Data storytelling: o que é, qual a importância e mais!

Mariana Pessoa
Mariana Pessoa

Data storytelling é a técnica de contar histórias envolventes a partir da análise de dados. O objetivo é transformar dados em percepções ou ações, apoiando no processo de tomada de decisão.

Há quem diga que contar histórias é arte, e como toda arte, é possível aprender e aplicar em vários aspectos da vida. Conquistar a tão sonhada retenção em blogs, por exemplo, depende exclusivamente da qualidade do conteúdo e do quão envolvente a escrita é para a audiência.

E na análise de dados não seria diferente. Dados, por si só, já são difíceis de apresentar para grande parte das pessoas, principalmente as traumatizadas com as aulas de matemática durante o período escolar. 

Por isso, aplicar técnicas de storytelling na hora de compartilhar resultados ou apresentações pode ser o caminho ideal para fisgar a atenção das pessoas e receber o devido reconhecimento pelo seu trabalho. Quer saber mais? Continue a leitura!

O que é Storytelling na Análise de Dados?

Data storytelling, ou Storytelling com dados, é o processo de criar narrativas a partir da análise de dados com o objetivo de comunicar os resultados de forma envolvente. 

Por isso, o processo envolve a combinação poderosa entre visualização de dados, narrativa e contexto para facilitar o entendimento, aumentar o interesse e transformar a apresentação em algo impactante para a audiência.

Os pilares do data storytelling são:

  • Dados: eles são a base de tudo, pois é a partir deles que podemos construir a narrativa. Portanto, os dados se transformam em estatísticas, tendências ou insights.
  • Visualização: para garantir que os dados sejam compreensíveis, utilizamos o recurso chamado de “visualização de dados”, que consiste na criação de gráficos, como histogramas, boxplot e mapas de calor.
  • Narrativa: a história é a “liga” entre os dados e a visualização. Com uma boa história, conseguimos conectar os dados de uma forma significativa e como podemos utilizar o conhecimento adquirido a partir deles.

Em termos mais simples, “storytelling” significa “contar histórias”, sendo considerada uma técnica para narrar histórias envolventes e que engajam a audiência. Já o “data”, que pode ser traduzido para “dados”. Juntando os dois, temos o termo “storytelling com dados”, a arte de converter números, relatórios e resultados em histórias interessantes para a uma audiência.

Qual é a importância do Storytelling na Análise de Dados?

Dados não são simples de compreender. Seja pela complexidade dos números, da dificuldade em interpretar um gráfico ou até o desinteresse completo por algo que não vem mastigado, é certo que apresentar dados para outras pessoas pode gerar uma série de sentimentos, e nem sempre positivos.

No entanto, para quem trabalha com SEO e Marketing, a análise de dados deve fazer parte da rotina, independente do compartilhamento da análise com outras pessoas. Mas conhecer e dominar técnicas de storytelling vai fazer com que você dê alguns passos à frente na sua carreira. 

Isso porque é a forma como os dados são apresentados que ditarão o sentimento das pessoas sobre eles. Explico: se você descobrir que uma campanha foi divulgada sem UTM e, por isso, impediu análises mais completas e o acompanhamento dos resultados, as pessoas entenderão que “só” foi isso.

Mas você, como pessoa que fez a análise, sabe que os impactos foram ainda maiores. Assim, através do storytelling, você pode não só compartilhar os impactos — focando no mais importante, sempre —, como também explicar como a situação foi grave porque a empresa perdeu um histórico importante, neste caso, da campanha. 

Além disso, storytelling com dados é essencial porque é um grande diferencial em apresentações de resultados ou relatórios, já que a narrativa foi construída para ser envolvendo e levar a pessoa até o fim, garantindo o engajamento e posteriormente outras percepções e até ações a partir disso.

Como afirma Cole Nussbaumer Knaflic, autora do livro Storytelling com Dados:

“Uma visualização de dados eficaz pode significar a diferença entre o sucesso e o fracasso na hora de comunicar as constatações de seu estudo, levanta​​r dinheiro para a sua organização sem fins lucrativos, apresentar informações para seus diretores ou simplesmente mostrar sua ideia para seu público.”

Análise Exploratória versus Explanatória

No data storytelling, é muito importante entender a diferença entre a análise exploratória e a análise explanatória. Os conceitos, além de diferentes, trazem também outro tipo de abordagem na hora de contar a história.

A análise exploratória é aquela que fazemos quando queremos compreender os dados e descobrir o que pode ser interessante para destacar em uma apresentação, por exemplo. Em termos práticos, estamos explorando os dados disponíveis sem muito direcionamento.

Enquanto isso, na análise explanatória nós estamos buscando por algo específico, como o motivo de uma categoria do e-commerce não estar recebendo acessos ou entender a queda de usuários aos finais de semana.

Assim, ao decidir construir um storytelling com dados, é preciso se concentrar nos resultados da análise explanatória, que certamente vai chamar mais atenção da plateia por se tratarem de dados mais lapidados e importantes para eles, ao invés de todos os dados encontrados no meio do caminho.

Como criar um Storytelling?

Obtenha os dados

O primeiro passo para criar uma narrativa é extrair os dados que você quer analisar. Assim, utilize ferramentas como Google Analytics ou outra que detém os dados necessários, determine o período e extraia para uma planilha.

Já sabe o que está buscando? Então faça uma análise explanatória. Caso contrário, inicie uma análise exploratória até encontrar algo interessante para iniciar a construção do seu storytelling. 

