúdo gera receita para os negócios.

Seja você da área de saúde, engenharia ou marketing, produzir conteúdo pode ser a chave para o seu sucesso na profissão.

Entenda neste artigo o passo a passo para produzir conteúdos, com diversas ideias que funcionam, ferramentas, exemplos e dicas com os segredos para ter sucesso com sua produção.

O que é produção de conteúdo?

Produção de conteúdo consiste no processo de gerar ideais de tópicos que despertem o interesse de uma persona, criar conteúdo escrito e/ou visual sobre esses tópicos e torná-lo acessível por alguma mídia, como blog, email e redes sociais.

O processo conta com diversos passos, desde a ideação e planejamento, até a criação e publicação, sendo as últimas etapas variáveis de acordo com a mídia escolhida.

Por envolver múltiplas funções e etapas, produzir conteúdos requer diferentes profissionais, como estrategistas para montar o planejamento, copywriters para escrever, designers para as partes visuais e analistas de dados para avaliar os resultados.

Dentro do marketing, a produção de conteúdo é uma estratégia essencial para o aumento da visibilidade e autoridade de alguém ou de uma marca, e isso vale independente da área. 

O que é ser produtor de conteúdo?

Produtor de conteúdo é um termo amplo que pode se referir a vários perfis. Influenciadores digitais, por exemplo, podem ser considerados como produtores de conteúdo, responsáveis por criar, planejar, executar e analisar os materiais entregues à sua audiência.

Como mencionamos, idealmente esse trabalho não deve ser feito por apenas uma pessoa, mas envolve diferentes profissionais especializados em cada etapa.

Uma empresa também pode ser considerada como produtora de conteúdo. Na Conversion temos um time dedicado à produção de conteúdos para os blog posts, por exemplo, com responsáveis pela ideação, cronograma e planejamento e outros responsáveis pela criação.

O importante é que sempre há um objetivo de marketing por trás da produção do conteúdo, que deve ser atendido pelas diferentes partes envolvidas, como gerar tráfego, engajar a audiência e aumentar o número de leads.

Quais as vantagens de produzir conteúdo?

Produzir conteúdos é o core das estratégias de inbound marketing e marketing de conteúdo. Você precisa de conteúdos para atrair a audiência até sua marca e guiá-la pela jornada de compra.

Lembre-se, os consumidores podem descobrir sua empresa pelos conteúdos que ela produz. Talvez você mesmo tenha conhecido a Conversion agora, acessando este artigo depois de uma pesquisa no Google.

A partir do momento que você acessou um conteúdo nosso, iniciamos uma relação e é meu papel entregar valor com esse conteúdo, para que você aprofunde essa relação e possa, no futuro, adquirir alguma solução que oferecemos.

Conteúdos são portas de entrada!

Listamos mais vantagens abaixo para você entender melhor sua importância.

Ganhar autoridade no seu mercado

Produzir conteúdo de qualidade em uma área específica é uma das maneiras mais eficazes de se estabelecer como uma autoridade no assunto.

Afinal, quanto mais você compartilha informações valiosas e insights, mais é vista como especialista na área. Ser percebida como uma autoridade não apenas eleva seu status no mercado, mas também constrói confiança com o público. 

Quando os consumidores têm uma questão ou precisam de orientação, eles procurarão aqueles que consideram os melhores em sua área, e ter uma base sólida de conteúdo pode colocar você na posição de ser essa referência.

Construir uma comunidade

Conteúdo de qualidade não apenas informa, mas também engaja. Ao produzir materiais que ressoam com seu público, você cria oportunidades para interação, seja através de comentários, compartilhamentos ou discussões. 

Essa interatividade pode, por sua vez, conduzir à formação de uma comunidade em torno de sua marca ou persona. 

  • E vale a pena reforçar: comunidades engajadas não são apenas valiosas em termos de feedback e lealdade; elas também têm o potencial de se tornarem defensoras da sua marca, ampliando seu alcance e influência por meio do poder do boca a boca e de UGC.

Estar presente nos buscadores

Na era digital, a visibilidade online é primordial!

Produzindo conteúdo fresco, relevante e otimizado, você melhora as chances de seu site ou blog ser encontrado no Google, que é o principal buscador do mundo. O tráfego orgânico (não pago) representa uma fonte significativa de visitantes para muitos sites. 

Além disso, a consistência na produção de conteúdo e a utilização correta de palavras-chave podem fortalecer sua posição nos resultados de busca ao longo do tempo, tornando sua presença online mais robusta e confiável.

Aumentar a geração de leads e conversões

Como mencionamos, marketing de conteúdo é uma poderosa estratégia de aquisição. Quando bem planejado, pode atrair visitantes para seu site ou plataforma e, através de estratégias de conversão, transformá-los em leads ou clientes. 

Por exemplo, um artigo de blog pode terminar com uma chamada para ação que conduz o leitor a um e-book ou webinar, fornecendo valor adicional em troca de suas informações de contato. 

Assim, depois que um visitante se torna um lead, é mais fácil nutri-lo com conteúdo adicional, movendo-o através do funil de vendas e aumentando as chances de conversão.

Reconhecimento de marca

A frequência e a qualidade na produção de conteúdo podem fortalecer significativamente a identidade e o reconhecimento da sua marca. 

Isso porque quanto mais vezes os consumidores encontrarem e interagirem com seu conteúdo, mais familiarizados se tornarão com sua marca, valores e propostas de valor. 

