Texto para SEO: conteúdos para aparecer em 1º lugar no Google

Felipe Santos
Felipe Santos

Para escrever livros e textos no mundo offline você precisa ter bons conhecimentos em gramática, concordância, ortografia, escrita persuasiva, entre outros.

Online, além dos requisitos padrão da escrita offline, você precisa adicionar uma habilidade a seu repertório: SEO.

Essa matéria já até integra a grade curricular de cursos de comunicação nas faculdades, sendo cada vez mais importante.

Fazer um texto para a web sem ter conhecimentos em SEO é quase como escrever algo e não divulgar o que escreveu, condenando seu texto ao esquecimento.

Felizmente você vai aprender neste artigo como fazer um texto pensando em SEO, de forma que ele tenha resultados positivos para seu negócio.

O que é SEO e qual a sua importância?

SEO significa Search Engine Optimization, que se refere a um conjunto de otimizações e correções feitas em um site ou canal online para potencializar sua visibilidade em mecanismos de busca como a pesquisa do Google, YouTube, Bing e TikTok.

Ao escrever um texto e publicá-lo no site, esse conteúdo será rastreado e analisado pelo Google e outros algoritmos de pesquisa, para avaliar sua relevância e apresentá-lo aos usuários quando eles fizerem alguma consulta.

Vamos supor que você criou um conteúdo sobre “Como fazer batata frita passo a passo” e publicou em seu site. O Google vai descobrir esse conteúdo por links em seu site (ou pelo sitemap) e analisá-lo. Caso ele julgue seu texto relevante para uma busca como “fazer batata frita”, seu conteúdo pode aparecer nos resultados de busca gratuitamente.

Tudo depende do quanto você se dispõe a otimizar seus conteúdos e aplicar boas práticas de SEO que vão aumentar suas chances de aparecer nas buscas.

Esses resultados “gratuitos” são chamados de resultados orgânicos, a base de tráfego e vendas de muitos sites. Negócios inteiros como ecommerces e prestadores de serviços foram construídos graças ao tráfego orgânico.

Existem diversos fatores envolvendo SEO técnico, dados e off-page que influenciam os resultados orgânicos. Neste artigo, vamos focar no SEO para produção de conteúdos, mais especificamente, textos, sejam de blog ou descrições de produtos e serviços.

O algoritmo do Google e outros mecanismos de busca

Antes de partir para a prática, você precisa ter uma base de como funcionam os algoritmos que apresentam os conteúdos nos resultados de busca e o que eles avaliam.

Vamos usar como exemplo o Google, talvez o mecanismo de busca sobre o qual temos mais informações.

São vários sistemas de avaliação que aplicam inteligência artificial, processamento de linguagem e outras técnicas para analisar uma página, além é claro dos robôs que extraem e processam as diferentes informações de uma página na web.

Como mencionei no tópico anterior, existem desde fatores mais técnicos que envolvem o código do site até fatos externos que envolvem a reputação do site. Aqui precisamos focar nos fatores de conteúdo, on-page.

No geral, o que o Google está procurando cada vez mais é simular a experiência que o usuário tem na página e avaliá-la pela sua perspectiva. Logo, se você escrever um conteúdo pensando em primeiro lugar na sua utilidade para o usuário, já está meio caminho andado.

  • Nota: vamos falar mais sobre o que exatamente o Google avalia para chegar à conclusão de que um conteúdo é útil.

Porém, outro fator importante que os usuários não vão perceber necessariamente é o uso das tags corretas e palavras-chave nos lugares certos. As tags são usadas para construir a estrutura de uma página na web. É importante lembrar que os robôs do Google, apesar de tentarem, não veem a página que nem os usuários.

Para ajudá-los a entender o que é cada elemento e onde estão as informações mais importantes do conteúdo, precisamos usar as tags corretas, sobre as quais também vamos falar nos próximos tópicos.

Agora que está mais claro como os algoritmos avaliam um texto na web, vamos para a prática!

Como planejar um texto SEO?

Assim como o planejamento de muitas estratégias de marketing, começamos pelo arroz com feijão:

  • Objetivo: o que queremos atingir com esse texto? Como ele vai contribuir com o negócio? Quais são os indicadores chave de sucesso do texto? Tráfego? Leads? Vendas?;
  • Persona: para quem vamos escrever o texto? Como mencionamos, o Google e outros mecanismos de busca valorizam uma boa e útil experiência para os usuários. Só é possível proporcionar isso sabendo de seus necessidades, desejos e dúvidas, para criar conteúdos de acordo;
  • Jornada de compra: em qual etapa da jornada de compra o leitor desse texto está? Outro fator importante para definir antes de produzir o texto. Se o leitor está em etapas iniciais da jornada de compra, mencionar um produto da marca ou tentar vendê-lo será um erro, que pode prejudicar a experiência do usuário. No caso do início da jornada, é importante fazer textos informativos e ricos, com CTAs que se aprofundem ou convertam o leitor em um lead, por exemplo. O conhecimento da etapa da jornada de compra vai guiar seu texto em direção às necessidades do usuário.

