O que é a pesquisa por voz, como ela funciona e como aliar com SEO

Mariana Pessoa
Mariana Pessoa

A pesquisa por voz é um comando aos mecanismos de busca habilitado através da fala ao invés da digitação.

Tendência no Brasil e no mundo, as pesquisas por voz, ou Voice Search, não param de aumentar. Em 2002, o Google revolocionou o mercado com a funcionalidade de pesquisa por voz, e desde então, houveram centenas de melhorisa dos sistemas de inteligência artificial dos robôs.

Prova disso é o Brasil estar entre os três mercados que mais utilizam o Google Assistente para encontrar informações e organizar a rotina. E isso é endossado pela pesquisa do PWC, que trouxe o dado que 71% dos consumidores preferem fazer buscas por voz ao invés de digitar.

O que é pesquisa por voz?

Voice search, ou pesquisa por voz em português, é uma modalidade de pesquisa nos mecanismos de busca onde um usuário, ao invés de digitar a informação que deseja encontrar, ativa o recurso de reconhecimento de voz, realizando sua pesquisa através da fala.


Nos dias de hoje, além do próprio Google, outros assistentes virtuais permitem que seus usuários utilizem suas vozes para fazer pesquisas na internet e realizar ações físicas e virtuais, como por exemplo reproduzir uma música ou fechar uma cortina.


Entre os mais populares do mercado, hoje, estão o Google Assistente, do Google; Alexa, da Amazon; Cortana, da Microsoft e a Siri, da Apple, como pioneira. Veja como fazer a pesquisa por voz no Google:

Como a pesquisa por voz funciona?

A pesquisa por voz funciona através do ASR (Speech Recognition System, ou Sistema de Reconhecimento de Fala), que transforma os sinais da voz em textos que possibilitam o entendimento dos robôs.

Segundo o Google, o sistema serve como base para aplicações, como softwares de transcrição de fala em texto ou ferramentas de tradução. Assim, no momento em que o usuário utiliza a opção de fala, a tecnologia irá traduzir a voz em textos para que a busca seja realizada.

Outro fato interessante para profissionais sobre o funcionamento da pesquisa por voz é a tendência à pesquisa por palavras-chave de cauda longa. Isso porque, ao fazer uma pesquisa por voz, usamos uma construção de frase conversacional – ou mais parecida com a maneira como falamos.

voice query length.pngFonte: Moz

Estas pesquisas são feitas, em sua maioria, em formato de perguntas iniciadas com as palavras interrogativas como, quando, onde, o que e por que.

Hummingbird e Google BERT: do reconhecimento à compreensão

Graças ao impacto das atualizações de algoritmo Google Hummingbird e Google BERT, lançadas respectivamente em 2013 e 2019, o funcionamento das buscas por voz se sofisticou progressivamente ao longo.

Com o Hummingbird, o Google tornou-se capaz de responder a perguntas longas de forma mais rápida e precisa, abrindo caminho para uma compreensão mais exata da intenção do usuário. Foi o primeiro passo para o voice search.

Seis anos depois, o BERT chegou como um verdadeiro divisor de águas no domínio linguístico e semântico do buscador, tornando-o capaz de captar contextos sutis graças ao PLN – ou Processamento de Linguagem Natural –, área da inteligência artificial destinada a melhorar cada vez mais o entendimento da linguagem humana por parte dos robôs.

A junção destas duas melhorias deu origem a um algoritmo extremamente inteligente que, por meio daquilo que chamamos de machine learning, ainda é capaz de identificar padrões e desenvolver modelos aprimorados de análise de dados.

Estes padrões podem ser sotaques, regionalismos tênues, urgência de intenção, velocidade da fal, etc.

Em outras palavras, quanto mais você utiliza a pesquisa por voz, mais ela conhecerá seu comportamento e mais competente estará para trazer os melhores resultados. Após tudo isso, o voice search passou não somente a reconhecer a voz, como também a compreender sua mensagem.

As buscas por voz estão em crescimento

Segundo dados do Salesforce, em um estudo sobre a diferença geracional no uso de assistentes de voz em território americano, millennials estão mais propensos à utilização do recurso do que seus antecessores, a geração X e os baby boomers.

Cerca de 35% dos usuários de internet nascidos após 1982 disseram preferir se comunicar com empresas através da voz, enquanto somente 10% dos nascidos entre 1945 e 1964 alegaram preferência por essa modalidade de busca.