E esse reconhecimento não apenas aumenta a probabilidade de escolherem sua marca sobre a concorrência, mas também pode levar a um sentimento de confiança e lealdade, pois os consumidores tendem a favorecer marcas com as quais estão familiarizados e nas quais confiam.

Retenção e fidelização de clientes

Você não deve produzir conteúdos apenas para adquirir novos clientes. Conteúdo para clientes atuais ajudam a manter a relação aquecida e fidelizá-los.

Algumas empresas oferecem a produção de conteúdo como serviço, por exemplo. Cursos, lives e artigos exclusivos são alguns exemplos que podem funcionar bem para engajar, reter e fidelizar seus clientes.

Como começar a produzir conteúdo na Internet?

O começo da produção de conteúdos depende dos seus objetivos e recursos disponíveis. Trouxe os principais cenários para começar a produção de conteúdos.

Autônomo

Você está começando agora e tem como objetivo ser um influenciador digital ou criar conteúdo para alimentar algumas iniciativas pessoais. 

A dica é começar com conteúdos mais simples, como posts de redes sociais, vídeos e artigos. Como seus recursos são limitados, foque no que você faz bem, em um formato e canal no qual seu público está mais presente.

Entregue valor, explorando sua originalidade para conquistar a confiança de quem te segue e aumentar seu alcance. Invista também em formatos e tópicos que tenham potencial de viralizar.

Empresas

Para empresas, você pode seguir três caminhos diferentes listados abaixo.

Produção interna

Fazer todo o processo de produção internamente, com o time da empresa. Inicialmente, você pode fazer todas as funções para provar o valor da estratégia e, quando gerar resultados, pode solicitar a liberação de orçamento para contratar uma equipe.

Assim como para o autônomo, foque nos canais nos quais seu público mais interage no começo.

Caso tenha recursos, é importante montar um time especializado e expandir os canais e formatos, criando estratégias mais elaboradas, usando materiais ricos como e-books e webinars.

Terceirizar a produção

Você pode terceirizar a produção de conteúdo para agências especializadas, que já contam com profissionais experts em cada etapa do processo.

Essa é uma opção que pode te ganhar tempo e economizar recursos, porém, você deve escolher uma agência alinhada com os valores da sua marca e com conhecimento sobre seu negócio.

Para a produção de conteúdos muito específicos e técnicos, pode ser melhor uma produção interna ou mista.

Produção mista

Na produção mista você terceiriza parte do processo de produção e fica responsável pela outra parte.

O caso mais comum é terceirizar a criação, ficando responsável pela ideação, planejamento e cronograma, quando a agência apenas escreve e cria os recursos visuais.

Porém, você pode também terceirizar o planejamento e ficar responsável pela produção, caso tenha bons redatores e designer disponíveis.

29 ideias de conteúdos para produzir

Existem talvez milhões de possibilidades de criação de conteúdo. Você pode criar um quiz, guia, tutorial, live, e-book, estudos de caso, demonstrações, checklists e muito mais!

Neste tópico vamos abordar os principais formatos de conteúdo disponíveis e apresentar algumas ideias que filtramos de conteúdos de sucesso.

Vídeos

Não é segredo para ninguém que os conteúdos em vídeo são tendência no marketing digital. Curtos ou longos, eles conquistam a atenção da audiência como nenhum outro formato consegue.

Eles estão presentes em diferentes plataformas como YouTube (shorts e vídeos normais da rede), Instagram (reels, stories, etc.), Facebook, TikTok e até Spotify agora.

Mas afinal, como fazer vídeos que engajam? Confira algumas ideias:

  • Animações: animar seu conteúdo pode ser uma ótima estratégia para apresentar conceitos complexos ao público. Você pode fazer um vídeo ilustrando como seu produto resolve algum problema específico dos consumidores, por exemplo. Essa tática é especialmente boa para empresas com produtos/serviços difíceis de entender, como o serviço de computação em nuvem da Amazon, bem ilustrado pela própria empresa em uma animação;
  • Tutoriais e como fazer: conteúdos ensinando como fazer algo em passos práticos são muito populares na web, tanto em vídeos longos quanto curtos. Para ter sucesso com esse tipo de conteúdo, seja objetivo e didático, usando recursos visuais e escritos para ajudar no entendimento. Esses vídeos costumam levantar dúvidas dos usuários, o que pode gerar mais engajamento e dar ideias para outros vídeos, por isso, interaja!
  • Curiosidades: vídeos com curiosidades são poderosos meios de gerar engajamento. Eles despertam facilmente o interesse do público e podem ser utilizados para atender vários objetivos. Uma empresa de relógios inteligentes, por exemplo, pode fazer um vídeo sobre funcionalidades escondidas e úteis em seus produtos que poucas pessoas sabiam;
  • Perguntas e respostas: esse formato é 100% interativo, explorando dúvidas mais frequentes dos consumidores para criar conteúdos ou até fazer uma interação ao vivo com o mesmo propósito. Você pode separar perguntas que fazem frequentemente nos comentários e mensagens diretas e transformá-las em conteúdos úteis para os usuários, sendo uma ótima maneira de criar uma conexão;
  • Blog posts para vídeos: outra ideia é utilizar seus conteúdos de blog para criar séries de vídeos. Um único post de blog pode virar vários vídeos. A Infomoney, por exemplo, costuma divulgar bastante vídeos relacionados aos seus blog posts;
  • Webinars: webinars são eventos online ao vivo focados em informar e/ou entreter o público-alvo da empresa, interagindo e tirando dúvidas em tempo real sobre tópicos relacionados ao mercado. É um dos melhores conteúdos para captação de leads, onde você organiza um evento único que entrega valor e para participar as pessoas precisam realizar uma inscrição. Você pode fazer demonstrações de produtos, , debates, ensinar algo, falar sobre curiosidades e dicas, entre outras possibilidades.