Definidos os conceitos acima, vamos para a parte prática do planejamento, onde você já começa a esboçar alguma coisa.

1. Pesquisa de palavras-chave

Depois de definidos os conceitos básicos para planejar um texto SEO, o primeiro passo é realizar uma pesquisa de palavras-chave.

Palavras-chave são os termos que os usuários usam para buscar por algo nos mecanismos de busca, como “batata” ou “como fazer um purê de batata?”. É fundamental que esses termos estejam no texto de forma natural tanto para o usuário ver que a página trata do que ele pesquisou, quanto para o Google entender que sua página é relevante para aquela busca.

A maioria dos conteúdos tem mais de uma palavra-chave, sendo uma delas a principal. Por exemplo, este conteúdo no qual você está agora tem como palavra-chave principal “texto seo” e outras secundárias também importantes como “como escrever um texto seo” e “conteúdo para seo”.

A palavra-chave principal utilizamos no título para dar mais relevância e as outras em subtítulos, negrito e ao longo do texto.

A definição de qual é a palavra-chave principal do conteúdo depende muito de vários fatores como a hierarquia de informações (“como fazer um texto seo” está dentro de “texto seo”, que abrange mais tópicos) objetivo do texto, seu foco principal e o volume de buscas da palavra-chave.

Para encontrar as palavra-chave para seu texto você pode usar ferramentas, que também fornecem dados que ajudam na direção do texto:

  • Volume de buscas: a quantidade de vezes que a palavra-chave é buscada dentro de um mês;
  • Nível de competitividade: indica o quão difícil é aparecer nos resultados orgânicos para a palavra-chave com base na força de outros conteúdos que já estão bem posicionados;
  • Intenção de busca: o que o usuário está buscando com aquela palavra-chave? Informação, comprar algo, navegar por sites conhecidos, entre outras intenções.

Algumas ferramentas famosas e boas para pesquisa de palavras-chave são:

Você também pode encontrar ideias de palavras-chave a partir de uma análise dos textos de concorrentes, tópicos que eles estão abordando e a estrutura de seus conteúdos, além é claro de usar a própria pesquisa do Google e outros mecanismos, encontrando perguntas frequentes e analisando o autocomplete.

2. Definição das tags

Como mencionei, as tags são importantes para que os algoritmos de pesquisa entendam a estrutura de seu texto e hierarquia das informações apresentadas.

Para isso ele atribui uma importância a cada elemento, que precisamos usar de forma inteligente, com as palavras-chave encontradas na pesquisa.

As principais tags para as quais precisamos nos atentar no texto são:

  • Title Tag;
  • Meta description;
  • Heading Tags.

Title tag

A title tag se refere ao título do texto que vai aparecer no Google. Ela não precisa necessariamente ser igual ao título do artigo, mas deve ser pensada cuidadosamente para usar a palavra-chave principal do texto e atrair cliques.

Fonte: Pesquisa do Google

Fonte: conversion.com.br

Para construir uma title você precisa considerar três fatores principais:

  • Tamanho: o Google tem um limite definido em pixels para o tamanho das titles que exibe nos resultados de busca. Para saber se o seu título não estoura esse limite, você pode usar ferramentas como a Google SERP Snippet Optimization Tool, colar sua title e simular como ela apareceria no Google. Vale ressaltar que uma title estourada não é necessariamente ruim, o importante é que a palavra-chave principal e termos que atraem cliques apareçam. Em caracteres, procure manter a title abaixo de 70;
  • Palavra-chave: a title tem um grau de importância significativo para o Google. Usar a palavra-chave de forma exata como o usuário pesquisou por ela é preferível, caso possível (sem violar gramática). Você pode usar até mais de uma caso caiba na title, como “SEO para iniciantes: o que é Search Engine Optimization?”. Nesse exemplo, além das palavras-chave óbvias, também trabalhamos com “o que é SEO”, mesmo que separadas, o Google entende o contexto. Brincar com as palavras dessa forma é fundamental para ampliar o campo semântico de seus textos;
  • Cliques: use perguntas, números, palavras impactantes, verbos no imperativo e outros recursos para tentar atrair mais cliques com seu título, isso faz toda diferença no seu posicionamento.

