O que é e-book? Como criar um e vender mais

Felipe Santos
Felipe Santos

Vivemos na era digital!

Bancos digitais, eCommerces, artes digitais, moedas digitais, ingressos digitais e, claro, os e-books.

A tendência é virtualizar os itens do nosso dia a dia, tornando-os acessíveis de qualquer lugar em qualquer dispositivo.

Por que?

Praticidade. Os itens virtuais facilitam as atividades diárias, o que nos permite economizar tempo e dinheiro.

Com e-books não poderia ser diferente. Esse formato se popularizou tanto, que empresas começaram a explorar seu potencial para fazer marketing e atrair possíveis clientes.

Hoje o e-book é um formato poderoso no marketing digital e pode alavancar os resultados de suas estratégias. Neste artigo você vai aprender tudo sobre e-books e como utilizá-los para beneficiar sua marca!

O que é e-book?

E-book é um livro não editável disponibilizado no formato digital (como PDFs) para ser lido em telas de dispositivos eletrônicos como computadores e celulares.

Deixando a explicação mais clara, e-book é um livro digital, com capítulos e tópicos sobre um tema com o objetivo de informar, trazer uma reflexão e/ou entreter os leitores.

Esse formato de conteúdo é utilizado para vários propósitos, sendo um dos mais comuns a conversão de livros físicos para o digital, facilitando sua distribuição e acessibilidade. 

O Kindle da Amazon é um exemplo de dispositivo eletrônico criado com a função de facilitar a leitura e compra de e-books. Nele você pode ter uma biblioteca inteira de livros em um único dispositivo leve e portátil.

Porém, não estamos aqui para falar do Kindle, mas sim da aplicação de e-books no marketing.

Por que criar um e-book?

Se você está considerando criar um e-book hoje, há duas razões principais:

  1. Publicação pessoal para divulgar uma pesquisa ou um livro;
  2. Contribuir com sua estratégia de marketing.

Neste artigo vamos destrinchar o segundo motivo. O e-book é uma das iscas digitais mais utilizadas por empresas para captação de leads, fazendo parte da estratégia de marketing de conteúdo e inbound.

Ambas estratégias têm como pilar a atração de potenciais clientes, ou seja, ao invés de ir até o consumidor com uma proposta de vendas, as marcas estão produzindo conteúdos que entregam valor para que eles sejam atraídos de forma natural.

Conquistando a atenção do consumidor, as empresas produzem conteúdos que vão guiá-lo pelo funil de vendas, começando por conteúdos mais genéricos como “Dicas para se organizar melhor”, até os mais diretos focados em conversão, como “Conheça nossa ferramenta de gestão de tarefas”.

O e-book geralmente entra nas etapas iniciais do funil de vendas, abordando tópicos mais genéricos sobre um tema, com o objetivo de atrair consumidores que ainda não conhecem a marca e/ou a solução (produto/serviço) que ela oferece.

Um exemplo prático são os e-books que criamos aqui na Conversion, com o propósito de atrair a persona do nosso negócio com temas relevantes que realmente possam ajudá-las. 

Para ter acesso a esse e-books, os usuários precisam fornecer informações como seu email, telefone e tipo de empresa na qual trabalham, se tornando leads que podem ser utilizados em outras estratégias.

Essa é uma das estratégias mais comuns usando e-books: oferecer e-books gratuitos em troca de uma informação, para então começar um relacionamento com os potenciais clientes e conduzi-los pelo funil de vendas.

Vantagens do e-book no marketing digital

Criar um e-book é uma tarefa que demanda pouco tempo e recursos, com custos baixíssimos e alto potencial de beneficiar sua estratégia de marketing.

Com o e-book você tem a oportunidade de criar um conteúdo especial que entrega valor para seu público-alvo e pode ganhar escala facilmente, sem a necessidade de aumentar os custos.

Diferente de um livro físico, que quanto mais vende, maiores são os custos com impressão e distribuição, o e-book é possível criar uma única vez e pode distribuí-lo infinitamente e instantaneamente.

Ainda não vê motivos para adotar esse formato à sua estratégia? Confira algumas vantagens que separamos abaixo para te convencer!

Geração de leads

Como mencionamos no tópico anterior, e-books são ótimas iscas digitais, podendo ser utilizados para geração de novos leads para sua marca.

Vamos usar como exemplo um pet shop lançado recentemente, que deseja aumentar sua base de leads.

Para se diferenciar no meio digital, uma das opções é criar um e-book que entregue valor para as pessoas e seja altamente compartilhável, como “Por que adotar um cachorro?”, trazendo informações sobre as dificuldades desses animais e como as pessoas podem contribuir.