Imagens

As imagens são a base da maioria dos conteúdos na web. Seja para complementar blog posts, seja para posts nas redes sociais como carrosséis e stories, seja como capas de vídeos no YouTube e TikTok.

Podemos utilizá-las como ilustrações, GIFs, infográficos, memes, capturas de tela e muito mais!

Para criar boas imagens, lembre-se de considerar o arroz com feijão: objetividade; utilidade; contraste; composição e simplicidade.

Aqui vão algumas ideias de conteúdos com imagens:

  • Infográficos: são representações visuais de dados e ideias complexas, facilitando sua compreensão com recursos visuais e resumos. Eles podem ser utilizados para divulgar dados da indústria de forma leve, explicar processos, timeline da empresa, respostas a perguntas frequentes, mapas e gráficos. O exemplo abaixo representa bem uma dessas aplicações;
  • Conte uma história: crie imagens que contem uma história por meio da configuração dos diferentes elementos, roupas das pessoas na imagem, iluminação e movimento. Uma imagem sem propósito ou sem uma mensagem para passar não deve ser criada em primeiro lugar. Um exemplo muito bom são os posts do Paulo Cuenca, que criam narrativas interessantes e divertidas para passar dicas profissionais;
  • UGC: os conteúdos gerados por usuários são uma fonte de ouro para empresas, muitas vezes inexplorada. Incentive seus seguidores a criarem as próprias imagens relacionadas à sua marca e você pode ter promotores com alto poder de conversão. Uma exemplo disso foi a campanha realizado pelo Mcdonald’s, usando fotos de clientes que postavam no Instagram com a hashtag da marca;

Podcasts

Segundo pesquisa divulgada pela Exame em 2022, o Brasil conta com 30 milhões de ouvintes de podcasts, sendo o terceiro país que mais consome esse conteúdo no mundo.

Trata-se de um formato em ascensão, que conquista cada vez mais pessoas devido à praticidade de adquirir informações e se entreter enquanto realiza outras tarefas do dia a dia.

O podcast é um formato de conteúdo poderoso para criar relacionamentos duradouros e uma audiência fiel, porém, você precisa aplicar boas técnicas para manter os ouvintes engajados como storytelling e debates.

A publicação de podcasts pode ser feita em diferentes plataformas como Apple Podcasts, Spotify e Google Podcasts. É importante ressaltar a importância de manter a constância nas publicações para as pessoas que esperam e anseiam por seu conteúdo.

Algumas ideias de conteúdo para trabalhar com podcasts:

  • Construção de autoridade: você pode criar conteúdos como referência em algum assunto, para educar a audiência. A empresa de newsletters Morning Brew faz isso muito bem, com diversos podcasts relacionados aos temas abordados em suas newsletters;
  • Entrevistas: alguns podcasts são focados apenas em trazer convidados relevantes e aproveitar a expertise dos mesmos para trazer insights e entreter sua audiência com perguntas relevantes. O podcast do Primo Rico fez muito sucesso com esse formato aqui no Brasil;
  • Podcasts para vídeos: apesar de focarem nos áudios, você pode gravar em vídeo os podcasts para reaproveitar o conteúdo no YouTube, postando cortes de pontos altos no podcast e a versão completa também. O Primocast também é muito forte no YouTube;
  • Histórias: os podcasts de histórias como “A Mulher da Casa Abandona” costumam funcionar muito bem com a audiência. Trazendo para o lado profissional, você pode explorar histórias de sucesso de clientes, por exemplo;
  • Reviews: avalie livros, filmes, produtos, serviços e qualquer evento relacionado à sua empresa, trazendo curiosidades e como sua solução se conecta com a avaliação. Por exemplo, a Netflix poderia criar um podcast com críticos que avaliam filmes em alta para engajar sua audiência e incentivar quem não é assinante;
  • Sessão de perguntas e respostas: criar um podcast respondendo perguntas de ouvintes é uma boa tática para construir relacionamentos mais duradouros;
  • Tendências: educar seu público sobre as últimas que estão acontecendo em seu mercado e como sua empresa se posiciona frente às mudanças é uma ótima maneira de explorar tópicos em alta e melhorar a imagem da sua marca. 

Blog posts

Se engana quem acredita que as pessoas não leem mais. 77% de todos usuários da internet consomem blog posts.

É um formato muito versátil, que você pode utilizar tanto para as primeiras etapas do funil, quanto para as últimas, contribuindo para mais reconhecimento de marca, alcance e geração de leads.

E os custos também são muito baixos para a produção, você pode usar plataformas gratuitas como WordPress para começar a postar.

Mas lembre-se que os blogs aparecem no Google e todo conteúdo que envolve um mecanismo de busca precisa de uma boa estratégia de SEO. Vou falar sobre isso nos próximos tópicos.

