Helpful Content System: novo algoritmo do Google é anunciado

Mariana Pessoa
Mariana Pessoa

A implementação do novo sistema iniciou dia 5 de dezembro e tem como objetivo valorizar conteúdos úteis, confiáveis e focados em pessoas para sites de todas as línguas.

O Google anunciou ontem, dia 6 de dezembro, a implementação de um novo sinal que será enviado para os sistemas de ranqueamento de Pesquisa: o Helpful Content System.

Diferentemente do Helpful Content Update, o novo sistema atingirá sites do mundo inteiro e de todas as linguagens, enquanto a atualização de agosto impactou apenas sites em inglês. 

No entanto, o objetivo segue o mesmo: garantir que as pessoas encontrem conteúdos originais, úteis e escritos por pessoas entre os resultados do Google. Saiba, a seguir, como o novo algoritmo vai operar e como preparar suas estratégias de SEO e Marketing de Conteúdo.

Como o Helpful Content System vai funcionar?

O Helpful Content System, ou Sistema de Conteúdo Útil (nome oficial em português), foi criado, segundo o Google, para assegurar que conteúdos criados por pessoas e para pessoas sejam mais relevantes que conteúdos feitos exclusivamente para performar bem nos mecanismos de busca.

Dessa forma, o sistema enviará sinais, entre os muitos e muitos outros sinais, para que o Googlebot consiga identificar as páginas que não entregam valor aos usuários, são pouco úteis ou simplesmente não foram escritas por pessoas (sim, inteligência artificial entra aqui).

Ou seja, se o robô determinar que um site tem muitos conteúdos ou páginas que não ajudam os usuários, possivelmente essas páginas deixarão de performar bem entre os resultados de pesquisa, dando lugar para conteúdos mais relevantes e realmente úteis.

Isso não significa que haverá punição, como acontece por spam ou outras ações que violam as diretrizes do Google. Será apenas mais um dos fatores de ranqueamento do buscador.

Conforme anunciou o Google, sites que têm conteúdos com pouco valor ainda podem seguir com bons posicionamentos, desde que o Google identifique outros sinais de conteúdos úteis e relevantes para uma busca. No entanto, sites com muitos conteúdos sem valor possivelmente sentirão o impacto disso.

Portanto, durante e após a implementação do novo sistema poderemos observar oscilações de posicionamentos na SERP e até quedas bruscas de tráfego orgânico. Lembrando que o processo deve levar cerca de duas semanas para ser finalizado.

É um novo algoritmo ou atualização?

Em novembro, o Google anunciou o seu Guia de Sistemas de Classificações visando unificar o conhecimento compartilhado durante os últimos anos sobre a Pesquisa Google. Nesse guia, a empresa trouxe um ponto muito importante: a diferença entre novo algoritmo (também podemos chamar de “sistema”) e atualização de algoritmo.

O termo “sistema” se refere a um novo fator de ranqueamento da SERP, como o BERT, PageRank e Page Experience, por exemplo. Por outro lado, a atualização de algoritmo (Core Update) é uma melhoria ao que já existe entre os fatores avaliados pelo Google.

Sendo assim, o Sistema de Conteúdo Útil é um novo fator de ranqueamento, ou seja, seus sinais impactarão na performance das páginas na SERP e devem ser levados em consideração pelos profissionais de SEO que desejam alcançar melhores resultados orgânicos.

Como criar conteúdo útil, confiável e com foco em pessoas?

Como criar conteúdo e páginas realmente úteis aos usuários? Querer atingir bons resultados com SEO pode ser um empecilho tendo em mente o novo algoritmo? A partir do Helpful Content Update que surgiu em agosto, dúvidas como essas passaram a ser frequentes. 

Não há resposta simples ou fácil para essas questões, mas o Google preparou algumas perguntas que podem ser feitas para responder a esses anseios. Veremos algumas delas a seguir.

Qualidade do conteúdo

Entre as muitas dúvidas que surgiram, a mais comum é: como garantir que estou construindo conteúdos de qualidade? Afinal, cada pessoa pode ter sua própria opinião sobre um mesmo conteúdo, certo? 

No entanto, o Google trouxe outra perspectiva de qualidade, uma mais palpável e menos complexa para profissionais de SEO poderem tirar conclusões. Para um conteúdo ser considerado de qualidade, ele deve:

  • ter informações, relatos, pesquisas ou análises originais — nada de ser um copia e cola da SERP;
  • apresentar informações relevantes para a pesquisa;
  • adicionar outras informações, dando originalidade ao conteúdo, caso seja baseado em outra fonte;
  • evitar clickbait para aumentar a taxa de cliques, como o uso de manchetes exageradas ou até mentirosas;
  • oferecer mais informações e satisfazer a dúvida do usuário, quando comparado aos outros resultados da SERP.