Apesar de não gerar vendas diretamente, o que esse e-book faz é servir como ponte que vai conectar potenciais clientes ao pet shop novo. 

Esses leads têm maior afinidade com a marca e podem fazer negócios futuramente devido ao valor gratuito que receberam e confiança que a marca estabelece com uma boa estratégia de email marketing.

Maior reconhecimento de marca

Seguindo o mesmo exemplo acima, um tema como “Por que adotar um pet?” é impactante e compartilhável.

Se o conteúdo realmente entrega valor, as pessoas querem compartilhar um material que explique com propriedade seus valores e comportamentos.

Quanto mais relevante o e-book, maiores as chances de viralização do mesmo por meio de redes sociais e outros canais digitais.

Isso contribui significativamente para o reconhecimento da marca e para construir autoridade no assunto quando o tema são pets. 

A marca começa a se tornar uma referência e os consumidores podem buscá-la quando precisarem de algum item para seus pets, pois se identificam com os valores da marca. E-books são ótimos investimentos como estratégia de branding.

Conteúdo reciclável

Como se não bastasse a facilidade em compartilhar e ganhar escala com o e-book sem aumentar custos, ele é um material reciclável.

Isso significa que o conteúdo abordado no e-book pode ser adaptado para outros formatos como posts de redes sociais e blog posts.

Essas adaptações ajudam a aumentar o alcance da sua marca e contribuem para a estratégia de marketing de conteúdo, além de divulgarem o próprio e-book de forma natural e pouco trabalhosa.

Versatilidade

O e-book é um material versátil, que você pode utilizar para diferentes propósitos e estratégias. 

Você pode utilizá-lo para divulgar pesquisas da sua empresa, informações exclusivas sobre um tópico, fazer estudos de caso, educar o mercado e muito mais.

É possível personalizar o e-book com a identidade da sua marca e diagramação que achar mais didática e eficaz.

Indexação em mecanismos de busca

Se relevantes e adicionados como uma página no site da marca, é possível indexar e-books e/ou suas landing pages em mecanismos de busca como Google e Bing.

Dessa forma, quando usuários pesquisam por temas como “Por que adotar um cachorro?” no Google, eles podem se deparar com sua empresa e gerar novos leads, simples assim, sem a necessidade de veicular anúncios pagos.

Crie seu e-book em 8 passos

Te convencemos a adotar e-books em sua estratégia de marketing digital?

Então agora vamos te guiar no processo de criação, desde a ideação até a publicação e divulgação. Dividimos esse processo em 8 passos práticos listados abaixo.

1. Objetivo e metas

O primeiro passo é saber qual é seu objetivo do e-book. Como mencionamos em tópicos anteriores, eles atendem diversos objetivos de marketing como aumento de leads, menções de marca e conversões.

Mais do que isso, o objetivo deve estar atrelado à estratégia para qual você vai utilizar o e-book em primeiro lugar. 

Se você está criando o e-book como parte de sua estratégia de marketing de conteúdo, considere a etapa no funil de conteúdo à qual ele deve pertencer e como ele pode contribuir para outros conteúdos.

Vamos supor que você chegou a um objetivo e ele é: gerar 500 novos leads. Para atingi-lo, você pode estabelecer metas que contribuam para sua realização, relacionadas a métricas como:

  • Tráfego na landing page de inscrição para receber o material;
  • Taxa de cliques nos anúncios do e-book;
  • Posicionamento da landing page nos mecanismos de busca como Google, aplicando estratégias de SEO;
  • Taxa de conversão da landing page.

As metas vão servir para dois propósitos, o primeiro é focar nos pontos mais importantes que vão contribuir com o objetivo e o segundo para motivar os diferentes times envolvidos na produção e divulgação do e-book.

2. Crie/estude sua persona

O segundo passo na criação de um e-book é estudar a persona do seu negócio. Caso não tenha, está na hora de criar.

É a persona que vai direcionar toda sua abordagem no e-book. Ele vai ter um tom mais sério ou cômico? vai trazer um conteúdo denso ou mastigado? quais expressões podem ser utilizadas?

Você responde todas as perguntas acima estudando e se colocando no lugar da sua persona.

Por que persona e não público-alvo?

A persona é mais específica, com características que detalham seu comportamento, ambições, necessidades e medos. Isso vai te ajudar a escrever com uma pessoa em mente.

Mas lembre-se de criar sua persona com base em dados reais de seus clientes e entrevistas, só assim será possível descrever um perfil assertivo para a estratégia.