Por hora, fique com algumas ideias para trabalhar em blog posts:

  • Notícias: notícias relevantes do seu nicho podem ajudar a manter seus leitores atualizados e informados;
  • Tutoriais: crie posts no formato “como fazer” para educar o mercado e conduzir leads pelo funil de vendas;
  • Guias: são aqueles posts que fazem uma imersão completa em determinado tópico, mais longos e muito informativos;
  • Casos de sucesso: aproveite o alcance do blog para divulgar estudos de caso de clientes que tiveram sucesso com sua empresa;
  • Listas: as listas são compartilháveis e podem gerar bastante engajamento;
  • Análises: análises e comparações de diferentes produtos podem ajudar a construir confiança com seus potenciais clientes.

Email

Email é o canal que te dá acesso direto ao inbox de seu potencial cliente, logo, é um canal íntimo, perfeito para construir relacionamentos e nutrir seus leads para que comprem suas soluções.

Para fazer email marketing da forma correta, você precisa ter uma boa landing page de captação e prezar por trazer leads qualificados por meio de ofertas de conteúdos relevantes como um webinar gratuito ou e-book.

Sua estratégia no email vai depender dos objetivos de marketing da sua empresa e tipo de negócio. Um ecommerce, por exemplo, está mais interessado em estratégias de descontos exclusivos, enquanto uma empresa de serviços digitais pode focar em dicas para educar seus clientes sobre o mercado e suas soluções.

Vamos às ideias:

  • Newsletters: algumas empresas “vivem” de anúncios em suas newsletters, como é o caso da The News aqui no Brasil. É um formato legal para atualizar sua audiência sobre as novidades no seu mercado;
  • Minisséries: a consistência nos horários e dias que você envia emails para sua base de leads é fundamental. Você pode explorar mini séries de conteúdos sobre determinado tópico, trazendo dicas e insights relevantes, como “5 dicas para organizar sua rotina”, enviando uma dica por email;
  • Integração com outros conteúdos: as pessoas no email costumam ter um engajamento acima da média justamente por serem leads que já se interessaram o suficiente na sua empresa para fornecer o email. Aproveite esse potencial para divulgar novos conteúdos da sua empresa, como blog posts, vídeos e lançamentos de produtos/serviços.

Posts de redes sociais

São bilhões de pessoas presentes nas redes sociais, prontas para interagir e engajar com diferentes empresas e influenciadores. É um ótimo canal para receber feedbacks e ter uma comunicação mais informal com seu público.

No geral, conteúdos mais curtos costumam funcionar melhor devido à explosão de conteúdos que os usuários recebem todos os dias.

Um ponto positivo da produção de conteúdo para redes sociais é que você pode adaptar a maioria dos outros formatos de conteúdo como podcasts, posts de blog e emails em posts, considerando, claro, as particularidades da plataforma, como a linguagem bem humorada e informal.

Algumas dicas para trabalhar posts nas redes, sejam eles reels, tiktoks, stories, carrosséis ou qualquer outro formato:

  • Por trás das cortinas: compartilhe conteúdos sobre os bastidores da sua empresa. Eles ajudam a construir confiança com seus consumidores e humanizar a marca;
  • Pesquisas: realize pesquisas interativas nos stories para engajar com seu público e para ter novas ideias de conteúdo. Você pode, por exemplo, abrir uma caixa de pesquisa para saber qual tipo de conteúdo querem ver mais em seu perfil;
  • Frases inspiracionais: citações de referências no seu segmento e frases de impacto são poderosas aliadas do engajamento;
  • Lives: as redes sociais notificam todos seus seguidores quando você começa uma live, dando destaque para seu perfil. É um formato interativo e uma ótima oportunidade para conversar com seus consumidores;

Outras ofertas de conteúdo

Aqui classifiquei como ofertas de conteúdos aqueles que o usuários precisa se inscrever para ter acesso, ou seja, as iscas digitais para geração de leads.

O webinar é um desses tipos de conteúdo, que costumam ter uma página de inscrição, mesmo sendo gratuitos.

Para serem utilizados dessa forma, os conteúdos precisam ter um diferencial em relação aos outros na web, com informações exclusivas e imersões completas no tema proposto.

E-books, whitepapers, pesquisas de mercado e planilhas são ótimos exemplos desses tipos de conteúdo. Por meio deles você entrega um valor exclusivo para os consumidores que justifica fornecer o email.

Produzindo conteúdos em 8 passos

Dividimos o processo de produção de conteúdos em 8 etapas para que você possa entendê-lo melhor e aplicar seus esforços coordenadamente.

Porém, antes de iniciar o passo a passo, você precisa alinhar três pilares que vão guiar todo o processo de produção:

  • Objetivo de marketing: por que você vai produzir conteúdos? É para alimentar uma estratégia de marketing de conteúdo? Qual é o objetivo e métrica que devemos acompanhar? Como sabemos se a produção foi um sucesso? Tenha conversas de alinhamento com os estrategistas de marketing para alinhar os indicadores de sucesso e guiar sua tomada de decisão;
  • Persona: você tem um perfil semi-fictício do cliente ideal da sua empresa com base em dados? É fundamental entender os obstáculos, dores, desafios, medos, ambições e desejos dos seus consumidores para fazer conteúdos que verdadeiramente entregam valor nos canais certos;
  • Jornada de compra: imagina você acorda um dia com uma dor de cabeça, investiga e descobre que não tomou água quase o dia inteiro anterior, finalmente, você chega à solução: beber água! Esse processo acontece em toda compra, o consumidor primeiro passa pela etapa de descoberta, depois reconhecimento, consideração da solução e decisão do que fazer. Cada etapa dessa requer um tipo de conteúdo e abordagem. No começo, conteúdos mais genéricos como “Por que estou com dor de cabeça?” são mais eficazes. Já nas etapas finais você traz uma solução, como: “Conheça o remédio X para dores de cabeça”.