Vamos a um exemplo prático sobre qualidade? Imagine que você tem um site sobre animais, mas não entende nada sobre eles. Para criar seus conteúdos, prefere reescrever outros conteúdos mais relevantes que encontra pela Web e usá-los para se posicionar bem.

Você concorda que o usuário tem muitas chances de ficar frustrado ao entrar na sua página e descobrir que o conteúdo é muito similar, às vezes igual, ao de outra página? O seu site não estará, portanto, adicionando mais valor à busca.

Nível de especialização

Para avaliar a qualidade de um conteúdo, o Google também utiliza o termo conhecido como EAT — Expertise, Authoritativeness e Trustworthiness. Esses três pilares indicam o nível de Especialização, Autoridade e Confiança de páginas.

Para entender se seus conteúdos mandam bem nos critérios, você pode se fazer algumas perguntas.

  • O conteúdo apresenta as informações de maneira confiável, com indicação clara da fonte, evidências do uso de conhecimento especializado e dados sobre o autor ou site da publicação (como links para uma página de apresentação)?
  • O material é escrito por especialistas ou entusiastas que comprovadamente conhecem bem o tema?

Ou seja, uma dica é investir em redatores que realmente conheçam os temas que estão escrevendo e apresentar as referências para afirmações, principalmente quando o tema for mais sensível.

Apresentação e produção do conteúdo

Este tópico diz respeito a como a página ou o conteúdo são apresentados ao usuário. Aqui, o Google avalia pontos como a experiência na página, a gramática, a ortografia e como a página se comporta em diferentes dispositivos.

Por isso, o Google recomenda que os proprietários dos sites revisem os conteúdos antes de publicá-los e chequem as métricas do Google Search Console, que tem relatórios sobre a experiência do usuário.

Foque em pessoas, não em mecanismos de busca

Por último, o Google reforça o objetivo do novo algoritmo: colocar os usuários em primeiro lugar na busca. Ou seja, evitar frustrações ao encontrar conteúdos ruins, feitos unicamente para robôs ou receber cliques visando a monetização da página.

Se mesmo assim você ainda tem dúvidas se está no caminho certo, veja algumas perguntas que o Google separou para ajudar os profissionais.

  • Você tem um público-alvo atual ou pretendido para sua empresa ou site que acharia o conteúdo útil se entrasse em contato diretamente com ele?
  • Seu conteúdo demonstra claramente a experiência em primeira mão e um conhecimento profundo (por exemplo, conhecimento que vem de realmente usar um produto ou serviço ou de visitar um lugar)?
  • Seu site tem um objetivo ou foco principal?
  • Depois de ler seu conteúdo, a pessoa vai sentir que aprendeu o suficiente sobre um tema para ajudar a atingir o seu objetivo?
  • Quem ler seu conteúdo vai sentir que teve uma experiência satisfatória?

Se você respondeu “sim” para essas perguntas, não se preocupe: você foca em pessoas.

Meu site foi atingido! E agora?

Se o seu site teve uma queda durante ou após a implementação do Sistema de Conteúdo Útil, o indicado é fazer uma análise para encontrar o motivo e quais páginas foram afetadas pelo novo algoritmo.

Nesse caso, uma comparação entre o mês ou período anterior pode ser suficiente para encontrar essas páginas. A partir disso, analise as boas práticas construídas pelo Google para o desenvolvimento de conteúdos úteis e entenda o que falta nas páginas atingidas.

Uma dica é realizar uma poda de conteúdo, o famoso content pruning, já que, por meio dela, é possível realizar uma auditoria completa nas páginas de um site, identificando o que não faz sentido manter e as oportunidades de melhoria.Lembre-se de que diferentemente de outros algoritmos, o Helpful Content System não vai gerar penalizações ou ações manuais, apenas queda de performance nos sites e páginas que não corresponderem aos índices de qualidade do Google.

Referências do conteúdo

Escrito por Mariana Pessoa

Escrito por Mariana Pessoa

Mariana é estrategista de SEO e apaixonada por Marketing Digital. É também produtora de conteúdo no LinkedIn e escritora de ficção nas horas vagas.

Escrito por Mariana Pessoa

Escrito por Mariana Pessoa

Mariana é estrategista de SEO e apaixonada por Marketing Digital. É também produtora de conteúdo no LinkedIn e escritora de ficção nas horas vagas.

Compartilhe este conteúdo
Compartilhe
Receba o melhor conteúdo de SEO & Marketing em seu e-mail.
Assine nossa newsletter e fique informado sobre tudo o que acontece no mercado
Agende uma reunião e conte seus objetivos
Nossos consultores irão mostrar como levar sua estratégia digital ao próximo nível.
>