Outros dados do Thrive Analytics, em sua série de estudos especialmente voltados para o uso de assistentes de voz, dizem que, nos EUA, 66% dos millennials utilizam pesquisas por voz dentro de suas casas.

Apesar das buscas terem um interesse majoritariamente informativo, alguns jovens estão começando a fazer pesquisas por voz com intenções comerciais, ainda que os millennials sejam mais propensos a buscar por um produto do que a efetivamente comprá-lo.

Segundo a mesma pesquisa feita em 2019, os TOP 3 tipos de busca mais comuns feitas por voz dentro de casa são: informações gerais, com 53%; previsão do tempo, com 43% e a busca por instruções, ou como fazer, com 30%.

Para as buscas feitas em ambientes externos (ou móveis), a maior parte das pessoas prefere utilizar a busca por voz enquanto estão dirigindo porque é mais rápido (Higher Visibility).

A grande incidência de palavras interrogativas também nos mostra que os usuários que mais executam pesquisas por voz buscam resultados que se relacionam com ações imediatas, uma vez que o voice search está bastante relacionado às buscas mobile e local.

58% das pessoas que fizeram pesquisas por voz, inclusive, buscaram por informações sobre um negócio local, incluindo endereço.

Como otimizar o meu site para a pesquisa por voz?

As buscas por voz são mais rápidas, mais práticas e, a depender da situação, mais úteis.

Imagine que, enquanto dirige ao voltar do trabalho, decide comer comida árabe, mas não sabe bem onde existem restaurantes desta categoria. Uma simples busca por “restaurantes árabes” pode resolver o problema!

Ou então, no meio de uma receita, descobre que não tem certeza da quantidade exata de um determinado ingrediente e precisa checar novamente no site que a divulgou. Neste caso, repetir a busca por “como fazer torta de legumes” também é uma solução ágil.

Um dado do Google mostra que, nos EUA, entre 2016 e 2018, as buscas com as palavras chave “perto de mim agora” cresceram 150%.

Diante disso, é imprescindível que, a partir deste ano, as otimizações para as pesquisas por voz façam parte da sua estratégia de SEO de forma definitiva.

Para te ajudar, confira as dicas que considero mais relevantes quando o assunto é pesquisa por voz.

1. Entenda como seu consumidor se relaciona com buscas e dispositivos

Como citado algumas linhas acima, existe uma grande lacuna geracional entre os maiores usuários desta modalidade de pesquisa.

Enquanto os usuários que fazem parte das gerações Y e Z são os maiores heavy users, ou seja, possuem mais familiaridade com a tecnologia, seus antecessores parecem não se sentir muito à vontade com o fato de conversar com uma máquina.

Para saber qual a melhor maneira de chegar ao seu público, compreenda quem ele é e de que modo se relaciona com estes tipos de tecnologia.

As buscas por voz estão diretamente relacionadas com as buscas nos dispositivos móveis e, deste modo, também é preciso identificar qual o grau de correspondência entre seu público e suas experiências mobile.

De acordo com o site FinancesOnline, mais de 20% de todas as pesquisas mobile são feitas via pesquisa por voz.

Algumas dicas para compreender este comportamento são:

  • Obtenha um relatório completo dos seus dados de analytics mobile, eles estão mais conectados com as buscas por voz do que os dados para desktop.
  • Identifique personas precisas do seu público-alvo e construa um site que se encaixe em suas necessidades.
  • Dados demográficos são importantes.
  • Certifique-se de que seu site possui uma experiência mobile de alta qualidade, com alta velocidade de carregamento e conteúdo adaptado para este tipo de visita.

2. Foque em palavras conversacionais e long-tail

Estamos altamente habituados a utilizar a nossa voz para conversar com outras pessoas.

Assim, até mesmo na hora de falar com um robô tendemos a utilizar recursos linguísticos voltados a humanos, e entre os mais comuns nas pesquisas de voz estão as chamadas palavras interrogativas.

Quando falamos em buscas por voz, os termos mais comuns são o que, quem, como, quando e onde. Essas palavras, por sua vez, possuem diferentes degraus de intenção, sendo algumas delas mais propensas a ações imediatas do que outras.