3. Defina um tema

Você já tem seu objetivo e sabe para quem está escrevendo, chegou a hora de escolher um tema relevante para abordar com seu e-book.

Para escolher o tema, considere os seguintes fatores:

  • Etapa da jornada de compra: resumindo, a jornada de compra é composta pelas etapas de aprendizado e descoberta, reconhecimento do problema, consideração da solução e decisão de compra. Cada uma delas exige temas diferentes. Na etapa de aprendizado, aposte em temas mais amplos, como “X dicas para adestrar seu cachorro”. Se o e-book estiver em etapas mais avançadas, como consideração da solução, explore temas específicos como “X itens que podem ajudar no adestramento de cães”;
  • Volume de buscas: pesquisar o volume de buscas relacionado ao tema escolhido pode ajudar a conectar o e-book com sua estratégia de marketing orgânico e a saber se o tema escolhido é relevante, afinal, sem demanda pelo conteúdo ele provavelmente não vai agregar muito para os consumidores. Você pode usar ferramentas para isso, como o Google Trends, SEMrush e Google Keyword Planner;
  • A complexidade: a complexidade do tema vai depender do seu público e objetivo do e-book, porém, fato é que você vai precisar se aprofundar no tema, por isso, escolha um que tenha vários subtópicos e informações para abordar;
  • Expertise: a sua empresa conta com uma pessoa redatora especializada no tema proposto para o e-book? Caso não tenha, é melhor trocar, pois essa estratégia só funciona se o conteúdo realmente entregar valor para quem ler.

Observação: Vale ressaltar que a jornada de compra também define a etapa de divulgação do e-book. Por exemplo, etapas mais avançadas são destinadas para grupos menores e você precisa divulgar em canais mais pessoais como emails.

4. Escreva

Chegou a hora de escrever. Nessa etapa, você deve considerar técnicas de copywriting para manter as pessoas engajadas com o conteúdo e a ferramenta que vai utilizar para escrever.

Em relação ao copy, considere as seguintes dicas:

  • Conte histórias: o e-book é um formato longo e cansativo se você não escrever de forma instigante. O storytelling consiste em criar uma narrativa envolvente para gerar identificação e empatia com a audiência, usando analogias, personagens e ilustrações para te ajudar;
  • Adicione CTAs: as chamadas para ação são importantes para reter o leitor até o final do e-book. Use frases como “vamos abordar isso nos próximos tópicos” e “dá uma olhada na lista prática que separamos” para incentivar o leitor a ficar;
  • AIDA: aplique o método AIDA (Atenção, Interesse, Desejo e Ação) para incentivar uma tomada de decisão ao final do e-book, como responder uma pesquisa, compartilhar ou até comprar um produto;
  • Escreva um título atraente: use frases de impacto, perguntas, números e listas para atrair a atenção do público. Lembre-se também de fazer uma promessa no título e usar verbos no imperativo como “confira”, “aprenda” e “crie”, quando pertinente.

Em relação à ferramenta, use a que te deixa mais confortável para escrever e editar o conteúdo do e-book, adicionando imagens e ilustrações que depois serão diagramadas. Considere também o formato de e-book para o qual as ferramentas podem exportar, como PDF, EPUB e AZW.

Aqui estão algumas delas:

  • Microsoft Word;
  • Google Docs;
  • Canvas;
  • Livros digitais.

5. Diagramação e Ilustração

Com o conteúdo escrito, está na hora de deixá-lo visualmente bonito, adicionando ilustrações, imagens e alinhando o texto de acordo.

Esse é um trabalho que deve ser levado muito a sério! O e-book é um material especial, que precisa entregar muito mais que um blog post.

Para esse propósito, a diagramação tem um papel essencial. Porém, cuidado para não encher o e-book com imagens irrelevantes. Crie imagens e ilustrações que contribuam para a leitura e não apenas de enfeite.

Um designer profissional – de preferência com experiência em ferramentas de diagramação – é fundamental.

Aqui estão alguns exemplos:

  • Adobe InDesign;
  • Canvas;
  • Affinity Publisher;
  • Swift Publisher.

6. Revise

A revisão é uma etapa fundamental, tanto das artes, quanto do texto. Para executar esse papel recomendamos pessoas que não tiveram envolvimento na produção do conteúdo.

Isso ajuda na imparcialidade e para achar erros que quem produziu pode não ver por vícios de linguagem e cansaço após a escrita.

Você também pode ir além e convidar um grupo pequeno de clientes fiéis e/ou pessoas aleatórias da empresa para avaliar o material e fazer sugestões.