Meta description

A meta description é uma breve descrição da página que também aparece no Google e outros mecanismos de busca.

Fonte: Pesquisa do Google

Apesar dela não ser um fator de ranqueamento direto do Google, ela influencia na taxa de cliques da sua página, o que pode impactar seus rankings.

Para escrever uma é importante seguir os mesmos princípios de atração de cliques e uso de palavras-chave da title, buscando fazer uma promessa que vai cumprir no texto para despertar o interesse nos usuários.

Quanto ao seu tamanho, também há um limite definido em pixels que você pode verificar na mesma ferramenta da title.

No HTML, ela aparece dentro do <head> da seguinte forma:

Fonte: conversion.com.br

Heading tags são marcações no código HTML que referenciam a estrutura de subtítulos do conteúdo.

Elas são representadas pela letra “h” no código, seguidas por um número, que corresponde ao seu nível de relevância para o Google: <h1>; <h2>; <h3>; <h4>; <h5>.

A h1 é mais relevante e costuma ter mais destaque visual que a h2 e assim por diante. Elas seguem uma hierarquia que ajuda o Google e usuários a se encontraram no texto e navegarem pelos principais tópicos abordados.

H1 é única e deve aparecer apenas uma vez em qualquer página do site, sendo o título do seu texto. No caso deste artigo, temos a seguinte estrutura:

  • h1: Texto para SEO: conteúdos para aparecer em 1º lugar no Google
    • h2: O que é SEO e qual a sua importância?
    • h2: O algoritmo do Google e outros mecanismos de busca
    • h2: Como planejar um texto SEO?
      • h3: 1. Pesquisa de palavras-chave
      • h3: 2. Definição das tags
        • h4: Title tag
        • h4: Meta description
        • h4: Heading tags
      • h3: 3. Linkagem interna
      • h3: 4. Quantidade de palavras
      • h3: 5. Briefing
    • h2: Como escrever um texto para SEO?
    • h2: Checklist de conteúdos SEO relevantes
    • h2: Conclusão

Vale ressaltar que quanto mais profundidade, com h3 dentro de h2 e até h4 dentro de h3, mais os algoritmos entendem que seu conteúdo é completo sobre o tópico, dado que o texto realmente seja relevante.

  • Nota: lembrando também que o Google atribui mais valor às palavras presentes nas headings tags do que em outros locais do texto (exceto title), por isso, aproveite para usar palavras-chave secundárias, isso pode contribuir significativamente para ampliar os posicionamentos orgânicos de seu texto.

Além de melhorar a experiência de leitura dos usuários e ajudar no rankeamento, esboçar as heading tags é uma ótima prática para melhorar a produtividade! 

Desenhar o esqueleto de seu artigo antes de escrevê-lo pode te dar uma direção mais clara da linha de raciocínio para seguir durante a escrita.

3. Linkagem interna

A linkagem interna nada mais é do que inserir links do seu texto para outros relacionados do site, ajudando com vários fatores, sendo os principais:

  • Retenção e conversão de usuários: com links para outras páginas do seu site você contribui para que os usuários continuem em seu site e avancem etapas na jornada de compra, podendo virar leads eventualmente ou até gerar vendas;
  • Autoridade: com base nos links de outros sites relevantes para seu site, o Google atribui uma nota de autoridade para as diferentes páginas nele. Essa nota tem peso no ranqueamento e pode favorecer páginas com mais menções na web, por exemplo. Geralmente páginas mais antigas do site tem mais autoridade, como a home, já as mais novas precisam que essa autoridade seja “diluída” para elas. Isso só é possível por meio de links internos, da home para artigos novos, de artigos antigos para novos e por aí vai…Os links internos são fundamentais para distribuição de autoridade;
  • Indexação: como o Google descobre que há novas páginas em seu site? Por meio de links! Os links internos têm um papel essencial para que novas páginas apareçam nos resultados de busca, especialmente para sites de notícias.

Você já pode definir os links com antecedência com base no tópico abordado. Neste artigo, por exemplo, sei que palavras como “SEO”, “leads” e “produção de conteúdo” são bem comuns, todos tópicos sobre os quais temos conteúdos no blog.

Porém, tome cuidado para não gerar spam! Os links internos devem ser inseridos com contexto no seu texto, como fiz com o link sobre “leads” logo acima.