Agora que você conhece os três pilares para a produção de conteúdo, vamos colocar a mão na massa!

Ideação

Nesta etapa você deve conceber os temas e desenvolver melhor o que pode abordar dentro de cada um deles.

Uma das melhores formas de organizar seus conteúdos é utilizando a estratégia de topic clusters, que consiste em definir um conteúdo pilar completo sobre o tema e depois definir os satélites, relacionados ao principal, no mesmo tema, mas abordando questões mais específicas.

Um exemplo clássico são os blog posts. Aqui na Conversion temos a seguinte estrutura:

Note que os topic clusters ganham camadas de profundidade à medida que abordamos diferentes tópicos. SEO vira um post pilar com seus próprios satélites, mas ainda faz parte do pilar marketing digital, por exemplo.

Essa é uma ótima forma de encontrar novos conteúdos para abordar e organizá-los. Mas como achar esses temas?

Você pode usar algumas técnicas de brainstorming, como:

  • Pesquisa de palavras-chave: Ferramentas como o Google Keyword Planner, Google Trends e SEMrush te ajudam a descobrir quais são os termos mais buscados pelo seu público na internet, relacionados ao seu nicho de mercado. Assim, você pode criar conteúdos que respondam às dúvidas e necessidades do seu público, e que tenham potencial de ranquear bem nos mecanismos de busca;
  • Análise da concorrência: Você pode analisar quais são os conteúdos mais populares dos seus concorrentes, usando ferramentas como o BuzzSumo ou SEMrush para identificar quais são os temas, formatos e abordagens que geram mais engajamento, tráfego e conversão no seu mercado, e se inspirar para criar conteúdos melhores e mais originais;
  • Pesquisa com o público: O Google Forms e SurveyMonkey são ótimas ferramentas para criar e enviar questionários ao seu público, perguntando sobre os seus interesses, preferências, desafios e expectativas em relação ao seu negócio e ao seu mercado. Assim, você pode criar conteúdos que sejam relevantes, personalizados e que agreguem valor para o seu público. Use também as próprias redes sociais, como os stories do instagram ou posts do YouTube para perguntar o que seus seguidores querem.

Planejamento

Nessa etapa você deve considerar todos os tópicos que separou na ideação e definir uma ordem lógica de publicação, considerando os seguintes fatores:

  • A etapa da jornada de compra à qual cada conteúdo vai pertencer, seguindo uma lógica que conecte cada um deles e guie o usuário pelo funil até a compra ou geração de leads, a depender dos objetivos;
  • Os canais onde você vai publicar os conteúdos considerando os locais onde sua persona está, como blog, instagram, linkedin e youtube;
  • O formato dos conteúdos que vai criar, considerando que cada canal exige uma abordagem e especialistas diferentes. Se você não tem um designer mas um ótimo redator à disposição, é melhor começar com blog posts, por exemplo.

A partir dos tópicos anteriores, você consegue criar um calendário editorial que conecta todos os canais e conduz os consumidores pela jornada de compra.

Você também deve definir o prazo e a frequência de produção e publicação do seu conteúdo, criando um cronograma que seja realista e viável. 

Para isso, você pode usar algumas ferramentas como:

  • Trello: Você pode usar o Trello para gerenciar o seu processo de produção de conteúdo, criando quadros, listas e cartões que representam as diferentes etapas, tarefas e responsáveis pelo seu conteúdo. Você também pode adicionar etiquetas, anexos, datas de vencimento e checklists para acompanhar de perto cada produção. O Trello também permite que você integre o seu quadro com outras ferramentas, como o Google Docs, Google Calendar e Slack;
  • Notion: O Notion conta com diversas funcionalidades para organização e gestão de conteúdos, além de contar com o Notion AI, IA integrada com a ferramenta que funciona como o ChatGPT;
  • Google Calendar: Crie e acompanhe o seu cronograma de produção e publicação de conteúdo, adicionando eventos, lembretes e notificações. Você pode sincronizar o seu calendário com outros dispositivos e compartilhar com outras pessoas, convidando-as para os seus eventos ou permitindo que elas vejam a sua agenda.

Criação

A criação é a etapa em que você transforma a sua ideia em um conteúdo de fato, usando as suas habilidades de escrita e design para criar um material atrativo e valioso.

Para isso, é preciso contar com os profissionais certos:

  • Redatores;
  • Coordenadores de social media;
  • Host de podcast;
  • Editores de áudio e vídeo;
  • Designers e ilustradores;
  • Apresentadores de vídeo.

