SEO para LinkedIn e Pulse: como atrair clientes, candidatos e visitantes

Lucas Amaral
Lucas Amaral

Estratégias de otimização funcionam tanto para a busca interna, da plataforma, quanto para buscadores tradicionais

Muita gente se esquece, mas os mecanismos de busca também estão presentes nas redes sociais. Os algoritmos são diferentes, possuem critérios internos, assim como um sistema de classificação de resultados próprio. 

Contudo, é válido lembrar que também podem aparecer nas SERPs do Google e de outros buscadores, como na imagem abaixo. 

Quando se fala em SEO para LinkedIn, plataforma de interação voltada aos negócios, as práticas de otimização são especialmente importantes. Afinal, a aparição nos primeiros resultados pode gerar novas oportunidades. 

Isso é válido para perfis pessoais, company pages, vagas e no LinkedIn Pulse,  ferramenta de artigos que possui atributos próprios e aparecem em motores como o Google e o Bing. Na realidade, até mesmo publicações estão sujeitas à varredura. 

Se você quer saber como aplicar o SEO para LinkedIn, chegou ao lugar certo. Neste texto, saiba como funcionam as melhores práticas para ganhar prioridade.

O que é SEO para LinkedIn?

SEO para LinkedIn é a aplicação prática de atributos de otimização junto aos recursos da rede social para negócios. Como no SEO para sites e blogs, tem como objetivo um melhor ranqueamento nos resultados de pesquisas. 

Para facilitar o entendimento do conceito, peço licença para contar um caso próprio. Em algum momento entre 2014 e 2016 (não me lembro exatamente a data), eu trabalhava como redator freelancer. Em determinado momento, percebi que o LinkedIn era a ferramenta ideal para aquisição de novos clientes. 

Contudo, meu perfil não recebia muitas visitas. Completei os ajustes básicos, coloquei uma foto bonita e aguardei. Nada. Por mais que eu publicasse alguns posts interessantes, sabemos como os algoritmos sociais demoram para alavancar. E eu precisava de jobs urgentemente.

Naquela época, já me embrenhava pelos orientes da otimização para mecanismos de buscas, então pensei em botar em prática os mesmos critérios utilizados para um bom posicionamento nesses canais. 

Metade da resposta estava na ponta da língua. Eu sabia que meu cliente ideal buscaria pessoas com o meu perfil por meio do termo “redator”. Também imaginava que o formato do meu modelo de negócio seria, claro: “freelancer”. 

O pulo do gato aconteceu quando pensei no meu diferencial. O que as pessoas desejam para um redator com os meus conhecimentos específicos? Foi quando uma luz me veio à mente: “SEO!”. 

Foi aí que percebi que precisava adicionar a sigla ao meu título. “Redator SEO freelancer”, foi o que coloquei. Posso dizer que, a partir daí, minha carreira andou muito bem, obrigado.

O termo, inclusive, inspirou o nome da empresa e o domínio que utilizo até hoje no meu blog pessoal, o redatorSEO, gerando muitos outros contatos por meio do Google, mas essa é uma história para outra hora. 

Este pequeno relato exemplifica o que é o SEO para LinkedIn. Trata-se do uso estratégico de recursos para potencializar resultados. A seguir, conheça algumas das melhores práticas para cada uma das funcionalidades da rede social. 

SEO para perfis

Os critérios utilizados pelo algoritmo do LinkedIn para a classificação de resultados são muito semelhantes aos dos mecanismos de busca tradicionais. Ele também se baseia em métricas de engajamento. Por isso, a produção de conteúdo regular e as interações nunca devem ser deixadas de lado.

Fonte: perfil de Diego Ivo no LinkedIn

A metodologia de criação de personas pode ser aplicada ao pensar em quem você deseja atrair para o seu negócio, sejam clientes, sejam contratantes e colaboradores ou outros parceiros de negócio. 

O uso de palavras-chave também se faz valioso. Para isso, é preciso pensar (ferramentas de palavras-chave ajudam nessa tarefa) nos termos utilizados pela sua persona para encontrar um profissional com o seu perfil. 

Os campos principais são “título” e “cargo”. As pessoas que você deseja atrair buscam por “CEO” ou “Co-fundador”? “CMO” ou “head de marketing”? “Customer success” ou “sucesso do cliente”? “Chofer” ou “motorista de carros”? 

A localidade é outro critério importante, pois o solicitante da busca pode utilizar filtros para fazer a escolha. Assim como as informações de contato (email, número de telefone, Skype, redes sociais e endereço) e outras adicionais, como site pessoal e URL personalizada, recursos oferecidos pela plataforma. 