4. Quantidade de palavras

Quantas palavras deve ter seu texto? Você não pode descobrir com exatidão até escrevê-lo, mas é importante definir um mínimo antes de começar a escrever.

Por que mínimo?

Se os concorrentes já estão posicionados para a palavra-chave que você quer posicionar com conteúdos de, em média, 3.000 palavras, é bem improvável que o Google ache seu conteúdo mais relevante que o deles com menos palavras.

Apesar de não ser regra, definir uma quantidade mínima de palavras para escrever é muito importante para ter noção de quanta profundidade seu texto SEO precisa ter.

Como fazer isso?

Você pode usar ferramentas que analisam os resultados de busca para você e trazem uma média da quantidade de palavras dos conteúdos melhor posicionados, como o Semrush, ou, pode analisar por conta, usando uma ferramenta gratuita como WordCounter, copiando e colando os conteúdos SEO dos concorrentes para tirar a média.

5. Briefing

Por fim, chegou a hora de consolidar todas as informações do planejamento em um documento de Google Docs, Word, Google Planilhas ou Excel.

Trata-se de um briefing de conteúdo que vai definir a direção do texto e pode ser utilizado por quem fica responsável por escrever o texto.

Docs ou planilhas, aqui estão algumas informações que não podem faltar em seu briefing:

  • Requisitos da marca: qual o tom de voz da marca? Existem termos proibidos? Qual é a abordagem? E o posicionamento? São informações importantes para não fugir da identidade da marca ao escrever;
  • Estágio do funil: qual é o estágio do funil de vendas para o qual o texto SEO é destinado? Topo, meio ou fundo de funil? Isso vai influenciar completamente a linguagem e CTAs do texto;
  • Tipo de conteúdo: o conteúdo já existe e vamos fazer uma otimização ou é um conteúdo novo? Que tipo de conteúdo? Blog? Ecommerce? Institucional?
  • Palavra-chave principal: qual é a palavra mais relevante do conteúdo, a que mais desejamos posicionar no Google e em outros mecanismos de busca?
    • Volume de buscas: qual é o volume de busca mensal para essa palavra?
    • Intenção: o que os usuários parecem estar buscando ao pesquisar pela palavra-chave principal?
  • Palavras-chave secundárias: quais são as palavras-chave relacionadas, que também desejamos posicionar com o artigo;
  • Title: qual será a title do site? Incluir palavra-chave principal e elementos que atraem cliques, sem exageros;
  • Description: mesmos princípios da Title, porém com mais caracteres, explorando melhor a promessa do conteúdo;
  • Heading tags: qual será a estrutura do texto? Quais tópicos não podem faltar? Eles estão usando palavras-chave secundárias?
  • Tamanho do texto: qual é a quantidade de palavras ideal do texto?
  • Linkagem interna: quais páginas do site tem relação com esse texto e podem ser utilizadas na linkagem interna?
  • Referências: pesquisas, sites e fontes externas que podem contribuir para a produção do texto;
  • Perguntas que precisam ser respondidas: perguntas comuns sobre o tópico que os usuários geralmente fazem e que precisam ser respondidas no texto para entregar valor.

Como escrever um texto para SEO?

Chegou a hora de escrever o texto pensando em SEO. O planejamento já vai te ajudar bastante a ter a direção certa ao escrever, porém, há alguns pontos que você precisa se atentar:

