Saiba como identificar concorrentes orgânicos para superá-los na SERP

Lucas Amaral
Lucas Amaral

Conceito se diferencia de concorrentes diretos do negócio

Identificar concorrentes orgânicos nem sempre é uma tarefa fácil. Afinal, há empresas rivais que oferecem produtos e serviços semelhantes, mas para públicos diferentes. Por outro lado, existem páginas que ofertam soluções distintas, mas possuem a mesma audiência como alvo. 

Quando se fala em busca orgânica, é importante ter essas diferenças bem definidas. Um concorrente de negócio não é, necessariamente, um concorrente orgânico. Esse posto fica para páginas com as quais são disputadas as primeiras colocações nos rankings de pesquisa.

A identificação e compreensão das técnicas utilizadas pelos adversários na SERP é essencial para criar páginas com um melhor desempenho. 

Então, se você quer saber mais sobre o assunto, continue a leitura. Neste texto, saiba o que são e como reconhecer concorrentes orgânicos para SEO. 

O que é um concorrente orgânico?

Um concorrente orgânico é uma página ou site que disputa posições no topo dos resultados dos mecanismos de busca. Ou, em termos mais simples, tenta ranquear para um mesmo termo de pesquisa (palavra-chave) ou topic cluster

Para facilitar a compreensão, vamos recorrer a um exemplo. Imagine que você tenha uma loja virtual que deseja ranquear para o termo de busca “tênis infantil”. Ao observar a SERP, todas as páginas que disputam a palavra-chave são concorrentes orgânicos. 

Contudo, há inúmeros resultados. Por essa razão, normalmente são identificadas como concorrentes as páginas ranqueadas na primeira página. Afinal, são aquelas que agradam ao algoritmo. Ao analisá-las, é possível observar quais são seus pontos fortes e fracos e tomar decisões para superá-las. 

Existe, ainda, outra abordagem, que consiste em apontar sites inteiros que disputam múltiplas keywords e são definidos como concorrentes. Ou seja, concorrentes orgânicos podem ser páginas ou domínios. 

É preciso ter em mente que a pesquisa de palavras-chave é um passo importante na definição da estratégia. Não é vantajoso ranquear para termos que atraem tráfego mas não correspondem à intenção de busca do usuário ou não geram conversões. A escolha deve ser realizada de acordo com os objetivos de negócio e, caso seja necessário, utilizados termos de cauda longa

Quando há uma desvantagem muito grande entre os fatores de ranqueamento da sua página e aquelas na primeiras colocações (como autoridade de página, idade de domínio ou velocidade de carregamento), não é preciso vê-las como adversárias. 

Estrategicamente, podem ser consideradas benchmarks, páginas que um dia se tornarão concorrentes. Mas, por ora, muitas vezes é melhor tentar se posicionar à frente de páginas mais próximas no ranking, escalando degrau por degrau. Ou ter como meta posições entre a segunda e a décima colocação ou snippets.

New call-to-action

Qual é a diferença entre um concorrente de negócio e um concorrente orgânico?

No ambiente corporativo, são definidos como concorrentes os negócios que oferecem soluções para os mesmos problemas e dividem a mesma parcela de mercado. 

Entretanto, nos buscadores, as páginas concorrentes nem sempre correspondem à concorrência direta. 

Pense, por exemplo, em uma instituição financeira que cria conteúdos sobre educação financeira para auxiliar a persona. Um blog sobre finanças pessoais, uma empresa de contabilidade ou uma organização governamental relacionada à tributação poderiam buscar o mesmo espaço na SERP. 

Em poucas palavras, mesmo que o sistema de monetização vise uma clientela diferente, podem ser considerados concorrentes orgânicos. 

Como identificar concorrentes orgânicos?

Existe uma resposta simples para essa pergunta: com ferramentas de palavras-chave, como Semrush, Ahrefs e Moz. Porém, o que elas fazem é uma análise geral de páginas e sites que concorrem na SERP por termos de pesquisa atuais, sem levar em conta questões estratégicas futuras ou sua audiência. 