As palavras-chave também podem ser aplicadas em outros campos, como a aba “sobre” ou até mesmo em “experiência”. Pense nos termos que podem ser de interesse para o seu potencial parceiro de negócio ou contratante. No meu caso, utilizo tags como “estrategista de conteúdo”, “professor de marketing de conteúdo” e “storyteller”, que refletem posições que sou capaz de ocupar.

A aba “em destaque” permite a inserção de publicações ou citações no ambiente digital. É ótima para a inclusão de trabalhos dos quais você se orgulha e que geram autoridade ao seu perfil.

Outros recursos que destaco são as “competências” e “recomendações”. Elas servem como prova social do seu trabalho, trazendo segurança para o algoritmo e aos visitantes. Inclusive, há um sistema de avaliação do LinkedIn, que insere selos mediante a aprovação em testes.

Sobre o design, não há muito o que fazer, já que se trata de um espaço “alugado” em uma plataforma alheia. Porém, claro, é preciso pensar em uma foto de perfil condizente com o perfil desejado pela persona e um plano de fundo que a complemente.

As demais funcionalidades oferecem recursos básicos, mas é claro que quanto mais completo o seu perfil, melhor. Formação acadêmica, licenças e certificados, cursos, projetos, publicações, reconhecimentos, prêmios e idiomas acrescentam informações que podem fazer a diferença no ranqueamento do perfil e, claro, na geração de novos negócios. 

SEO para company pages

A aplicação de SEO para company pages segue uma lógica semelhante àquela utilizada nos perfis de pessoas. Aqui, mais uma vez, publicações e interações são essenciais para obter um alto índice de engajamento e, posteriormente, um bom posicionamento no ranking de resultados.

Fonte: Company page da Conversion no LinkedIn

Nome e logotipo da empresa podem vir acompanhados de um slogan, que deve refletir a essência do negócio. Aqui, mais uma vez, é possível criar uma URL personalizada, que facilita a identificação do algoritmo e a divulgação do link em outros canais de comunicação. 

Há outras opções para inclusão de CTAs, que podem levar o usuário ao site ou gerar leads, por exemplo. O mais importante, no entanto, é a aba “visão geral”, que traz informações cruciais para o visitante. 

A “descrição” oferece a oportunidade de resumir serviços e valores. Assim, as palavras-chave de interesse da persona ganham prioridade mais uma vez, podendo ser incluídas também nas “especialidades”, etiquetas que refletem áreas e serviços prestados. 

As “hashtags” aparecem como agregadores. Assim, o usuário pode buscar por elas, o que pode gerar algumas visitas. 

Outra aba de grande relevância é a “compromissos”. Tanto candidatos quanto parceiros podem estar interessados nos valores do negócio em relação à sustentabilidade, ao equilíbrio entre vida pessoal e profissional, à diversidade e ao impacto social. 

Detalhes como “setor”, “tamanho da empresa”, “tipo de empresa” e “telefone” são úteis não apenas para reconhecimento do algoritmo mediante aos filtros, mas também para uma melhor experiência do visitante. 

SEO para LinkedIn Pulse

O LinkedIn Pulse é a ferramenta de artigos do LinkedIn. Ela pode ser utilizada tanto por perfis pessoais quanto por company pages. Os textos aqui publicados não estão presentes nos resultados do mecanismo de busca do LinkedIn, mas aparecem diretamente nos buscadores como resposta às pesquisas dos usuários.

Por isso, em suma, segue os mesmos critérios utilizados no SEO on-page e no SEO para conteúdo, nos quais elementos como uso de palavras-chave, entendimento da intenção de busca, hierarquia de tópicos, formatação e qualidade são avaliados. 

Recentemente, o LinkedIn adicionou configurações que permitem a alteração do SEO title, mostrando um título para quem está diretamente na plataforma e outro para usuários oriundos do Google. A recomendação é que tenha entre 55 e 60 caracteres para a visualização completa.

Além disso, é possível determinar uma “descrição de SEO” (referente à meta descrição), que acompanha os links clicáveis nas páginas dos buscadores e tem como função atrair o clique e resumir o tema tratado. Nesse caso, o tamanho ideal é entre 140 e 160 caracteres. 

Em ambos os atributos, o uso das palavras-chave pode fazer toda a diferença para atrair mais leitores para os artigos do LinkedIn Pulse. 

Se você deseja contar com uma agência especializada para potencializar seus esforços de SEO, entre em contato com a Conversion.

Escrito por Lucas Amaral

Escrito por Lucas Amaral

Escrito por Lucas Amaral

Escrito por Lucas Amaral

Compartilhe este conteúdo
Compartilhe
Receba o melhor conteúdo de SEO & Marketing em seu e-mail.
Assine nossa newsletter e fique informado sobre tudo o que acontece no mercado
Agende uma reunião e conte seus objetivos
Nossos consultores irão mostrar como levar sua estratégia digital ao próximo nível.
>