7. Divulgue

E-book pronto e revisado, está na hora de divulgá-lo. Para isso, você precisa primeiro ter uma landing page com o formulário de inscrição para que o usuário receba o conteúdo.

A página de conversão deve ser veloz, com uma URL amigável e compartilhável, com imagens atrativas e um título ainda mais, com copies que incentivem a conversão.

Aqui você pode aplicar gatilhos mentais como urgência (“baixe agora”), escassez (“o tempo está acabando”) e provas sociais (depoimentos de pessoas que já leram um e-book da sua empresa) para convencer o público a baixar o e-book.

É essa landing page que será divulgada na sua comunicação sobre o lançamento do e-book em posts de redes sociais, de blog, anúncios de display e social media, email marketing e outros canais de aquisição.

Sua comunicação deve ser integrada entre os diferentes canais e alinhada com o branding da marca, porém, lembre-se de adaptar a linguagem para cada canal de divulgação.

8. Otimize e reutilize

Na criação da landing page, anúncios e posts de divulgação do e-book, considere um bom tracking de dados das diferentes campanhas, para saber exatamente de quais canais vieram as conversões para o e-book e acessar outras métricas (taxa de cliques, CPC, taxa de conversão e tráfego).

É importante consultar um especialista em dados para garantir uma análise parcial não baseada em “achismos”. 

Mesmo alcançando o objetivo, sempre há lugar para melhorias e só uma análise minuciosa dos dados vai te dizer o que otimizar.

Algumas ferramentas que você pode usar para avaliar os resultados:

  • Google Analytics;
  • Google Search Console;
  • Google Ads;
  • Meta Ads Manager;
  • Instagram insights.

Lembre-se também de reutilizar o conteúdo presente no e-book para produzir outros conteúdos em diferentes canais. 

Ele pode ser utilizado como material de consulta para as pessoas redatoras da empresa. Afinal, é uma pesquisa aprofundada e repleta de insights sobre um tópico relacionado à marca.

Como divulgar o seu e-book?

Adicionamos esse tópico para que você possa aprofundar nas diferentes táticas para divulgar seu e-book. São elas:

  • Email marketing: talvez uma das que tenha as melhores taxas de conversão, enviar um email para sua base de leads pode ajudar bastante com a divulgação do e-book. Caso queira fazer uma estratégia mais elaborada nesse canal, pode fazer uma mini série de conteúdos relacionados ao tema do e-book, sendo o último o próprio e-book;
  • Webinars: os eventos online também são uma ótima forma de divulgar o lançamento de seu e-book. Você pode fazer um webinar oferecendo uma amostra do conteúdo no e-book, despertando o interesse das pessoas para que se aprofundem baixando o e-book;
  • SEO: as otimizações para mecanismos de busca na landing page de seu e-book e na própria escrita do conteúdo dele podem te ajudar a conquistar tráfego e conversões orgânicas. Utilize palavras-chave e otimizações técnicas para garantir a indexação da página;
  • Influenciadores: os influencers tem um grande poder de influência, como o próprio nome indica. Eles são referência para seus seguidores e o que recomendarem será levado em consideração com carinho pelo seu público. Considere firmar parcerias para potencializar os resultados do seu e-book;
  • Redes sociais: as redes sociais dispensam comentários. Há infinitas possibilidades de interações e posts que você pode fazer para incentivar o download do e-book, como criar pequenas amostras para postar antes do lançamento e veicular anúncios.

Lembrando que essas são apenas algumas das alternativas para divulgar seu e-book, leve em consideração os canais de preferência do seu público e o tipo de abordagem que preferem.

Conclusão

O e-book é um formato especial de conteúdo que pode fazer diferença na sua estratégia. Porém, ele é apenas um tipo de conteúdo, sem uma estratégia mais ampla de marketing, vendas e branding como base, você não vai longe.

Entenda mais sobre a metodologia Brandgrowth que nosso CEO, Diego Ivo, criou para aplicar em seu negócio, gerar resultados e se diferenciar da concorrência. 

Crédito Imagem: Tanvir Islam / iStock

Escrito por Felipe Santos

Escrito por Felipe Santos

Escrito por Felipe Santos

Escrito por Felipe Santos

Compartilhe este conteúdo
Compartilhe
Receba o melhor conteúdo de SEO & Marketing em seu e-mail.
Assine nossa newsletter e fique informado sobre tudo o que acontece no mercado
Agende uma reunião e conte seus objetivos
Nossos consultores irão mostrar como levar sua estratégia digital ao próximo nível.
>