Na criação, é importante considerar boas práticas também:

  • Escrita: Considere as boas práticas de copywriting e SEO, escrevendo de forma clara, objetiva, coerente e coesa, sempre com a persona em mente. Utilize parágrafos curtos, subtítulos, listas, negritos, itálicos, perguntas e outros recursos para atrair a atenção e conduzir o leitor para a ação desejada no conteúdo. Explore outras técnicas como gatilhos mentais e storytelling para tornar seu texto irresistível e, claro, não esqueça do SEO, com palavras-chave, links e meta tags otimizadas;
  • Design: No design considere criar elementos alinhados com a identidade visual da sua marca, complementando o conteúdo escrito. Utilize cores, formas e ícones harmônicos e atraentes.

Tanto na escrita quanto no design, você precisa levar a acessibilidade em consideração, com uso de texto alternativo e outros recursos para contribuir com uma boa experiência dos usuários.

  • Dica: A inteligência artificial não veio para tirar o emprego de escritores e designers, mas para ajudá-los. Aproveite o potencial das ferramentas de IA para a ideação, planejamento e criação de seus conteúdos. Conheça algumas delas:

Revisão

A revisão é a etapa na qual você verifica e corrige o seu conteúdo, eliminando possíveis erros, inconsistências e redundâncias.

Considere pessoas diferentes das que criaram o conteúdo para a revisão, assim, você evita erros por cansaço ou vícios de linguagem, por exemplo.

Você deve revisar o seu conteúdo sob diferentes aspectos, como:

  • Ortografia e gramática: Corrija erros de ortografia, acentuação, concordância, regência, etc. Você pode usar ferramentas como o Grammarly ou Reverso para verificar e corrigir os seus erros de escrita;
  • Estrutura e coerência: Confira se o conteúdo está organizado e articulado de forma lógica, seguindo uma sequência de ideias que faça sentido, com um título atrativo, introdução objetiva, desenvolvimento e conclusão com CTA. Considere também se a estrutura do conteúdo favorece a leitura dinâmica e se o conteúdo exemplifica situações complexas para ajudar no entendimento;
  • Formatação e design: Confira se o conteúdo está formatado e desenhado de forma adequada, seguindo as especificações do seu canal e da sua marca. Considere fatores como qualidade, cores, fontes, tamanhos, espaçamentos, etc.

Upload

O upload é a etapa em que você envia o seu conteúdo para o seu canal de publicação. Antes de fazer o upload, confira se as dimensões do arquivo e tamanho estão adequados para a plataforma.

Para blog posts, recomendamos usar um CMS para facilitar a publicação e gestão de seus conteúdos.

  1. Publicação

A publicação é a etapa em que você torna o seu conteúdo disponível e acessível para o seu público, usando o seu canal de distribuição.

Considere o calendário editorial para agendar postagens que estiverem adiantadas e busque manter uma frequência e constância na publicação para fidelizar seu público.

Existem diversas pesquisas sobre a data e hora de maior engajamento em redes sociais e outros canais, porém, considere os dados da sua empresa em primeiro lugar, já que as datas podem variar de acordo com o perfil.

Use ferramentas como Google Analytics e Audience Insights para encontrar dados sobre o comportamento de consumo de conteúdos dos seus seguidores.

Promoção

Conteúdo publicado, acabou? Ainda não!

Agora você precisa investir na divulgação de seu conteúdo e pode usar vários meios para isso, como email marketing, enviando um email sobre o novo conteúdo para sua base, promover o conteúdo nas redes sociais, aplicar princípios de SEO e mais.

Tudo vai depender do orçamento que você tem disponível para divulgar seu conteúdo, porém, não se limite a ele, já que existem outras alternativas, como o próprio SEO.

Conheça algumas estratégias para promover seu conteúdo:

  • SEO: Otimize seus conteúdos para mecanismos de busca, usando palavras-chave relevantes, links internos e externos, meta tags e outras otimizações técnicas de SEO. Use ferramentas como Google Search Console e SEMrush para monitorar e melhorar o seu posicionamento, tráfego e autoridade;
  • Mídia paga: As plataformas e ferramentas de anúncios online também podem ser utilizadas para impulsionar seus conteúdos. Você pode usar plataformas como o Google Ads e Facebook Ads para criar e gerenciar campanhas de anúncios, segmentando o seu público e definindo o seu objetivo;
  • Email marketing: assim que o conteúdo sair, divulgue ele para sua base de leads. Como são pessoas que já interagiram com sua marca, elas podem trazer mais interações e contribuir com o alcance do conteúdo.

Reutilização

Seguiu todas as etapas acima e agora é só esquecer o conteúdo e partir para o próximo? Também não.

Especialmente para conteúdos extensos como e-books, webinars e blog posts, você pode separar partes deles para criar conteúdos derivados como reels, carrosséis e vídeos no YouTube.

Não desperdice nenhum potencial do conteúdo publicado!

Confira o post abaixo que resume bem o processo de criação de um conteúdo:

Analisando seus conteúdo

Uma etapa fundamental após a produção e divulgação do seu conteúdo é a análise dos resultados.

Vivemos na era dos dados, para aumentar sua competitividade e lucratividade é fundamental orientar suas tomadas de decisão a partir de análises aprofundadas. 

Ao analisar seus conteúdos, você pode tirar insights valiosos sobre o comportamento dos usuários e quais táticas funcionam melhor para conversão e alcance.

Aplique testes a/b para realizar otimizações e recorra a ferramentas de análise para otimizar a sua produção.