Vamos aos exemplos! Quando um usuário busca por “onde comprar coca-cola”, ele está claramente buscando um lugar para comprar coca-cola naquele exato momento, extremamente propenso a executar uma ação dentro de poucos minutos.

Outros tipos de pesquisa, como “quem é marva collins?”, possuem uma intenção mais fria, ou seja, demonstram uma curiosidade puramente informacional.

Veja abaixo os degraus de intenção de acordo com as palavras interrogativas mais comuns:

Se o seu objetivo é posicionar nas pesquisas por voz, identifique em que degrau de intenção o seu negócio se encaixa e, na hora de desenvolver seu conteúdo, foque na palavra-chave conversacional mais relacionada a essa intenção.

3. Crie uma página de FAQ

Para responder às perguntas do seu público-alvo, nada melhor do que fazer isso através de uma página de perguntas e respostas.

As páginas de FAQ – ou Frequent Asked Questions – são um ótimo recurso na hora de utilizar as palavras interrogativas em seu conteúdo, porque literalmente possuem as perguntas mais comuns feitas pelo público que você deseja atingir.

Além disso, elas são muito importantes para incluir seu site no featured snippet “As pessoas também perguntam“, na SERP.

peoplealsoask

Use esta página para usar e abusar sem medo de todas as perguntas que se relacionam com as suas palavras-chave principais.

Para saber quais são estas perguntas, utilize a ferramenta Answer The Public. Ela mostra um gráfico com todo o universo de perguntas relacionadas a diferentes palavras-chave e quais são as palavras interrogativas mais comuns entre elas.

answerthepubliccafe

4. Utilize marcações de dados estruturados (Schema.org)

A compreensão linguística do algoritmo é muito boa, mas vale lembrar que os crawlers ainda são robôs e, para falar com eles, nada melhor do que uma linguagem técnica.

Para informar melhor ao Google qual o contexto do seu site, do seu negócio e do seu público, utilize as famosas marcações de dados estruturados.

Para isso, o Schema.org desenvolveu uma propriedade totalmente voltada às buscas por voz, chamadas Speakable markups, ou Marcações Faláveis.

Criadas inicialmente para o uso de veículos de notícias, a expectativa é que essas marcações ainda se estendam a outros tipos de sites.

Atualmente, os tipos disponíveis de marcação são Article e Webpage sob a especificação SpeakableSpecification.

Abaixo, um exemplo desta especificação em formato JSON:

O impacto das marcações, inclusive, não param por aí.

Elas são muito úteis para disputar posições em resultados zero, featured snippets e rich snippets, fatores que podem aumentar consideravelmente o CTR de um site na SERP.

Segundo Brian Dean, do blog Backlinko, 40,7% dos resultados mais bem ranqueados em pesquisas de voz vêm de resultados de featured snippets.

Se for usar os dados estruturados, não esqueça de testar as marcações do seu site utilizando a ferramenta de testes de dados estruturados oficial do Google.

5. Responda perguntas dos usuários

Uma vez que a maior parte dos usuários que executam pesquisas por voz buscam rapidez, publicar conteúdos que atendam a esta demanda te coloca em posições mais favoráveis diante do algoritmo.

Aplique a estrutura do triângulo invertido na hora de desenvolver seus textos e, deste modo, ofereça a resposta principal no topo da página. Ela se baseia em: informações mais interessante (quem? o quê? quando? onde? por quê? como?), detalhes importantes e informações contextuais.

trianguloinvertido

Se necessário, construa landing pages inteiras para responder a uma única pergunta, sempre utilizando a questão no título do conteúdo e respondendo a ela imediatamente abaixo.

Como o Google ainda tem preferência por conteúdos longos, aproveite o resto da página para desenvolver o assunto mais profundamente.

6. Deixe seu site Mobile Friendly

Você já deve ter ouvido falar em “mobile-first”, o termo que evidencia a importância de otimizar o seu site para dispositivos móveis.

Alguns aspectos importantes para mobile são:

  • Certifique-se de que o seu arquivo sitemap.XML está totalmente adequado e legível para pessoas e algoritmos.
  • Garanta bons resultados nas métricas do Core Web Vitals;
  • Melhore o LCP do seu site (veja aqui dicas de como otimizar a velocidade de carregamento do seu site);
  • Otimize seu conteúdo para pesquisas que possuem as palavras-chave [perto de mim] e/ou [agora].