Visualize a história contida neles

Com os dados em mãos e a análise concluída, comece a pensar em como transformar esses dados em algo mais “pálpavel”. Neste caso, utilizar a visualização de dados, ou seja, os famosos gráficos, é o melhor caminho.

Identifique a história que cada dado conta e, a partir disso, construa os gráficos na ferramenta de sua preferência. O Google Sheets ou o Excel são as ferramentas mais indicadas para quem possui pouco conhecimento no assunto. 

No entanto, tome cuidado com quais gráficos escolher! Pense como um designer neste momento. Apesar do storytelling ser, por vezes, falado, os gráficos também precisam comunicar a mensagem certa.

Crie narrativas atraentes

Com os dados e gráficos em mãos, é hora de estruturar como a história será contada. Para começar a construir o seu data storytelling, você precisa:

  • Entender como a sua análise de dados pode comprovar seu ponto ou ideia
  • Definir seu público e a linguagem mais adequada para se comunicar com eles
  • Preparar a sua apresentação de uma forma que tenha um início (contexto), meio (resultados) e fim (conclusões)

A partir disso, ficará mais fácil construir uma narrativa que verdadeiramente chame a atenção do seu público. 

Mostre diferentes formatos de apresentar a narrativa

O seu data storytelling não precisa acontecer apenas em uma apresentação, aquelas com slides e tudo que tem direito. Dependendo do caso, você pode construir um storytelling com dados em uma página em branco, como num relatório.

Além disso, gráficos e imagens podem ser recursos interessantes para aumentar o entendimento da sua análise, assim como um vídeo animado, áudio ou até mesmo um infográfico. 

É só escolher o formato que mais faz sentido com seu público para garantir que seu data storytelling seja contado da maneira mais efetiva possível.

O que não fazer com o storytelling?

O inimigo do storytelling é a saturação. Como muitas informações são apresentadas durante a narrativa, pode ser cansativo para a audiência manter a atenção por muito tempo. Neste caso, a saída é sempre evitar informações em excesso ou desnecessárias para o momento.

Outra armadilha são os gráficos. Antes de usá-los, certifique-se que escolheu o tipo e formato certo para o tipo de narrativa e dado que quer apresentar. Gráficos de pizza, por exemplo, são péssimos quando possuem muitas informações. Como o usuário vai identificar as porcentagens assim?

Por fim, ignorar o contexto dos dados e utilizar termos técnicos demais também afetam negativamente a compreensão do seu storytelling. Afinal, a narrativa precisa ser, acima de tudo, fazer sentido para quem está do outro lado.

“Os números não têm como falar por si mesmos. Somos nós que falamos por eles. Nós somos imbuídos de significado.”

Nate Silver, autor de “O sinal e o ruído”

Ferramentas úteis para Data Storytelling

Google Search Console

O Google Search Console é uma ferramenta gratuita do Google que ajuda os proprietários de sites e profissionais de SEO a monitorar e solucionar problemas com o mecanismo de busca

Através dele, é possível obter informações sobre quais páginas do seu site estão sendo indexadas pelo Google, quais palavras-chave estão levando as pessoas ao seu site e se há algum problema de usabilidade móvel, entre outras coisas. 

Ou seja, é uma fonte de dados valiosa que podem ser usados para construir um data storytelling sobre o desempenho do seu site. Também é excelente para estruturar a sua estratégia de Marketing de Conteúdo, ein?

Google Trends

O Google Trends é uma ferramenta online que analisa a popularidade de termos de pesquisa específicos em várias regiões e idiomas do mundo. 

A ferramenta pode fornecer insights sobre tendências de mercado, comportamento do consumidor e interesse do público em tópicos específicos ao longo do tempo. Esses dados podem ser utilizados para criar narrativas convincentes sobre tendências e mudanças no interesse do público.

Google Analytics

O Google Analytics é uma das principais ferramentas mais populares para análise de comportamento de sites. Ele permite que você acompanhe e analise dados detalhados sobre visitantes do site, comportamento do usuário, conversões, canais de aquisição de tráfego, e muito mais. 

Você pode usar esses dados para criar histórias sobre como os usuários interagem com o seu site, quais canais de marketing são mais eficazes e como diferentes segmentos de público se comportam.

Tableau e Power BI

Além dessas ferramentas, também existem várias outras ferramentas de visualização de dados que podem ser úteis no data storytelling, incluindo Tableau, Power BI, que permitem que você transforme seus dados em gráficos e visualizações interativas. No entanto, o conhecimento necessário para utilizá-las é um pouco mais avançado.

Escrito por Mariana Pessoa

Escrito por Mariana Pessoa

Mariana é estrategista de SEO e apaixonada por Marketing Digital. É também produtora de conteúdo no LinkedIn e escritora de ficção nas horas vagas.

Escrito por Mariana Pessoa

Escrito por Mariana Pessoa

Mariana é estrategista de SEO e apaixonada por Marketing Digital. É também produtora de conteúdo no LinkedIn e escritora de ficção nas horas vagas.

Compartilhe este conteúdo
Compartilhe
Receba o melhor conteúdo de SEO & Marketing em seu e-mail.
Assine nossa newsletter e fique informado sobre tudo o que acontece no mercado
Agende uma reunião e conte seus objetivos
Nossos consultores irão mostrar como levar sua estratégia digital ao próximo nível.
>