Para realizar um apontamento preciso, é necessário utilizar inteligência humana. A seguir, veja um passo a passo sistemático para identificação dos concorrentes orgânicos. 

1. Encontre um tópico primário e subtópicos

O tópico primário é o tema que será tratado no site ou blog. Geralmente, ele é associado ao produto e responde às dúvidas regulares da persona acerca de um assunto geral. 

Essa definição auxilia na criação de estratégias que aumentam a autoridade de tópico, dizendo aos buscadores que as suas páginas são fortes em um nicho de atuação. 

Imagine, por exemplo, que você tenha uma livraria online, cujo tópico primário é “livros”. A partir daí, existe uma série de subtópicos identificáveis, como “livros de autoajuda”, “livros infantis” ou “livros de poesia”. Em uma visão de SEO, a cobertura desses temas fortalecem o impacto do tópico primário.  

2. Defina as palavras-chave relevantes

A partir da definição dos tópicos, é chegado o momento de descobrir quais palavras-chave são, de fato, relevantes. 

Aqui as ferramentas de palavras-chave são essenciais, pois trazem dados acerca da volumetria (correspondente às buscas mensais por esses termos) e dificuldade (que considera as páginas já ranqueadas). 

A dificuldade considerada por essas plataformas geralmente entrega um número de 1 a 100. 

Em uma consulta, é possível descobrir keywords como:

  • “livros de romance”: 49500 buscas mensais / 32 de dificuldade
  • “livros mais vendidos”: 33100 buscas mensais / 52 de dificuldade
  • “livros infanto juvenil”: 27100 buscas mensais / 22 de dificuldade
  • “livros de fantasia”: 8100 buscas mensais / 36 de dificuldade
  • “livros de história”: 8100 buscas mensais / 22 de dificuldade

Agora é preciso tomar decisões estratégicas. Ou seja, verificar a possibilidade de ranqueamento a partir da dificuldade e, claro, se as keywords são interessantes para o negócio. 

Nesse caso, talvez a palavra-chave “livros mais vendidos” não seja tão interessante no momento por conta de sua dificuldade de ranqueamento. E “livros de história”, embora tenha um volume de buscas razoável, pode não ser um produto oferecido na sua livraria. 

3. Liste as páginas e os sites mais comuns

A seguir, é preciso listar quais são as páginas com possibilidade de ultrapassagem na SERP. Você pode realizar uma busca diretamente no Google para avaliar quais são aquelas posicionadas no top 10. Estes são os seus concorrentes orgânicos, que podem variar devido à volatilidade dos resultados. 

Caso deseje definir domínios inteiros, é preciso avaliar os principais concorrentes na SERP e segmentar aqueles que aparecem com maior frequência. Provavelmente, eles são os que apresentam uma estrutura interessante de textos e tópicos para observação. 

4. Crie páginas melhores

Depois de realizado esse exercício, é preciso realizar uma varredura manual das páginas que você deseja superar. Você pode observar um número limitado de colocações, mas tenha em mente que quanto mais densa a pesquisa, melhores os resultados. 

Em páginas de produto, é necessário avaliar os elementos nelas contidos, como imagens, descrições, avaliações de clientes, respostas às dúvidas etc. 

Já em blog posts a análise é realizada acerca dos tópicos cobertos, tamanho do texto, formatação, links internos e formatos de conteúdo (gráficos, tabelas ou bullet points, por exemplo). 

A partir de uma avaliação da coletividade das páginas, você deve criar uma página melhor que as demais. Essa técnica é conhecida como skyscraper. 

Se você deseja contar com uma agência parceira para auxiliá-lo em seus projetos de SEO, entre em contato com a Conversion.

Assine nossa Newsletter:

Escrito por Lucas Amaral

Escrito por Lucas Amaral

Escrito por Lucas Amaral

Escrito por Lucas Amaral

Compartilhe este conteúdo
Compartilhe
Receba o melhor conteúdo de SEO & Marketing em seu e-mail.
Assine nossa newsletter e fique informado sobre tudo o que acontece no mercado
Agende uma reunião e conte seus objetivos
Nossos consultores irão mostrar como levar sua estratégia digital ao próximo nível.
>