Aqui está um pequeno passo a passo para começar suas análises:

  • Definir os objetivos e as perguntas de pesquisa: antes de começar a analisar, é preciso ter claro o que se quer saber e por quê. Por exemplo, se o objetivo é aumentar as vendas de um produto, as perguntas podem ser: quem são os potenciais clientes? O que eles procuram? Como eles chegam ao site? Quais são as barreiras para a conversão?
  • Escolher as ferramentas: existem diversas ferramentas que podem auxiliar na análise de conteúdos da web, como o Google Analytics, SEMrush e SimilarWeb. Cada uma tem suas vantagens e limitações, e é preciso escolher a mais adequada para o tipo de dado que se quer obter;
  • Analisar os dados e gerar insights: depois de coletar os dados, é preciso organizá-los, filtrá-los, segmentá-los e visualizá-los de forma clara e objetiva. Para isso, use tabelas, gráficos, mapas e recursos que ajudem na visualização dos dados. O objetivo é identificar padrões e tendências nos dados, para gerar insights que respondam às perguntas de pesquisa e orientem as ações futuras.

Confira também algumas das principais métricas para fazer suas análises de conteúdos:

  • Page Views: o número de visualizações da sua páginas na web;
  • Tráfego orgânico: a parte gratuita do tráfego, que diz quantos usuários chegaram aos seus conteúdos sem que você tivesse que pagar por eles, apenas pesquisando no Google ou visualizando nos seus feeds;
  • Bounce Rate: o percentual de usuários que viu sua página e não teve nenhum tipo de interação;
  • CTR: a taxa de cliques de um conteúdo, que diz muito sobre o quão forte é o título e imagem do mesmo;
  • Taxa de conversão: seja para venda de produtos, seja para conversão de leads, a taxa de conversão se refere ao percentual de pessoas que converteram em seus posts ou páginas;
  • Taxa de engajamento: percentual de usuários que viu seu conteúdo e interagiu com o mesmo, sendo um ótimo indicador para redes sociais, por exemplo.

Para facilitar a consulta dessas métricas e análises, você pode criar dashboards e relatórios usando ferramentas como Google Data Studio e Power BI, que podem ser consultados por diferentes stakeholders da empresa.

8 ferramentas para produção de conteúdo

As melhores ferramentas para produção de conteúdo dependem da natureza do conteúdo que você está produzindo e do canal em que você pretende distribuí-lo. Mas para ajudar a encontrar as ideias, confira as recomendações abaixo.

Google Trends

O Google Trends é uma ferramenta gratuita que permite aos usuários visualizar e analisar as tendências de busca no Google ao longo do tempo. Para produtores de conteúdo, isso é excelente: pode ajudar a identificar tópicos populares, entender a sazonalidade em certos temas e até mesmo prever tendências futuras. 

Assim, ao basear seu conteúdo em temas em alta, você tem mais chances de atrair uma audiência e se manter relevante independente do seu canal.

Semrush

Semrush é uma ferramenta de pesquisa e análise de marketing digital que oferece insights sobre SEO, mídia paga, redes sociais e marketing de conteúdo. 

Para quem produz conteúdo, o Semrush pode apoiar na hora de identificar as melhores palavras-chave, principalmente para quem trabalha em blog, analisar a concorrência e otimizar o conteúdo para os mecanismos de busca. 

Google Analytics

Google Analytics é uma plataforma de análise de dados que oferece informações detalhadas sobre o tráfego de um site e o comportamento dos usuários. 

Caso você produza conteúdo para um site, o GA4 garante uma compreensão profunda de quais tópicos ou páginas atraem mais visitantes, quanto tempo eles passam no site e quais caminhos de navegação seguem. Esse entendimento permite que os criadores ajustem e otimizem seu conteúdo para melhor atender às necessidades e interesses de sua audiência.

Canva

Canva é uma plataforma gratuita de design gráfico online que simplifica a criação de visuais atraentes. Com uma variedade de templates prontos e uma interface intuitiva, é uma ferramenta essencial para produtores de conteúdo que precisam de imagens, infográficos, postagens de rede social ou qualquer outro tipo de design visual. 

Mesmo sem habilidades de design, é possível criar imagens profissionais e atrativas com facilidade.

Notion

Notion é uma ferramenta de produtividade multifuncional que combina anotações, gerenciamento de tarefas, bases de dados e colaboração em um único espaço. 

Simplesmente perfeito para criadores de conteúdo, o Notion pode servir como um espaço centralizado para brainstorming, planejamento de conteúdo, rascunhos e colaboração com outros membros da equipe. 

Isso porque sua versatilidade e capacidade de personalização o tornam uma ferramenta valiosa para organizar e gerenciar projetos de conteúdo.

Mailchimp

Mailchimp é uma plataforma de automação de marketing e email marketing. Por isso, ele oferece uma maneira eficaz de distribuir conteúdo diretamente para a caixa de entrada de um público. 

Seja através de newsletters, campanhas promocionais ou atualizações de blogs, o Mailchimp permite segmentar a audiência, personalizar mensagens e analisar o desempenho das campanhas, garantindo que o conteúdo alcance e envolva o público certo.

Ah, e tem versão gratuita!

WordPress

WordPress é um sistema de gerenciamento de conteúdo (CMS) que facilita a criação e gestão de sites e blogs. Como uma das plataformas mais populares do mundo, oferece uma ampla gama de temas, plugins e funcionalidades que podem ser personalizadas de acordo com as necessidades do usuário. 