  • Usuário em primeiro lugar: ao escrever, se coloque no lugar do leitor, as informações do texto realmente vão ajudá-lo? Elas agregam valor para o leitor? São diferentes do que já tem por aí na web? Busque escrever com uma linguagem condizente com a persona e interativa;
  • Uso de palavras-chave: é importante repetir a palavra-chave primária e as secundárias no texto, sempre mencionando a primária logo na introdução. Evite excessos, pois o Google percebe que você está forçando uma palavra-chave e pode punir sua página por isso. Insira elas de forma natural e destacadas no texto (com uso de negrito, tópicos e subtítulos). Para isso, ter a lista prévia das palavras-chave que serão abordadas no briefing pode ajudar bastante, pois você já escreve com elas em mente, adaptando seu texto;
  • Parágrafos: a estrutura do seu texto é tão importante quanto o que está escrito. Os usuários priorizam o consumo rápido de informações hoje, com uma leitura dinâmica das páginas. Para favorecer esse tipo de leitura, use parágrafos curtos, com estruturas de tópicos quando pertinente, negrito apenas em termos relevantes e seções não muito longas. Deixe seu texto dinâmico, de forma que um usuário buscando apenas por uma informação específica possa encontrá-la apenas batendo o olho no texto;
  • Imagens: as imagens também podem ajudar a dinamizar seus textos para SEO, contribuindo para a ilustração de conceitos e aprendizado. Use imagens apenas quando elas têm alguma utilidade e realmente agregam para seu conteúdo. Lembre que elas também podem prejudicar a velocidade de carregamento da página, por isso, é importante compactá-las antes de adicionar ao texto usando alguma ferramenta online e, se possível, disponibilizá-las no formato webp. Outro ponto importante é que elas sejam acessíveis para usuários com deficiência visual e para o próprio robô do Google entendê-las melhor. Para isso, preencha o atributo “alt” com um texto descritivo sobre o que tem na imagem;
  • Linkagem interna e externa: como mencionado nos tópicos anteriores, os links internos devem ser inseridos de forma natural no texto. Links para outros sites também podem ser relevantes para complementar seu conteúdo, porém, apenas para referências como pesquisas, sites de governo e sites não concorrentes do seu. Jamais envie links para concorrentes, pois o Google verá isso como um sinal de que a referência no assunto é o concorrente e não você;
  • CTAs: as chamadas para ação devem estar presentes em todo conteúdo SEO. Elas são a ponte que conecta os usuários ao produto/serviço da empresa. Dependendo do estágio do funil, a CTA pode ser utilizada para gerar engajamento, incentivar acessos a outro artigo, gerar inscrições em uma newsletter ou até aumentar as vendas de um produto/serviço. Tudo depende da jornada de compra.

Checklist de conteúdos SEO relevantes

O Google tem um sistema de avaliação de conteúdos chamado de “Sistema de conteúdo útil”, que busca gerar um indicador do quão originais e úteis são os conteúdos na web, que influencia o posicionamento desses conteúdos nos resultados de busca.

Para ajudar na avaliação da utilidade dos nossos conteúdos, o Google elaborou um questionário que podemos usar como referência para produção de nossos textos:

  • O conteúdo mostra informações, relatos, pesquisas ou análises originais?;
  • Ele inclui uma descrição significativa, completa ou abrangente do assunto?;
  • O material apresenta análises relevantes ou informações interessantes e originais?;
  • Quando o conteúdo é baseado em outras fontes, você evita simplesmente copiar ou reescrever e adiciona valor e originalidade ao material?;
  • O título principal ou da página mostra um resumo descritivo e útil do conteúdo?;
  • Você evita o uso de termos exagerados ou chocantes no título principal ou da página?;
  • Este é o tipo de página que você adicionaria aos favoritos, compartilharia com um amigo ou recomendaria para alguém?;
  • Você esperaria ver esse conteúdo em uma revista, enciclopédia ou livro impresso?;
  • O conteúdo oferece um valor significativo quando comparado a outras páginas nos resultados da pesquisa?;
  • O conteúdo apresenta problemas de ortografia ou estilo?;
  • O conteúdo é bem produzido ou parece ter sido feito às pressas ou com pouco cuidado?;
  • O conteúdo é produzido em massa ou de maneira terceirizada por muitos criadores? Ele está espalhado por uma grande rede de sites? Esses fatores costumam fazer com que a produção de páginas e sites específicos seja menos cuidadosa.

Fonte: Central de Pesquisa do Google

Há várias outras perguntas relacionadas a E-E-A-T (expertise, experiência, autoridade e confiança) e utilidade do conteúdo que o Google faz no documento, recomendamos sua leitura completa para aperfeiçoar sua escrita para SEO.

Aproveite também para ver o checklist do Diego Ivo sobre SEO On-page no post abaixo:

Conclusão

Espero que tenha gostado deste texto SEO sobre como fazer textos SEO! 

Na dúvida, use este artigo como referência: a forma como as informações estão estruturadas, os diferenciais, destaques nos subtítulos e escrita. Isso vai te ajudar a estruturar seus próprios conteúdos.

Aproveite também para ler nosso estudo de caso sobre como conquistar a primeira posição do Google!

Fonte Imagem: Naveed Anjum / iStock

Escrito por Felipe Santos

Escrito por Felipe Santos

Escrito por Felipe Santos

Escrito por Felipe Santos

Compartilhe este conteúdo
Compartilhe
Receba o melhor conteúdo de SEO & Marketing em seu e-mail.
Assine nossa newsletter e fique informado sobre tudo o que acontece no mercado
Agende uma reunião e conte seus objetivos
Nossos consultores irão mostrar como levar sua estratégia digital ao próximo nível.
>