7. Otimize conteúdo em vídeos

Uma das principais palavras interrogativas utilizadas em buscas por voz é “como”, ou o famoso how-to. São pesquisas que visam, principalmente, encontrar tutoriais vídeos explicativos simples e diretos.

E, como você deve saber, o rei dos tutoriais é o YouTube, o segundo maior buscador do mundo. Confira dicas interessantes para ranquear bem seus vídeos na SERP:

  • Descubra quais são as melhores palavras interrogativas para o seu nicho de negócios e abuse de todas elas.
  • Escreva títulos atraentes e sugestivos.
  • Aumente a retenção dos seus vídeos dispondo as informações de modo a prender a atenção do usuário. Para o YouTube, a taxa de retenção é um fator bastante importante.
  • Otimize tags, snippets e descrições.
  • Escolha uma miniatura interessante e auto-explicativa. Lembre-se de que se o usuário não puder ter uma noção prévia do que assistirá, as chances de você conquistar sua atenção são baixas.
  • Adicione legendas. Elas são rastreáveis pelos algoritmos de busca e facilitam a leitura dos robôs.
  • Suba um arquivo cujo nome está relacionado ao assunto do seu vídeo.
  • E, por último mas não menos importante, sempre estimule seus espectadores à engajar com o seu vídeo por meio de comentários, likes e assinando o seu canal.

Quer mais dicas? Acesse o artigo da Conversion sobre SEO para Youtube

8. Pense em obter snippets

A pesquisa por voz é um meio excelente de obter snippets. E para explicar o motivo, vamos lembrar como o Google Assistente funciona: quando você faz uma busca utilizando a fala, o assistente retorna geralmente falando a informação que mais corresponde a sua dúvida. 

Se a resposta te satisfazer, você sequer olhará para os demais resultados, certo? Por isso, otimizar para snippets para voz podem aumentar os seus resultados com na busca orgânica, principalmente se seu negócio for local. Siga as dicas:

  • Para otimizar pesquisas por voz, dê preferência para perguntas e palavras-chave de cauda longa, pois se assemelham mais à como falamos;
  • Confira através de ferramentas de SEO as principais palavras-chave do seu site e analise os featured snippets de cad página;
  • Veja quais são as páginas mais acessadas por dispositivo móveis e encontre formas de melhorá-las para buscas por voz.

9. Coloque sua empresa no Google Meu Negócio

Considerando o aumento das buscas por voz, entendemos também a importância das empresas terem um perfil no Google Meu Negócio com todas as informações necessárias a um potencial cliente pronto para consumir, como horário de atendimento, opções delivery, endereço e outras características do estabelecimento.

Isso porque será justamente através do perfil que muitas informações pesquisadas por voz serão encontradas, principalmente se você tiver um negócio local

Lembre-se que o recurso do Google facilita muito a vida do usuário, sendo possível utilizar para obter avaliações, encontrar endereço, telefone e outras informações que podem ser relevantes.

Conclusão

Ao longo do tempo, a pesquisa por voz vem representando uma grande parcela das buscas feitas não só no Google, mas em outros buscadores – como por exemplo o Bing, utilizado pelos assistentes virtuais Alexa e Cortana.

Com a crescente preferência por interações rápidas e cada vez mais móveis, melhorar o as buscas por voz do seu site não é mais um diferencial, mas uma necessidade. Utilize as dicas listadas aqui e continue a estudar sobre SEO para melhorar os seus resultados!

Referência do conteúdo

Escrito por Mariana Pessoa

Escrito por Mariana Pessoa

Mariana é estrategista de SEO e apaixonada por Marketing Digital. É também produtora de conteúdo no LinkedIn e escritora de ficção nas horas vagas.

Escrito por Mariana Pessoa

Escrito por Mariana Pessoa

Mariana é estrategista de SEO e apaixonada por Marketing Digital. É também produtora de conteúdo no LinkedIn e escritora de ficção nas horas vagas.

Compartilhe este conteúdo
Compartilhe
Receba o melhor conteúdo de SEO & Marketing em seu e-mail.
Assine nossa newsletter e fique informado sobre tudo o que acontece no mercado
Agende uma reunião e conte seus objetivos
Nossos consultores irão mostrar como levar sua estratégia digital ao próximo nível.
>