Além disso, o WordPress é bastante intuitivo e de fácil aprendizado. Com ele, você pode construir seu próprio site e em seguida começar a publicar seus conteúdos, garantindo uma presença online profissional e eficaz. Para melhor, a plataforma é excelente para SEO.

ChatGPT

O ChatGPT é uma ferramenta de IA que serve para assistência em várias tarefas, incluindo a criação de conteúdo. Ele pode gerar, expandir ou revisar textos, além de ajudar na geração de ideias. 

No entanto, como qualquer ferramenta com inteligência artificial, tem suas limitações. É muito importante que você revise o conteúdo gerado para garantir sua precisão e relevância, evitando depender exclusivamente dele para tarefas complexas ou informações mais importantes.

Principais dicas para quem quer produzir conteúdo

Como extra eu trouxe algumas dicas valiosas com base na minha experiência profissional para te ajudar na produção de conteúdos para web.

Espero que leia e aplique elas nos seus conteúdos, lembrando que você pode salvar este blog post nos seus favoritos para consultar depois:

  • Foque no usuário, não na plataforma: As plataformas como Google, Instagram e Facebook querem que seus algoritmos de seleção de conteúdos relevantes sugiram exatamente o que os usuários querem e a tendência é que essas empresas construam algoritmos cada vez melhores para fazer isso. Logo, produza seus conteúdos colocando o usuário em primeiro lugar e você estará priorizando o que os algoritmos querem;
  • Adapte-se ao canal: Colocar o usuário em primeiro lugar não quer dizer que você vai esquecer de produzir conteúdos que atendam os requisitos básicos da plataforma e que costumam funcionar no canal escolhido. Você não vai postar um vídeo de 30 minutos no Instagram, por exemplo, porém, reforçando o tópico anterior, foque em conteúdos que realmente entregam valor ao usuário, considerando as limitações de cada canal;
  • Estude SEO: SEO significa otimização para os mecanismos de busca e trata-se de uma estratégia voltada para melhorar a visibilidade do seu site nos resultados orgânicos de Google, Bing e outros mecanismos de busca. Para isso você precisa aplicar práticas como uso de palavras-chave, otimização de title e description, heading tags e otimizações técnicas para garantir que sua página seja rastreada e indexada pelo Google. Pense no SEO técnico como a fundação da sua casa, se não o fizer bem feito, seus conteúdos podem ser os melhores do mundo, eles não vão ter resultados;
  • Feito é melhor que perfeito: O famoso ditado para perfeccionistas se encaixa bem aqui. É ótimo prezar por um conteúdo perfeito, porém, você deve lembrar do cronograma e prazos de entrega para manter a constância nas suas publicações, só assim seus conteúdos vão gerar resultados consistentes. Porém, não confunda o “perfeito” com qualidade! Fazer conteúdos de qualidade é melhor do que fazê-los ruins em quantidade, eles apenas não precisam ser perfeitos;
  • Defina referências: Antes de começar uma estratégia de produção de conteúdos, uma dica que pode ajudar bastante é separar por volta de 5 perfis/sites que você tem como referência em algum aspecto. Podem ser até de nichos completamente diferentes, mas que fazem um bom design e copywriting, por exemplo. As referências nos ajudam bastante a aplicar técnicas que já foram validadas por outras empresas. Porém, não se perca nelas, lembre-se que a originalidade é uma das características mais importantes para marcas hoje;
  • Crie conteúdos acionáveis: bons conteúdos incentivam os usuários a realizarem alguma ação, seja ela refletir, seja comprar, seja se inscrever, seja aplicar os conhecimentos adquiridos com o conteúdo. Neste artigo que você está lendo agora, por exemplo, tenho dois acionáveis principais que proponho: ler outros conteúdos do blog clicando nos links internos e aplicar os conhecimentos adquiridos na prática para produzir seus conteúdos. É importante deixar claro suas propostas para que a audiência saiba os próximos passos e evolua no funil de vendas;
  • Crie conteúdos embasados: divulgue as referências de seus conteúdos e faça afirmações com base em pesquisas, com embasamento em dados. Considere também entrevistar experts no assunto abordado, para ter ainda mais autoridade com seus conteúdos;
  • Crie conteúdos únicos: o meio digital é muito competitivo, seus conteúdos devem oferecer um valor diferente do que já está por aí;
  • Preze pela interatividade: o engajamento com seus conteúdos é um forte indicador de sucesso. Crie conteúdos com elementos interativos e bom storytelling para incentivar a interação.

Conclusão

Produzir conteúdos é talvez uma das tarefas mais importantes para uma empresa hoje. Eles funcionam como ponte que conecta as pessoas à sua marca.

Como muitas vezes o conteúdo é a primeira impressão que uma pessoa tem da sua marca, é importante garantir que seja uma bela impressão, isso só é possível entregando valor com um conteúdo excelente!

Espero que você aplique na prática o que aprendeu hoje e, se esse conteúdo agregou valor, compartilhe ele com mais pessoas.

Escrito por Felipe Santos

Escrito por Felipe Santos

Escrito por Felipe Santos

Escrito por Felipe Santos

Compartilhe este conteúdo
Compartilhe
Receba o melhor conteúdo de SEO & Marketing em seu e-mail.
Assine nossa newsletter e fique informado sobre tudo o que acontece no mercado
Agende uma reunião e conte seus objetivos
Nossos consultores irão mostrar como levar sua estratégia digital ao próximo nível.
>